segunda-feira, 9 de maio de 2011

SÉRIE MEIOS DE GUERRA: X-WING

Caças X-Wing e Y-Wing em direção ao ataque a Estrela da Morte
(Star Wars - Episódio IV: A New Hope)

Por Darth Metrius

Recentemente eu tive a idéia de retomar uma das coisas que mais gosto de fazer ao escrever os meus artigos para o Sithlord: é compara os elementos de Star Wars com elementos de nossa realidade e nossa história. Como na série anterior, "Paralelos", meu intuito é trazer mais uma vez a nossa realidade para próximo de Star Wars e assim podermos admirar as possíveis e fascinantes comparações entre elas. Nesta nova série, "Meios de Guerra", vou descrever e traçar paralelos entre as armas de combate utilizadas na Galáxia Star Wars, principalmente no período compreendido antre 32 BBY a 4 ABY, período este em que compreende-se a Hexalogia de "Guerra nas Estrelas". Ou seja: vamos falar de algumas naves e veículos que vemos nos filmes clássicos e na nova trilogia, comparândo-os com os meios de guerra do passado e do presente de nossa história e verificando suas semelhanças.

Incon T-65 X-Wing
Neste artigo, vamos reiniciar nossa viagem entre paralelos, abordando uma das mais famosas armas da Aliança Rebelde, durante os muitos anos da Guerra Civil Galáctica, o caça Incom T-65 X-Wing.

A Arma:O T-65 X-Wing é um caça de superioridade espacial, projetado e fabricado pela Incom Corporation, antes desta ser estatizada pelo Império Galáctico. O Caça, inicialmente, seria entregue ao Império, mas com a empresa foi absorvida pelo Estado, o ultraje decretou o fim do projeto para o imperador. Toda a cúpula da empresa e seus projetistas, ajudados por um grupo rebelde, fugiu com o projeto e os protótipos do modelo, passando estes a serem produzidos pelos rebeldes. Seu custo de venda era de 150.000 créditos imperiais, para um caça novo, ao passo que um veículo já usado, girava em torno de 90.000 créditos. Considerando que o modelo teve muitas variantes ao longo dos anos, seu tamanho médio era de 12,5 metros de comprimento. Com os escudos ligados, o X-Wing pode chegar, na atmosfera, a velocidade máxima de 1.050Km/h, com uma aceleração de até 3.700 G. Era equipado com um Hiperpropulsor classe 1.0 e escudos defletores, que lhe garantiam superioridade sobre os caças TIE do Império, já que estes recursos lhe garantiam uma boa defesa (além da própria blindagem na fuselagem que era feita de uma liga de titanium) e dispensava bases de operação próximas, já que poderia viajar sozinha no espaço profundo a velocidade da luz. Além de muitos outros recursos, o X-Wing poderia utilizar um dróide astromecânico como navegador, possuia um sistema de suporte de vida e comunicação avançados. Sua principal característica são as asas em "X", daí o nome. Seu armamento era pesado; possuia quatro canhões laser de longo alcance e mais dois lançadores de torpedos de prótons, cada um com carga de até três torpedos. Sua propulsão é feita por quatro motores logo atrás da cabine do piloto e a sua capacidade de combustível é de uma semana.
O X-Wing é empregado para o combate e escolta. Ele consegue reunir o melhor da velocidade, manobrabilidade e versatilidade, sendo um caça completo e considerados um dos melhores da galáxia. Foi empregado por anos, passando por vários modelos e atualizações, provando que mesmo com o tempo, sua qualidade provava seu valor. Lutou toda a Guerra Civil Galáctica, e ainda serviu a Nova República e a Aliança Galáctica. O modelo original, T-65AC1, foi paulatinamente sendo modificado até chegar no modelo AC4, que possuia melhor blindagem, maior poder de fogo e escudos mais fortes, podendo chegar a velocidade do caça A-Wing, o mais rápido da galáxia.
O X-Wing é um descendente direto que outro caça que foi muito utilizado pela Aliança Rebelde, o Z-95 Headhunter, que por sua vez foi projetado visando as melhorias necessárias ao antigo ARC-170 Starfighter. Seu batismo de fogo foi na Batalha de Turkana, em 0.5 BBY, sendo importante para a vitória rebelde e enfrentando pela primeira vez um oponente a altura, os caças imperiais TIE-Interceptor, que na época estavam em fase de teste. É creditado ao X-Wing a façanha de ter sido o veículo utilizado por Luke Skywalker para destruir a primeira Estrela da Morte. Também foi um X-Wing, juntamente com o famoso cargueiro Millenium Falcon, o crédito da destruição da segunda Estrela da Morte, na Batalha de Endor. Com o passar dos anos, a Nova República planejava substituir os X-Wing pelo novo caça E-Wing, mas problemas com o projeto e as armas do novo caça fizeram com que ele fosse introduzido tardiamente, sem que a Nova República deixasse de produzir e empregar o X-Wing em seus esquadrões. O famoso Esquasdrão Rogue, que possuia os melhores pilotos, era conhecido por utilizar exclusivamente o modelo X-Wing. Durante a Guerra contra os alienígenas Yuuzhan Vong, o modelo XJ foi produzido par ser um Caça Jedi, e as variantes originais ou mais antigas foram convertidas no modelo T-65BR, para reconhecimento.
Supermarine Spitfire
Paralelos:O X-Wing é um caça que pode ser comparado a alguns modelos de aviões de guerra de nossa história e atualidade. O primeiro aparelho a que o X-Wing se assemelha, principalmente pelas inúmeras qualidades que podem ser listadas e o caça britânico Supermarine Spitfire (Cuspidor de Fogo). Durante a Segunda Guerra Mundial, o Spitfire foi o único caça aliado que operou durante todo o conflito, assim como o X-Wing. Muitos outros caças aliados e mesmo da RAF (Royal Air Force), ao longo do conflito se mostraram melhores, mas mesmo assim, devido a sua eficácia, beleza e prestígio, ele foi convertido em várias versões e modelos, desde o original Mk. I até o Mk. 24. Foi projetado em 1936 e entrou em serviço em 1938, na versão Mk. I, e sua consagração se deu na famosa Batalha da Inglaterra (1940). O Spitfire se revelou superior ao melhor caça alemão, o mortífero Messerschmitt Bf-109, lutando em médias e altas altitudes. A semelhança do X-Wing, o Spitfire tinha um raio de ação maior do que o Bf-109 e as suas muitas versões, o avião foi equipado com um motor Rolls-Royce Merlin ou Griffon que lhe conferiam - na versão Mk. I - 1030 hps de força, com uma velocidade máxima de 582 km/h, podendo atingir a altitude de quase 10.000 metros. Sua distribuição de armas era semelhante: O Spitfire podia contar com quatro metralhadoras de 7.7 mm, dois canhões de 20 mm, possuindo ainda dois cabides para bombas de 113 kg. Igualmente ao X-Wing, o Spitfire passou por muitas atualizações e melhorias. Na versão Mk. XIV, o Spitfire se tornou o caça mais veloz do mundo (1944), chegando a velocidade máxima de 720Km/h, e ganhou ainda mais poder de fogo. Lutou toda o conflito e ainda serviu na Guerra da Coréia, sendo retirado de serviço somente em 1955.
F-15C Eagle
Um caça moderno que pode ser comparado ao X-wing: é o igualmente famoso McDonnell Douglas F-15 Eagle. Projetado para ser um caça tático altamente manobrável, é a ponta de lança da USAF (United States Air Force). Entrou em serviço em 1974, e foi concebido para o Combate Ar-Ar, de modo que sua aviônica é destinada para de um único piloto possa realizar todo o trabalho com facilidade. Seus dois motores estão equipados com pós-combustores que lhe garante mais aceleração e velocidade máxima de impressionantes 2.660 km/h (Mach 2.5). É armado com um canhão giratório M61 Vulcan de 20mm, 8 mísseis e mais 7.000 quilos de bombas. Seu raio de ação é de até 4.631 km, o que lhe permite operações de longo tempo. Devido a estas características e a sua espantosa capacidade de ascenção e operar em um teto de até 19.800 metros, o F-15 foi cogitado para ser uma plataforma secundária de armas para o programa militar espacial "Iniciativa Estratégica de Defesa" (apelidado de "Programa Star Wars"), do ex-presidente americano Ronald Reagan, durante a Guerra Fria. Ele é, em outras palavras, um "assassino de satélites" (Death Star?). Também deram um apelido para o F-15, na ocasião: "Star Wars Spacecraft". Até hoje, nenhum dos F-15 existentes foi abatido em combate por um outro avião inimigo. As casualidades envolvendo estes aparelhos resumem-se a um acidente evolvendo dois F-15s japoneses, em um treinamento com armas reais, ou seja, "fogo amigo"; e dois caças abatidos durante a Primeira Guerra do Golfo (1990-91), por artilharia anti-aérea. O F-15, hoje é um dos caças com mais atualizações de modelos da USAF, e de outras forças aéreas no mundo. Tal como o nosso X-Wing, a sua eficiência e qualidade como plataforma de combate lhe garantem uma sobrevida ainda maior. Ele possui um rival a altura, o caça russo Sukhoi Su-27, que poderiamos dizer que seja o TIE Interceptor da vida real. Em 2009, foi anunciado que o modelo F-15 SE Silent Eagle está em testes, uma versão Stealth, e que ficará ao lado do F-22 Raptor, substituto dos modelos A, B e C. Ou seja, ainda veremos o F-15 voando por aí por mais um longo tempo, assim como os filhos e netos de Anakin Skywalker puderam ver o X-Wing em ação na galáxia.


Nota: Um amigo meu do Universo Star Wars comentou o artigo lá no Sithlord.com.br e disse que o famosíssimo F-14 Tomcat poderia ser mais próximo em comparação ao X-Wing do que o F-15 Eagle. Verdade! Realmente é uma comparação notável, ainda mais se levarmos em conta as asas de geometria variável que o F-14 possuia. Porém, a minha escolha para o F-15 deu pelos seguintes critérios: 1) Ele também possui uma versão embarcada (embora o F-14 tenha sido projetado para ser quase exclusivamente embarcado); 2) Seu tempo de serviço, que está sendo bastante longo, tendo em vista que outros aparelhos de sua época já foram aposentados; 3) suas versões e atualizações que lhe permita sobreviver por muito mais tempo nas forças armadas de alguns países e até dos EUA; 4) Assim como o X-Wing, o F-15 é um caça interceptador, destinado ao combate e a superioridade aérea, já o F-14, além de interceptador, tem as função de defesa da frota, reconhecimento e ataque ao solo, funções estas que o X-Wing não foi projetado. Bem verdade que na Batalha de Yavin, o X-Wing realizou, nas mãos de Luke Skywalker, a missão de ataque ao solo, mas a Operação Skyhook, nome dado a missão de ataque a Estrela da Morte, destinava o Esquadrão Ouro composto de Y-Wings, para efetuar o ataque ao solo; os X-wings seriam o apoio, desviando a atenção dos caças TIE e abatendo-os. No frigir dos ovos, todos os aparelhos citados, em algum momento, tem que realizar missões secundárias, e para tal, são armados de acordo. Todos os X-Wing, por exemplo, possuem torpedos de prótons.



Publicado originalmente no: http://www.sithlord.com.br/serie-meios-de-guerra-x-wing.html#ixzz1Lrk2ptEk, em 03 de maio de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...