terça-feira, 29 de maio de 2012

ATENÇÃO: PROJETO ANTI-PALMADA SERÁ VOTADO EM 30 DE MAIO

Julio Severo
PL 7672/2010, projeto que remove dos pais o direito de disciplinar os filhos, já está com redação final e será votado em 30 de maio na Comissão de Constituição e Justiça.
O projeto, do Poder Executivo (MSC 409/2010), está sob a relatoria do Dep. Alessandro Molon e visa transformar legalmente castigos físicos aplicados pelos pais em “agressão” e “violência”.
Graças a um acordo infame entre o governo petista e a bancada evangélica, o projeto foi aprovado no final do ano passado. A bancada evangélica alegou na época que não viu nada de errado no projeto.
Se o projeto virar lei, os pais que aplicarem castigos em seus filhos, pelo que foi alegado, serão encaminhados a programas oficiais de “proteção à família” e a cursos de orientação, tratamento psicológico ou psiquiátrico, além de receberem advertência. A criança disciplinada será encaminhada a tratamento especializado, e a família ficará sob “acompanhamento” e monitoração do Conselho Tutelar.
O projeto de lei também determina que profissionais públicos, médicos e professores que lidem diretamente com crianças devem denunciar casos de castigo físico quando souberem. Caso não denunciem as famílias que disciplinam, esses profissionais poderão pagar multa de três a 20 salários mínimos. A denúncia pode ser feita ao Conselho Tutelar ou a outra autoridade competente, como delegado, Ministério Público ou juiz.
O projeto está avançando sem a aprovação do povo. De acordo com uma pesquisa divulgado pelo Jornal Nacional em 2011, entre 9.616 pessoas consultadas, 85% disseram que são contra a chamada Lei da Palmada. Mas quem levou a melhor foi a minoria de 15% que é a favor e está tendo seus desejos atendidos pela Câmara dos Deputados, que por sua vez está atendendo às determinações do governo federal de criminalizar o direito dos pais de aplicarem castigos físicos nos filhos.
Embora evangélicos e católicos de todo o Brasil tivessem feito oposição ao projeto, a bancada evangélica ignorou completamente a opinião da maioria das pessoas, aprovando o projeto do governo em dezembro de 2011.
Quando informado de que mais de 80% das pessoas são contra o projeto, o deputado evangélico Eduardo Cunha declarou, no seu Twitter na época, que as crianças é que deveriam ser consultadas.
O deputado Pastor Marcos Feliciano, representante da bancada evangélica, chamou, em seu Twitter também na época, de xiitas e fanáticos os cristãos que se opuseram ao projeto. Sua postura só mudou depois de muita pressão, inclusive do Pr. Silas Malafaia, que disse: “Essa lei da palmada é mais uma palhaçada de deputado que não tem o que fazer e não entende nada de educação de filho… Quantos de nós já levamos uma boa chinelada, e nem por isso morremos, pelo contrário aprendemos a respeitar limites. O que estamos vendo é uma geração indisciplinada que não respeita ninguém, e ainda querem piorar as coisas. Isto está me cheirando a ideologia de governo. Querem se intrometer e determinar sobre a educação de nossos filhos. Não aceitamos!”
Depois da pressão, o Dep. Marcos Feliciano disse: “O projeto é desnecessário, iniquo e sem fundamento. A solução agora seria engavetá-lo”.
É perda de tempo citar a Bíblia para o governo de Dilma Rousseff. Mas precisamos lembrar à bancada evangélica e católica que milhões de brasileiros têm a Bíblia como referência. Sobre pais e filhos, a Bíblia ensina:
“Aquele que poupa sua vara [de disciplina] odeia seu filho, mas aquele que o ama o disciplina com diligência e o castiga desde cedo”. (Provérbios 13:24 Bíblia Ampliada)
“Os castigos curam a maldade da gente e melhoram o nosso caráter.” (Provérbios 20:30 NTLH)
“Não evite disciplinar a criança; se você bater nela e castigá-la com a vara [fina], ela não morrerá. Você a surrará com a vara e livrará a alma dela do Sheol (Hades, o lugar dos mortos)”. (Provérbios 23:13-14 Bíblia Ampliada)
“A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe”. (Provérbios 29:15 RA)
Para um estudo maior da Bíblia sobre o uso da vara da disciplina, clique aqui.
Com as palmadas agora sob ameaça de proibição legal , o que será de quem atende à orientação bíblica de corrigir com a vara?

Envie seu protesto ao Congresso Nacional

Telefone ou escreva agora mesmo ao deputado federal do seu estado. Consulte este link para ter o email e telefone dos membros da Comissão de Constituição e Justiça: http://www2.camara.gov.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/ccjc/membros
Telefone imediatamente para a Frente Parlamentar Evangélica: (61) 3215-5315
Faça contato com todos os membros da Comissão de Constituição e Justiça que quer aprovar o projeto do governo clicando aqui.

sábado, 26 de maio de 2012

ALERTA! ALERTA! COMISSÃO DE JURISTAS DO SENADO APROVA CRIMINALIZAÇÃO DA "HOMOFOBIA" NO NOVO CÓDIGO PENAL

Por Julio Severo


A comissão de juristas do Senado que discute a elaboração do novo Código Penal aprovou nesta sexta-feira a proposta que criminaliza o “preconceito” contra gays, transexuais e transgêneros. A proposta ainda precisa ser votado pelo Congresso.

O que a bancada evangélica e católica poderão fazer quando a fera estiver totalmente fora da jaula?
Com a mudança, a “homofobia” — que inclui a oposição ou contrariedade a qualquer das inumeráveis exigências dos supremacistas gays — fica igualada ao crime de racismo, que é imprescritível e inafiançável.

Isso significa que, se essa radical mudança no Código Penal virar lei, quem for acusado de preconceito contra a ideologia homossexual pode ser processado a qualquer tempo e preso como um criminoso, não podendo pagar fiança e ser solto.


Alguns comportamentos serão considerados crimes, como impedir o acesso de homossexual a uma vaga em empresa privada ou instituição de ensino. Se um homem que pratica o homossexualismo se candidatar a um emprego numa escola ou editora cristã e for recusado, ele pode fazer um boletim de ocorrência imediatamente.

A mudança no Código Penal também criminaliza o ato de demitir ou exonerar um homem baseado na prática homossexual dele.

O pacote anti-“homofobia” também inclui a criminalização da “discriminação” em meios de comunicação e na internet. O homossexual que se sentir ofendido com uma mensagem na televisão, rádio ou internet poderá tomar providências, pois de acordo com o novo Código Penal o “preconceito” ao homossexual será conduta considerada imprescritível (o discriminado pode processar a qualquer momento), inafiançável e não passível de perdão judicial ou indulto.

A pena prevista para o crime de preconceito ao homossexual vai de dois a cinco anos de prisão.
Se esse novo Código Penal for aprovado de forma definitiva pelo Congresso Nacional, o PT e Marta Suplicy não precisarão mais do PLC 122.

E nós não precisaremos mais de bancada evangélica ou católica, pois se não conseguem deter o monstro agora que está enjaulado, o que farão depois que o monstro estiver solto?

Com informações do Yahoo e outras mídias.

Fonte: www.juliosevero.com
Nota: Segue um comentário de um leitor do Blog do Julio Severo.
Erisvaldo disse...

Eu não gostaria de dizer exatamente o que eu penso em relação ao assunto deste artigo, mas, em virtude das circunstâncias (e considerando os acontecimentos atuais), eu não posso fugir ao que a minha consciência me manda dizer.


AVISO: Se, por algum acaso, eu usar um tom carregado na minha mensagem, não se espantem!

Diz um ditado popular que o brasileiro só fecha a porta da casa depois que o ladrão já entrou e roubou tudo! 

Eu diria isso de uma forma bem mais direta: MUITOS QUE SE DIZEM CRISTÃOS ESTÃO ESPERANDO QUE O CÓDIGO PENAL SEJA MODIFICADO A FAVOR DOS HOMOSSEXUAIS PARA FINALMENTE RESOLVER AGIR!

O que eu tenho a dizer a todos daqui é precisamente o seguinte (prestem bastante atenção):

- ENQUANTO FICARMOS DE BRAÇOS CRUZADOS, OS HOMOSSEXUAIS (E SEUS COMPARSAS) CONTINUARÃO A NOS BOMBARDEAR SEM A MÍNIMA PIEDADE OU COMPAIXÃO!

- ENQUANTO ALGUNS QUE SE DIZEM CRISTÃOS CONTINUAREM SENDO OMISSOS, COVARDES, FROUXOS, OU INDIFERENTES EM RELAÇÃO À SUJEIRA DESTE GOVERNO PRÓ–HOMOSSEXUALISMO, OS HOMOSSEXUAIS NÃO VÃO DESCANSAR ATÉ QUE O SEU OBJETIVO SEJA ATINGIDO (A APROVAÇÃO DO NOVO CÓDIGO PENAL, DO PLC 122 OU DE QUALQUER OUTRA LEI A FAVOR DELES)!

- ENQUANTO O POVO EM GERAL (E TAMBÉM OS EVANGÉLICOS) CONTINUAREM VOTANDO EM POLÍTICOS DE PARTIDOS ESQUERDISTAS, COMUNISTAS, MARXISTAS E SOCIALISTAS (OU ENQUANTO O POVO AINDA CONTINUAR VENDENDO O VOTO EM TROCA DO BOLSA–FAMÍLIA OU DE QUALQUER ASSISTENCIALISMO BARATO), NUNCA TIRAREMOS OS CORRUPTOS DO PODER!

- ENQUANTO OS SERVOS DE DEUS NÃO SAÍREM DA SUA INÉRCIA E NÃO PROTESTAREM (E NEM TOMAREM UMA ATITUDE FIRME E FORTE CONTRA O PECADO), OS HOMOSSEXUAIS VÃO CONTINUAR NA SUA BANDALHEIRA ATÉ O DIA EM QUE NÃO PODERÃO MAIS SER CENSURADOS POR NINGUÉM!

- ENQUANTO JESUS NÃO VOLTAR, A LUTA ENTRE O BEM E O MAL NUNCA VAI TER FIM!

DIZ UM DITADO POPULAR: "QUEM CALA, CONSENTE". EU NÃO QUERO SER VISTO COMO MAIS UM CÚMPLICE DESTE GOVERNO PODRE, CORRUPTO, SATÂNICO E IMORAL!

SE FOR PRECISO, EU MESMO IREI INVADIR SOZINHO O CONGRESSO NACIONAL PARA IMPEDIR A APROVAÇÃO DE QUALQUER LEI QUE SEJA A FAVOR DOS HOMOSSEXUAIS (NEM QUE EU SEJA PRESO OU MORTO)!

SE EU TIVER QUE SER PRESO POR AMOR À PALAVRA DE DEUS, EU VOU PARA A CADEIA SEM NENHUM MEDO (PORQUE EU CONFIO NO DEUS EM QUEM EU CREIO)!

SE EU TIVER QUE MORRER POR LUTAR CONTRA O PECADO, EU MORRO COM A CERTEZA DO DEVER CUMPRIDO (E SEI PARA ONDE EU IREI APÓS A MORTE)!

A MELHOR DEFESA É O ATAQUE! TEMOS QUE DAR UM BASTA NESSA IMORALIDADE QUE QUEREM NOS IMPOR!

CRISTÃOS DE TODO O BRASIL (E DE TODAS AS DENOMINAÇÕES), ESTÁ NA HORA DE SERMOS UNIDOS PARA ORARMOS E AGIRMOS CONTRA TODA E QUALQUER LEI QUE SEJA A FAVOR DOS HOMOSSEXUAIS!

A HORA DE AGIR É AGORA. OU TOMAMOS UMA ATITUDE AGORA, OU MAIS TARDE PAGAREMOS MUITO CARO PELA NOSSA PRÓPRIA OMISSÃO!

QUE ESTAS PALAVRAS SIRVAM DE ALERTA PARA MUITOS QUE SE DIZEM CRISTÃOS (E QUE AINDA CONTINUAM ACOMODADOS)!

"PARA QUE O MAL VENÇA, BASTA QUE OS HOMENS DE BEM NÃO FAÇAM NADA"

sexta-feira, 25 de maio de 2012

A CONFISSÃO DE XUXA

Por Julio Severo

Título Original - Fantástico: Xuxa diz que sofreu abuso sexual

Revelação irá abafar escândalo de filme de pedofilia que vem assombrando sua vida e carreira durante décadas?

No programa Fantástico de domingo passado, Xuxa alegou que sofreu abusos sexuais na infância. Supostamente, foram três homens.
Xuxa, no Fantástico, revelando-se vítima de pedofilia

Sua declaração forte trouxe uma alta em sua imagem num momento em que sua carreira já não tem o brilho que tinha antes. O brilho tem sido cada vez mais ofuscado por um sombrio esqueleto em seu armário: Em 1982 ela fez o papel principal do filme “Amor estranho amor”, que contém cenas de pedofilia explícita em que ela seduz um menino.

Xuxa, em filme pornô, fazendo
sexo com um menino de 12 anos
Xuxa vem travando uma batalha judicial sem tréguas para que o filme, que tem perturbado sua carreira e fama, não seja oficialmente comercializado em DVD. Seus produtores haviam chegado a exigir 100 mil reais por ano para manter o filme “extinto”. O desgaste com o obsceno filme pró-pedofilia tem sido um flagelo na fama e bolso da atriz.

A trajetória de Xuxa, com suas recentes revelações de pedofilia na infância, teve um início com contexto previsível. Sabe-se que ela, por costume da família ou vontade própria, gostava de andar nua dentro de casa quando era menina. Crianças de lares com tais “hábitos” não raramente enxergam com “naturalidade” o sexo.

MARTA SUPLICY E PLC 122: A VOLTA DA MENTIRA

Por inspiração de Obama, senadora homossexualista quer de volta PLC 122 do jeito da senadora derrotada Fátima Cleide

Julio Severo
Cansada da resistência do povo brasileiro, mas animadíssima com o recente mau exemplo de Obama apoiando o “casamento” gay, a senadora petista Marta Suplicy tomou a decisão, em 15 de maio, de retomar o texto do PLC 122 que havia sido proposto pela ex-senadora Fátima Cleide, a antiga relatora do PLC 122 que foi facilmente derrotada em seu estado exatamente por defender o supremacismo gay.
PLC 122: Gaystapo ataca de novo
Com a derrota de Fátima nas eleições de 2010, o PLC 122 foi sepultado no Senado, sendo desenterrado em seguida por Suplicy, que esperava que seu ativismo radical pudesse dar para o projeto supremacista gay o avanço que Fátima nunca conseguiu dar. Suplicy tentou de tudo, até mesmo dar uma concessão especial para que padres e pastores não fossem punidos se pregassem contra o homossexualismo dentro de suas igrejas.

terça-feira, 22 de maio de 2012

AS REINAÇÕES DE RICARDINHO

Por Demetrius Farias

Ricardo Gondim já se tornou uma figura polêmica no meio evangélico brasileiro e já está se tornando cada vez mais indigesto a cada declaração que faz na internet ou em suas pregações. Nos últimos anos, ele vem fazendo uma série de afirmações que têm chamado a atenção de muitos pastores e líderes cristão para o que seria um nítido afastamento de Gondim das doutrinas mais ortodoxas do cristianismo para um viés mais liberal.

Para quem não o conhece, Ricardo Gondim Rodrigues é pastor e teólogo brasileiro, presidente nacional da Assembléia de Deus Betesda, conferencista de renome e presidente do Instituto Cristão de Estudos Contemporâneos, sendo um autor premiado de vários livros e artigos. É colunista em alguns meios de comunicação e apresentador de um programa de rádio. Recentemente ele foi desligado da publicação evangélica Revista Ultimato e tem comentado alguns temas abordados na série televisiva Sagrado, apresentado na Rede Globo e no Canal Futura.

Eu não quero difamar Ricardo Gondim, mas não seria possível para mim o silêncio diante de fatos grotescos quanto a este homem. Meu intuito aqui é mostrar como Ricardo Gondim tem deixado a sã doutrina em prol de uma filosofia liberal e como suas declarações demonstram este progressivo distanciamento de verdade bíblicas.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

SERÁ MESMO QUE O TEXTO DE MARTA SUPLICY DE COMBATE À HOMOFOBIA É ACEITÁVEL? RESPOSTA:"NÃO!"

15/05/2012 às 18:27
Por Reinaldo Azevedo


A dita lei anti-homofobia, mesmo na versão amenizada que está no Senado, é um coquetel de inconstitucionalidades. Isso não quer dizer que, se submetida à análise do Supremo, não vá ser considerada mais um primor do direito criativo, uma área em que o Brasil está virando craque. No post anterior, lemos que a senadora Marta Suplicy quer pressão da sociedade para aprovar a tal lei. “Pressão da sociedade” significa a organização de grupos da militância gay em favor da lei — e, obviamente, o silêncio de quem é contra o texto. E é evidente que se pode ser contra não por preconceito contra os gays, mas porque a lei ofende o bom senso e cria uma casta de aristocratas sob o pretexto de combater a homofobia.


Como sempre faço, exponho a lei que está sendo discutida, em vez de escondê-la, como faz a maioria. Abaixo, segue em azul a proposta que está no Senado, relatada pela senadora Marta Suplicy. Atenção! O que vai em vermelho aparece no texto da lei na forma de reticências porque remete a artigos do Código Penal. Incluí aí para que fique claro do que estamos falando. Se quiser, veja a íntegra antes de ler o comentário que faço.

PÚBLICO PEQUENO

Título Original: Com público pequeno, Marcha contra a homofobia pede aprovação do PL 122

Marco Feliciano acusa Marta Suplicy de usar Marcha para pressionar governo


Gospel Prime - Por Michel Caceres
17/05/2012

Nesta quarta-feira em Brasília cerca de 500 pessoas estiveram em frente à Praça dos Três Poderes para a 3ª Marcha Nacional contra a Homofobia, segundo a Polícia Civil. Um número pequeno, já que os organizadores esperavam cerca de 1,5 mil pessoas de todos os estados do país.

O principal tema discutido durante as manifestações foi o PLC 122/2006 que criminaliza a opinião contra a prática homossexual. Além de pedir a aprovação do PL os manifestantes pediam que o governo federal definisse um orçamento para financiar o Plano de Promoção dos Direitos Humanos e Cidadania LGBT, para a elaboração e a aplicação de políticas públicas, principalmente nas escolas, voltas a gays, lésbicas, travestis e transexuais.

RETOMANDO VIGILÂNCIA TOTAL: MARTA SUPLICY(CIO) CONFIRMA QUE IRÁ APRESENTAR O TEXTO ORIGINAL DO PLC 122, A VERSÃO MAIS MAQUIAVÉLICA DO PROJETO

Senadora petista aceitou o pedido da comunidade LGBT e vai tentar aprovar o texto original apresentado pela ex-senadora Fátima Cleide

16/05/2012

A senadora Marta Suplicy está decidida a reapresentar o texto original do Projeto de Lei Complementar 122/2206 de autoria da ex-senadora Fátima Cleide a pedido da comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros).


O texto original defende uma versão modificada do texto da ex-deputada federal Iara Bernardi que coloca a homofobia como crime de racismo, prevendo penas de prisão para quem discriminar ou discordar do comportamento homossexual.


No ano passado, Marta Suplicy tentou rever o projeto tirando trechos que desagradavam os parlamentares que se opõe à proposta, mas a substituição do texto também não ganhou aprovação.

MARTA SUPLICY(CIO) QUER PRESSÃO DO POVO PARA APROVAÇÃO DO PLC 122

PLC 122 não tem apoio do povo, mas tem apoio incondicional de esquerdistas, supremacistas gays e grande mídia

Anos de incessante e incondicional apoio da grande mídia brasileira foram insuficientes para vencer resistência da população ao projeto de supremacismo homossexual

Por Julio Severo

A senadora Marta Suplicy (PT-SP), em entrevista nesta terça-feira, 15, disse que só por pressão da sociedade o PLC 122 poderá ser aprovado.

Na verdade, a pressão do povo já foi mostrada, várias vezes. E a motivação é clara: o povo não quer “casamento” gay, adoção de crianças por duplas gays, imposição de doutrinação gay nas escolas, etc. É simples assim: O POVO NÃO QUER. Com base em pesquisas de instituições ligadas ao PT, o governo brasileiro chegou à conclusão, em 2009, de que 99% da população brasileira se opõem, em maior ou menor grau, à homossexualidade.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

10 LIÇÕES QUE "OS VINGADORES" PODEM ENSINAR À IGREJA

Por Greg Stier


1. É difícil fazer com que eles lutem juntos, mas quando decidem fazê-lo, as pessoas são salvas (Filipenses 1:27).

2. Eles aprenderam a lidar bem com as diferenças (Gálatas 3:28).

3. Bruce Banner (Hulk) tem um grande “poder interior” que ele pode usar a qualquer momento (Efésios 6:10).

4. O Homem de Ferro tem uma armadura impenetrável e sabe como usá-la (Efésios 6:13).

5. O Capitão América tem um poderoso escudo e sabe como usá-lo (Efésios 6:15).

6. Thor empunha uma arma capaz de destruir o inimigo (Efésios 6:17).

7. Hulk não se curva diante de outros deuses [Thor, Loki] (Êxodo 20:3).

8. Eles não têm um plano de ataque. Eles só têm um plano… ATAQUE! (Tiago 1:22).

9. Seu líder tem cicatrizes (Isaías 53:3-6).

10. Eles estão unidos por um objetivo comum (Mateus 28:18-20).

NOTA: Greg Stier is the President and Founder of Dare 2 Share Ministries in Arvada, Colo., where he works with youth leaders and students, equipping them to be effective in sharing the gospel. With experience as a senior teaching pastor and in youth ministry for almost 20 years, Greg has a reputation of knowing and relating to today's teens. He is widely viewed as an authority and expert teen spirituality. He is known for motivating, mobilizing and equipping teens for positive change. For more information on Dare 2 Share Ministries and their upcoming conference tour and training resources, please visit www.dare2share.org

segunda-feira, 7 de maio de 2012

VÍDEO: PSICÓLOGA MARISA LOBO FAZ SUA DEFESA NO YOUTUBE

CENAS FORTES: CRISTÃO ROMANOS NA ARENA DOS LEÕES


Que cristão hoje teria coragem de sofrer tamanha provação de fé e não negar a Cristo na pior em face da horrível morte que o aguarda? Estariam dispostos os liberais? Os adeptos da filosofia da prosperidade? Estariam dispostos os que só pregam triunfalismo, vitória e benção financeira na Terra? Edir Macedo e Valdomiro estariam dispostos? Esta multidão de novos convertidos em igrejas "Ore e Pague" estariam dispostos? Foram ensinados que no mundo o cristão também passa por aflições? Estariam dispostos os que fazem "beicinho" e dizem estarem decepcionados com Deus e com a sua igreja local por motivos egoístas? Estariam dispostos os que pisam a Graça de Deus em nome de uma falsa "liberdade cristã" onde tudo pode e tudo é puro, onde o pecado é relativizado e o escândalo é cometido a pretexto de que "uns comem carne e outros apenas legumes"? Estariam dispostos pastores rebeldes que caluniam sua liderança e arrebanham para si seguidores de uma mesma estirpe? Estariam dispostos os que mentem e roubam e no domingo estão orando e cantando com as mãos levantadas para o céu? Estariam dispostos os adeptos da Teologia Relacional e o Teísmo Aberto? Estariam dispostos os radicais da tal Igreja Emergente? Estariam dispostos os que negam o dízimo e roubam a Deus, usando a própria bíblia para combater a heresia da "Prosperidade" com outra heresia igualmente diabólica? Estariam dispostos a morrer na arena dos leões eu ou você?

Assistam ao vídeo e reflitam sobre sua fé.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

FOLHA DE S. PAULO: EDITORIAL FAZ APOLOGIA AO SFT E SUA INTROMISSÃO EM ASSUNTOS DO CONGRESSO E CRITICA EVANGÉLICOS

Por Demetrius Farias

No último dia 29/04, o editorial do jornal Folha de S. Paulo acusou parlamentares evangélicos de "tentar aplicar um golpe contra o Poder Judiciário do país". O "Estadão", jornal esquerdista, amoral e de apoio ao governo, critica as bancadas religiosas - em especial as evangélicas - do Congresso Nacional pela aprovação no CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados de um Projeto de Emenda Constitucional que prevê a anulação de decisões do STF (Supremo Tribunal Federal) que venham a ser notórias invasões à prerrogativas do Legislativo ou distorções do texto da Constituição. O editorial afirma que este projeto seria uma espécie de vingança dos evangélicos contra a recente decisão do STF sobre a legalização da prática do aborto fetos anencéfalos.

Segundo o "Estadão", a proposta de autoria do deputado Nazareno Fonteles (PT/PI), tem forte apoio entre católicos e evangélicos, e visa “mudar decisões do STF coerentes com o caráter laico do Estado brasileiro”, tais como (na visão esdrúxula do jornal) o reconhecimento da união estável de homossexuais e a autorização para o aborto de anencéfalos.

O jornal ainda tem a audácia de dizer que a Frente Parlamentar Evangélica da Câmara dos Deputados gostaria “que todos os brasileiros fossem submetidos a normas que espelhassem as suas crenças particulares, como nos países islâmicos regidos pelas leis da sharia, baseada no Corão”.

Leia o editorial em sua íntegra - com comentários do blogueiro:


29 de abril de 2012 - O Estado de S.Paulo
Uma proposta de estarrecer
Está em curso na Câmara dos Deputados uma tentativa de golpe contra o Judiciário. (Eu não consigo imaginar que golpe seria este, se o projeto visa colocar "cada macaco em seu galho") Na quarta-feira, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa acolheu por unanimidade um projeto de emenda constitucional que autoriza o Congresso a "sustar os atos normativos dos outros Poderes que exorbitem do poder regulamentar ou dos limites da delegação legislativa". A Constituição já lhe assegura esse direito em relação a atos do gênero praticados pelo Executivo. (Agora é a vez do Judiciário ser freado nas suas incursões legislativas, que não é atribuição sua, e que vêm marcadas de motivações político-partidárias.)
A iniciativa invoca o artigo 49 da Carta que inclui, entre as atribuições exclusivas do Parlamento, a de "zelar pela preservação de sua competência legislativa em face da atribuição normativa dos outros Poderes". Poderia parecer, portanto, que a proposta pretende apenas afirmar a plenitude de uma prerrogativa legítima do Congresso, adequada ao princípio republicano do equilíbrio entre os Três Poderes, uma das bases do regime democrático. Antes fosse. (Não cabe a este jornal se opor a este projeto se ele, por quais sejam suas motivações, tem por objetivo evitar a confusão de papéis entre o Legislativo e o Judiciário. Mas ele assim o faz, porque é aliado ao governo e, por conseguinte, apoiador das decisões absurdas do STF, que por sua vez é subserviente aos interesses do PT e sua base aliada.)
O alvo do projeto apresentado em fevereiro do ano passado pelo deputado Nazareno Fonteles, do PT piauiense, é o Supremo Tribunal Federal (STF), ao qual compete se pronunciar sobre a constitucionalidade das leis e a eventual infringência dos direitos constitucionais da pessoa. Alega o relator da proposta na CCJ, Nelson Marchezan, do PSDB gaúcho, que ela não alcança as decisões de natureza "estritamente jurisdicional" da Corte, mas o que ele considera a sua "atividade atípica".
O termo impróprio se refere às decisões judiciais que, por sua própria natureza, adquirem força de lei, como devem ser efetivamente aquelas que dirimem em última instância dúvidas sobre a constitucionalidade dos textos legais ou eliminam omissões que, ao persistir, representam uma distorção ou supressão de direitos. O Judiciário não ultrapassa as suas funções ao estabelecer novos marcos normativos, seja porque os existentes são inconstitucionais, seja para suprir lacunas resultantes da inoperância do Congresso. (Inoperância apenas quando não se aprovam projetos de interesse dos partidos da situação e que, muitas vezes, são inconstitucionais, ou ferem a consciência do povo.)
De mais a mais, a Justiça não toma tais iniciativas, ou outras. Ela só se manifesta quando provocada por terceiros - no caso do Supremo, sob a forma de ações diretas de inconstitucionalidade e arguições de descumprimento de preceito fundamental. Fica claro assim que a emenda Nazareno carrega dois intentos. No geral, bloquear a vigência de normas que o estamento político possa considerar contrárias ao seus interesses, a exemplo de determinadas regras do jogo eleitoral. (Muito cômodo e tolo, já que em anos eleitorais, qualquer coisa que veja contra o governo tida como uma ameaça eleitoral. A verdade é que não se pode ficar parado vendo o STF rasgar a Constituição diante de toda a nação por duas vezes - união estável homossexual e aborto de anencéfalos - e ficar por isso mesmo. Gerou ciúme nos deputados e senadores? Gerou sim, e com razão. Causou indignação no país? Sim, causou. E é por isso que este projeto deve ser aprovado.)
No particular - e muito mais importante -, o que se quer é mudar decisões do STF coerentes com o caráter laico do Estado brasileiro. Em maio do ano passado, julgando ações impetradas pela Procuradoria-Geral da República e pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, a Corte reconheceu a união estável de casais do mesmo sexo. Há duas semanas, diante de ação movida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Saúde, autorizou o aborto de fetos anencéfalos. (A velha mania de evocar o princípio do estado laico, confundido com o estado laicista. Não há, e desafio este jornal socialista a provar o contrário, decisões do STF quanto aos dois temas em debate, que sejam coerentes com o Brasil e a opinião da maioria de seus cidadãos. Ambas foram arbitrárias, invasivas quanto ao poder do Congresso e inconstitucionais. Ambas atendiam a interesses de setores menores e que são apoiadores do governo e sua política. Querem algo mais eleitoral do que isso?)
À época da primeira decisão, as bancadas religiosas da Câmara, notadamente a Frente Parlamentar Evangélica, presidida pelo deputado João Campos, do PSDB goiano, não conseguiram incluir na pauta da CCJ o projeto de Nazareno. Agora, a pressão funcionou. Em tempo recorde, a proposta entrou na agenda, foi votada e aprovada. Tem um longo caminho pela frente: precisa passar por uma comissão especial e por dois turnos de votação na Câmara e no Senado, dependendo, a cada vez, do apoio de 3/5 dos parlamentares.
Mas a vitória na CCJ - uma desforra contra o Supremo - chama a atenção para a influência dos representantes políticos daqueles setores que gostariam que todos os brasileiros fossem submetidos a normas que espelhassem as suas crenças particulares, como nos países islâmicos regidos pelas leis da sharia, baseada no Corão. Não é uma peculiaridade brasileira. Pelo menos desde 1973, quando a Corte Suprema dos Estados Unidos legalizou o aborto, a direita religiosa do país deplora o seu "ativismo". (É vergonhoso para o autor, ou autores deste editorial, comparar as ações dos governos fundamentalistas islâmicos no Velho Mundo com a atuação dos parlamentares cristãos do Congresso que lutam para barra os absurdos que são proposto para o país e que ferem a moral, a família e os princípios cristãos que moldam a sociedade brasileira, que é religiosa e se orgulha disto. É de uma hipocrisia sem tamanho, fazer tal comparação e apoiar um governo que "dá a mão para países como o Irã, ignora falsas democracias como a Venezuela de Hugo Chaves e faz vista grossa para Cuba e suas violações aos Direitos Humanos. Aliás, Direitos Humanos só serve quando evocado para abortistas e militantes LGBTs, criminosos e para de movimentos ruralistas que agem de forma ilegal.)
A diferença é que, ali, nenhum parlamentar, por mais fundamentalista que seja, ousaria propor a enormidade de dar ao Congresso o direito de invalidar uma decisão da mais alta instância do Judiciário. Seria um escândalo nacional. (Mas lá mudam-se as leis e os poderes se vigiam para não entrarem na esfera do outro. Aqui, pelo menos, ainda se quer fazer o primeiro, embora o segundo seja algo ruim para a atual política da União.)
É com este espírito que o Estadão que se afirmar no país, aplaudindo os desmandos do STF, a despeito da Constituição Federal e das atribuições do Congresso Nacional, coisa que não lhe diz respeito? Pois que se saiba neste país, que enquanto ainda houver cristãos praticantes e sérios no Brasil, iremos dar combate a estas ideologias imorais e amorais, defendendo sempre a família, a moral cristã que moldou a nossa sociedade ocidental por quase 2.000 anos, o Direito à Vida, o Direito a Culto e a Liberdade de Expressão.

Fontes:

ATIVISTA GAY CHAMA ESTUDANTES CRISTÃOS DE "MARICAS"

Dan Savage (47). Contra o bullying???
03/05/2012

Por Dan Martins

Ativista gay chama estudantes cristãos de “maricas” durante discurso anti-bullying em conferência nacional de jornalismo


Durante uma conferência de jornalismo que aconteceu em Seattle, nos Estados Unidos, um discurso do escritor e ativista Dan Savage causou revolta em um grupo de estudantes cristãos. O que era para ser uma manifestação contra o bullying nas escolas, se transformou em uma série de ataques ao cristianismo e aos cristãos presentes no evento.

Quando o ativista começou a atacar os argumentos bíblicos contra a homossexualidade, alunos que discordavam de seus argumentos começaram se retirar do auditório. Diante dessa recusa Savage chamou os alunos cristãos de “maricas” e afirmou que é preciso combater todas as “besteiras” que estão contidas no texto sagrado dos cristãos.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

SILAS MALAFAIA: UMA VITÓRIA POR QUANTO TEMPO?

Juiz federal entende que mensagem de Malafaia não foi contra o homossexualismo, mas contra ofensa da Parada Gay aos símbolos católicos

Por Julio Severo

O Pr. Silas Malafaia, presidente e fundador da Igreja Assembleia Vitória em Cristo, experimentou vitória contra ações do Ministério Público Federal incitadas pela ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros), a maior organização homossexual do Brasil.

No entender da ABGLT, Malafaia incitou violência e ódio aos homossexuais quando disse: “É para a Igreja Católica ‘entrar de pau’ em cima desses caras, sabe? 'Baixar o porrete' em cima pra esses caras aprender”.

VITÓRIA DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Por Reinaldo Azevedo

Título Original: Juiz extingue ação contra pastor Malafaia e deixa claro: ele não foi homofóbico, e a Constituição brasileira não comporta a censura sob nenhum pretexto

01/05/2012 - 07:21h


O juiz federal Victorio Giuzio Neto, da 24ª Vara Cível de São Paulo, extinguiu ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal contra o pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus, contra a TV Bandeirantes e também contra a União. Vocês se lembram do caso: no programa “Vitória em Cristo”, Malafaia criticou duramente a parada gay por ter levado à avenida modelos caracterizados como santos católicos em situações homoeróticas. Já escrevi alguns posts a respeito. Aquele em que em exponho detalhes do caso está aqui . Ao defender que a Igreja Católica recorresse à Justiça contra o deboche, Malafaia afirmou o seguinte:
“É para a Igreja Católica entrar de pau em cima desses caras, sabe? Baixar o porrete em cima pra esses caras aprender. É uma vergonha!”
Acionado por uma ONG que defende os direitos dos gays, o Ministério Público Federal recorreu à Justiça, acusando o pastor de estar incitando a violência física contra os homossexuais. Demonstrei por que se tratava de um despropósito. E o que queria o MPF? Na prática, como escrevi e também entendeu o juiz Victorio Giuzio Neto, a volta da censura. Pedia que o pastor e a emissora fizessem uma retratação e que a União passasse a fiscalizar o programa.

O dEUS DO ALCORÃO É O MESMO DEUS DA BÍBLIA?

Por Magno Paganelli


No post anterior tratei a questão da confusão entre os nomes dados por árabes e judeus a quem chamam “Deus”. Jeová (Yahweh) é o Deus judaico-cristão e árabes e muçulmanos têm Allah como expressão da maior divindade. A questão equacionou a confusão que não interessa aos cristãos, de confundir a adoração devida a Jeová. Ao profeta do Islã, Mohammad, interessava aproximar-se de judeus e cristãos, pois se conseguisse convencê-los teria muitos possíveis seguidores. Mas Jeová e Allah são essencialmente distintos.

O ISLÃ NO BRASIL E NO OCIDENTE

Por Magno Paganelli


O Islã vem aí; a bem da verdade já chegou. O avanço islâmico para o ocidente usa a mesma estratégia do Cristianismo quando faz missões. Os estrategistas islâmicos acreditam que o próprio Allah, prevendo a necessidade de fundos para financiar o avanço missionário muçulmano, confiou as reservas mundiais de petróleo às nações muçulmanas. 1

O espaço disponível aqui para esta questão da expansão islâmica é pequeno. No entanto, quero destacar alguns pontos-chave que indicam a mobilização islâmica neste sentido.

O Islã tem disposto não de um, mas de três meios pelos quais demarca o seu território nos países ocidentais: imigração, conversão e natalidade. Em todos os países da Europa e nos Estados Unidos a população árabe muçulmana imigrante cresceu, além dos descendentes nascidos nessas regiões.

Na Inglaterra. Nos últimos 30 anos a população muçulmana cresceu de 28 mil para 2,5 milhões de pessoas. Na França em 2008 eram 5 milhões. Na Holanda, 50% dos recém-nascidos são crianças muçulmanas. Na Bélgica, 25% da população e 50% dos nascimentos é de muçulmanos. O Governo daquele país declarou que em 2025, um terço dos recém-nascidos na Europa será de famílias muçulmanas. Declaração semelhante foi feita pelo Governo Alemão, que disse prever a Alemanha como um país muçulmano até 2050.

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...