terça-feira, 21 de junho de 2011

SÉRIE MEIOS DE GUERRA: ARC-170 E Z-95

O ARC-170
Por Darth Metrius

No primeiro artigo desta nova série, abordei a famoso caça rebelde T-65 X-Wing. Dando continuidade a série, achei por bem falar dos antecessores do "cavalo de batalha" da Aliança. Voltando no tempo, até a era da Velha República e as Guerras Clônicas, vamos falar sobre os caças ARC-170 e o Z-95 Headhunter, o avô e o pai do X-Wing. Neste Artigo, vamos ver como os antecessores do X-Wing contribuiram para a sua criação e em que papalelos eles podem ser traçados com armas de guerra do nosso mundo real.

As Armas:
Mergulho de um ARC-170 na Batalha de Coruscant
Para começar, vamos falar do caça mais parecido, o "pai" do X-Wing, por assim dizer: O Aggressive ReConnaissance-170 Starfighter. Também conhecido como ARC-170, designação bem mais usada para identificá-lo, este caça foi uma das armas mais excelentes no fronte.  Projetado para ser um caça-bombardeiro pesado e foi amplamente usado nos últimos dias das Guerras Clônicas. Como já dito acima, ele foi um dos antecessores do caça X-Wing. Concebido e produzido conjuntamente pelas corporações Incom e Subpro Corporations, era um caça estreito, ladeado por dois grandes motores, como em outros projetos semelhantes da época. O ARC-170 também possuía um sistema de "S-Foils", ou asas de variação geométrica, o que lhe conferia, entre outras vantagens, estabilidade em vôos atmosféricos. Este caça também estava equipado com um sistema de escudos dianteiros, que na atmosfera, reduzia o calor proveniente do atrito com o ar, possibilitando assim, velocidades supersônicas. Era um caça feito para operações independentes e contava com velocidade, armamento pesado e constituição robusta, escudos defletores, e hiper-propulsor.
Seu custo girava em torno de 150.000 créditos, e o custo de aparelhos já usados era de 70.000 créditos. Seu tamanho era de 14,5 metros de comprimento, por quase 23 metros de envergadura e quase 5 metros de altura. Ou seja, era maior que o X-Wing. Sua velocidade máxima em atmosfera variava entre 1.000 km/h a mais de 40.000 km/h (com os escudos dianteiros ligados), com uma aceleração de até 2.600 G. Estava equipado com um hiper-propulsor Classe 1.5 e sua blindagem era excelente. Seu armamento, era pesado: Possuía dois canhões lasers na ponta das asas, um canhão laser montado na parte traseira, um lançador de torpedos de prótons e seis mísseis.
O ARC-170 contava com uma tripulação de um piloto, um co-piloto, um artilheiro e um dróide astro-mecânico. Podia levar uma carga adicional de até 110 quilos. Era um caça completo e foi projetado para missões de caça e de bombardeio. O ano de sua introdução em serviço foi em 21 BBY, durante a metade das Guerras Clônicas. Geralmente era enviado para missões de escolta e incursões profundas em território inimigo. Para tal, seu nariz contava com vários censores e scanners. Mesmo atingindo velocidades superiores ao som, era lento, se comparado a outros caças, o que lhe fazia necessária a proteção adicional de armas na parte de traz da fuselagem.
Durante a guerra, o ARC-170 participou de muitas batalhas importantes, com missões variadas. Em Malastare, fez escolta para bombardeiros BTL-B, atuaram na Defesa de Kamino,  mas a sua principal participação foi na famosa Batalha de Coruscant, em 19 BBY, quando o Sétimo Esquadrão de Voo Clone realizou o ataque ao Destróier Invisible Hand.
ARC-170 Imperial
Já durante a Era Imperial, o ARC-170 podia ser encontrado tanto na Frota Imperial quanto na Frota Rebelde, sendo considerado um caça de elite. Com o passar do tempo, este veterano deu lugar ao X-Wing, como principal caça produzido pela Incom, fazendo-o entrar para a história. Mas antes que o X-Wing viesse a surgir no universo, um outro parente deste apareceria para terminar as Guerras Clônicas e depois compor a Frota Rebelde, o Z-95 Headhunter, sendo ainda mais antigo que o ARC-170, portanto, "avô".
Um antecessor direto do X-Wing, em termos de semelhanças no projeto, o Headhunter durou muito tempo em serviço, mesmo depois de sua produção ter sido interrompida, isso devido a sua resistência. Passou por diversas modificações e atualizações até dar lugar ao célebre caça de Luke Skywalker.
Z-95 Headhunter
Em sua época, foi o melhor caça que existiu, e graças a isso, deu rendimento ao X-Wing. Também projetado pela Incom e a Subpro Corporation, o Z-95 Headhunter é uma caça concebido para a superioridade espacial e missões de reconhecimento, escolta, apoio aéreo aproximado, treinamento e em alguns poucos casos, bombardeio. Seu custo era de 80.000 créditos, e um aparelho custava pouco mais da metade do preço inicial. Era menor que o ARC-170 e o X-Wing (11,8 metros de comprimento), e sua velocidade máxima na atmosfera era de 1.150 km/h, com uma aceleração de 2.780 G. O Headhunter usa quatro motores de fissão da própria Incom. Modificações posteriores apresentaram versões de dois motores. Nas versões padrão, o Headhunter não apresenta um hiper-propulsor, mas ele pode ser equipado para realizar viagens na velocidade da luz. Seu armamento era composto de dois canhões laser triplos na ponta das asas, e dois lançadores de mísseis de concussão. Sua tripulação era de apenas um piloto, mas versões de treinamento tinham uma cabine alongada para um co-piloto ou instrutor de voo. Também poderia levar 85 quilos de carga adicional, e tinha a capacidade de manter-se em voo por um dia inteiro (a versão de treino podia ficar em voo por uma semana).
Um Z-95 em ação.
Durante muito tempo, ficou em serviço em muitas frotas até o surgimento da Nova República, mas nesta época já estava muito ultrapassado. Se comparado ao T-65 X-Wing, era mais lento, menos armado, menos manobrável, escudos mais fracos e blindagem mais leve, embora sempre tenha sido um caça de capacidades muito boas. Era confiável e barato, e na mão de um piloto com experiência em combates, se tornava uma arma formidável. Se tornou o preferido dos contrabandistas, piratas e frotas de defesa locais. Sua encomenda pela República Galáctica deu origem ao protótipo "Onyx Star". A Incom, ao terminar a parceria com a Subpro, comprou todos os direitos intelectuais e sistemas do projeto. Durante as Guerras Clônicas, o Headhunter participou dos cercos a Orla Exterior, até todas as unidades da República caírem nas mãos do recém-formado Império Galáctico, bem como de piratas e outras organizações. Os rebeldes fizeram muito uso do Headhunter como apoio aéreo aproximado, auxiliando tropas no campo de batalha. Alguns notáveis personagens pilotaram este caça: Han Solo, Mara Jade e Tycho Celcho foram alguns deles.


Paralelos:
Estes notáveis caças são muito semelhantes com alguns dos mais famosos, e mais modernos caças de nossa história. Para iniciar os paralelos, o que se nota é, não uma semelhança histórica ou sucessória, mas sim uma semelhança em fama e em ordem de importância e sequência nas datas de entrada em serviço. Se lembrarmos bem, que no artigo anterior comparamos o X-Wing ao Spitfire e ao F-15, nos caso do ARC-170 e do Headhunter, as aeronaves reais não seguem uma linhagem dinástica por assim dizer. Tanto o X-Wing, o ARC-170 e o Z-95 foram obras da Incom, mas no mundo real, os seus paralelos são frutos de diferentes países e empresas.
TBF/TBM Avenger
O ARC-170 congrega características que lhe conferem a classificação indubitável de caça-bombardeiro pesado, deixando clara a sua comparação em design com alguns famosos aparelho americanos usados na Segunda Guerra Mundial, como Douglas SBD Dauntless, o Curtiss SB2C Helldiver, e, principalmente, com o Grumman/GM TBF/TBM Avenger. Os dois primeiros eram bombardeiros de mergulho, mas que podiam atuar como caças-pesados, papel que realizaram muitas vezes, mas o TBM Avenger foi um caça-torpedeiro (originalmente), e caça-bombardeiro (ocasionalmente). Poderíamos compará-lo a outros aparelho aliados e até alemães e japoneses, mas nenhum chegaria a se assemelhar tanto quanto o Avenger. Uma característica comum entre os caças-torpedeiros, caças-bombardeiros e bombardeiros de mergulho desta época, é que eles possuíam um design robusto para um caça, dando a impressão do que realmente eram: pesados e mortíferos. Estas aeronaves possuem muitas semelhanças com o ARC-170, mas o TBM Avenger é um caso específico.
Visão lateral do Avenger: note as torres de tiro ventral e dorsal.
O Avenger é um torpedeiro a semelhança do ARC-170, que carregava torpedos de prótons em seu armamento, mas também faz o papel de caça pesado. Os TBM Avengers são curiosos em várias comparações: 1) Foi construído por duas empresas diferentes, primeiro a Grumman (com a designação TBF) e depois a GM (com a designação TBM); 2) dos caças monomotores, ele foi o segundo mais pesado, ficando atrás apenas caça-pesado da USAF, o P-47 Thunderbolt, o que lhe confere a classificação de caça-pesado; e 3) seu design lembra muito o ARC-170, principalmente quando vemos a distribuição da tripulação dentro dele. O Avenger contava com três tripulantes, um piloto, um operador de rádio/bombardeiro/artilheiro ventral, e um artilheiro (traseiro). A única diferença é que o Avenger possuía quatro posições para a tripulação, onde o operador de rádio poderia assumir uma torre de tiro no ventre do avião. O ARC-170 não contava com este posto adicional.
O Avenger tinha dimensões aproximadas ao do ARC-170, com 12 metros de comprimento por 16 de envergadura e pouco mais de 4,5 metros de altura. Seu motor radial Wright R-2600-20 de 1.900 hps, lhe propiciava uma velocidade máxima de 442 km/h, com um raio de ação de 1.610 km, e um teto de serviço de 9.170 m. A distribuição do seu armamento era curiosamente semelhante, salvo alguns detalhes como uma metralhadora montada no nariz e uma metralhadora ventral. As outras armas eram as pesadas duas metralhadoras de 12.7 mm montadas nas asas (M2 Browning), uma terceira metralhadora do mesmo tipo na torre traseira, e baias para oito torpedos e mais 907 kg de bombas ou um torpedo aéreo Mark 13 de mesmo peso. Era uma assassino!
Voo 19???
O Avenger esteve presente na defesa de Midway, em 1942, e em muitas outras batalhas no Pacífico e Atlântico, onde se mostrou excelente caçador de submarinos. Sua história está ligada a grandes personalidades, como o ex-presidente americano George H. W. Bush e o ator Paul Newman, mas o mais famoso fato relacionado ao Avenger foi o fatídico Voo 19, em dezembro de 1945, quando uma esquadrilha destes aviões desapareceu misteriosamente no Mar do Caribe, no lendário Triângulo das Bermudas.
Já nos caças-bombardeiros modernos, podemos relacioná-lo ao igualmente famoso e impressionante McDonnell Douglas F-4 Phantom II. Alguém poderia argumentar que o Phantom II não tem uma torre de tiro traseira, todavia este poderoso armamento é semelhante ao ARC-170 em vários outros pontos, a saber: 1) ser um caça-pesado e bombardeiro, além de estar habilitado para missões de reconhecimento; 2) ter a necessidade de um co-piloto operador de radar (a semelhança do operador de rádio do Avenger); 3) ser um caça projetado para ser embarcado. Assim como o ARC-170 detinha um arsenal de radares, censores e scanners no nariz, o F-4 Phantom II também contava com os mais modernos radares da época. Porém, diferentemente do ARC-170, o Phantom II originalmente não contava com metralhadoras, utilizando-se apenas de mísseis e bombas, erro este que a Guerra do Vietnã veio a revelar. Posteriormente os F-4 foram equipados com canhões.
F-4 Phantom II
Os F-4, em seu modelo E, dispunham de dois grandes motores turbojatos (General Electric J79-GE-17A) que ladeavam a fuselagem da aeronave, parecido com o que vemos no ARC-170, conferindo-lhe a velocidade espantosa, para seu tamanho, de Mach 2.23 (2.370 km/h) a uma altitude de 12.000 metros aproximadamente. Apesar de possuir apenas um canhão Vulcan de 20 mm, seu arsenal de mísseis e bombas totaliza mais de oito toneladas, contendo mísseis Sidewinder, Phyton, Sparrow, Maverick, entre outros. Atualmente, o F-4 já está aposentado da maioria dos seus operadores, mas ainda restam em serviço 700 aparelho, e a Força Aérea Turca ainda os mantém em serviço a atualizados.


Hawker Hurricane
Tratando agora do Z-95 Headhunter, este caça segue uma linha bastante notável. Baixo custo e produção numerosa. Seguindo este mesmo princípio, podemos citar como paralelo histórico o Hawker Hurricane. Este caça foi o principal parceiro dos Spitfires na RAF, mas diferentemente do Z-95, ele não é um antecessor daquele. Fabricado pela Hawker Aircraft, mas também licenciado para produção em outras industrias, como a Gloster aircraft Company, por exemplo, o Hawker Hurricane foi o primeiro caça monoplano da RAF, substituindo os antigos e ultrapassados modelos biplanos. Projetados em 1934, entraram em serviço em 1937, e em 1939 já compunha 18 esquadrões. O Hurricane também foi o primeiro a bater a velocidade 480 km/h. Ao Hurricane se deve honras e créditos a ele não conferidas pelo grande público, que tem na mente apenas a imagem do Spitfire como herói de guerra. O Hawker Hurricane foi responsável por mais da metade das baixas da Luftwaffe no primeiro ano da guerra, e durante a famosa Batalha da Inglaterra (1940), coube a eles a, distribuidos em 32 esquadrões, a missão de defender o país o Reino Unidos dos bombardeiros, enquanto os Spitfires lidavam com os caças alemães, ou seja, mais de 60% da carga na batalha pertencia aos Hurricanes e não ao Spitfires, como geralmente se pensa.
Seguindo o mesmo princípio baixo custo-alta produção, o Hurricane levava vantagens sobre o Spitfire nestes quesitos. Seu custo era barato, a fabricação era simples e possuia técnicas já conhecidas que permitiam uma linha de montagem facilitada, o que fazia com que o tempo de produção do Hurricane fosse mais rápido. Ao todo foram produzidas 14.000 unidades, somando todas a variantes.
Tal qual o Z-95 Headhunter, o Hurricane foi exportado para outros países aliados, sendo utilizado com sucesso pela URSS, Bélgica, Iugoslávia, etc. e sendo construido sob licença em alguns destes países.
Entre as semelhanças do Hurricane com o Headhunter, podemos destacar a capacidade de se manter em voo, mesmo seriamente avariado. Sua notável resistência, fazia com que muitas aeronaves voltassem de suas missões com a chance divina de poderem ser levadas a fábricas especializadas em reparos e manutenção, a fim de que estes aparelhos eestivessem novos em folha, para mais ações contra o inimigo. O Z-95 conserva a mesma característica, um caça estelar barato, de rápida produção, confiável e de alta resistência.
Como suas capacidade, com o passar do tempo, foram se revelando inferiores aos do Spitfire, o novo caça passou a ser o modelo prioritário na guerra, sendo ele mais veloz, melhor armado, e bem mais manobrável. Porém, isto não foi motivo para que o Hurricane deixasse de ser utilizado, sendo empregado em batalha até o fim do conflito, e exercendo outras missões, como caça-bombardeiro, apoio aéreo e ataque ao solo (igual ao Z-95), reconhecimento noturno, entre outras atividades. o Sea Hurricane foi uma versão embarcada, que podia ser catapultado ou decolar de porta-aviões.
A versão Hawker Hurricane Mk. IIC, por exemplo, era equipado com um motor Rolls-Royce Merlin XX V-12, de 1.185 hps, podendo desenvolver uma velocidade máxima de 547 km/h a 6.400 metros de altitude. Seu armamento eram quatro canhões Hispano Mk. II 20mm, e carga para duas bombas de 110 a 230 quilos.
F-16 Fighting Falcon, ou Viper.
Já uma referência moderna, seria teria que seguir a mesma fórmula custo-produção-benefícios, o que nos leva a falar de um aparelho também famoso, mas menos ovacionado que o F-14, o F-15 e o F-18. Neste caso podemos falar de um caça que reune todas estas características, que foram exigidas a partir das experiências obtidas durante a Guerra do Vietnã. Estamos falando do atual F-16 Fighting Falcon, apelidado por seus pilotos de "Viper". O F-16 cumpre exatamente mesma regra do Z-95 e do Hawker Hurricane. O F-16 é um caça relativamente barato, se comparado ao F-15 e ao custo de modelos anteriores com alto padrão tecnológico em suas épocas. Por ser mais barato, sua fabricação também pode ser mais rápida, e em maior quantidade, suplementando assim o F-15 como ponta de lança. O F-16 foi projetado para ser um caça polivalente, altamente manobrável e em condições de operar em qualquer situação. Com alta tecnologia e aviônica simplificada, ele tem inúmeras vantagens, e entre elas os seus já 30 anos de atuação. O F-16 apresenta outras características semelhantes ao Z-95 Headhunter, entre elas: 1) Tempo de uso em serviço; 2) capacidade de exercer multiplas tarefasa lém da caça e interceptação; 3) vem sendo constantemente atualizado e tem várias versões diferentes para diferentes propósitos; e 4) em comparação ao F-15, é inferior em alguns quesitos, mas exercendo importante e decisivo papel suplementar.
O F-16 carrega menos armamento, um total de sete toneladas aproximadamente, equipado com um único motor General Electric F110-GE-100, desenvolve a velocidade máxima de Mach. 2.05 (2.175 km/h) a mais ou menos 12.000 metros e Mach. 1.2 ao nível do mar (1.460 km/h). Está armado com um canhão de 20 mm M61 Vulcan, e cabides para foguetes, mísseis ar-ar, ar-terra, anti-navios, bombas variadas e até uma bomba nuclear B61.
Produzido, originalmente pela General Dynamics e a Lockheed Martin, seu objetivo era oferecer um substituto, inclusive, para os F-104 dos aliados da OTAN. Por fim, o F-16 ganhou a concorrência, e até hoje está em serviço não só nos EUA, mas em outros países. O Z-95 também poderia comparado com o Mirage 2000, que a FAB possui, mas ele não atende a todos os comparativos, deixando o F-16 como o melhor paralelo ao Z-95 que podemos encontrar na atualidade. Na Guerra do Golfo, durante a Operação Tempestade no Deserto, 25% das missões de caça foram realizadas por F-16s, com sucesso de 92%, nas missões, executando 13.500 missões. Também esteve em ação na Bósnia, Kosovo, Afeganistão e mais recentemente na Operação Iraque Livre. Na Tempestade no Deserto, apenas seis aparelhos foram abatidos, e porem 4 deles revelaram-se tão resistentes que puderam voltar a base e serem reparados.
_________________________________
 Agradecimentos: Ao Capt. Rocdi, do Portal Universo Star Wars, que me serviu como consultor de armas militares. Obrigado!

3 comentários:

  1. Otimas comparações e dados bem importantes para tal. Parabéns.

    Sem mais, meritíssimo xD

    Obrigado pelos agradecimentos

    Capt. Rocdi

    ResponderExcluir
  2. Rapaz, um espetáculo este teu blog. Parabens
    Frank

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...