terça-feira, 4 de maio de 2010

O QUE É STAR WARS?


Por Darth Metrius
Longe do título ser uma pergunta de uma pessoa que nunca ouviu falar de Star Wars, ou ser proveniente de alguém que jura de pés juntos que já assistiu o “Guerra nas Estrelas”, aquele filme que tem um robôzinho azul e branco e um cara de orelhas pontudas…, como se chama mesmo…, sim: Dr. Spok; a verdade é que o tema que desejo abordar desta vez é se Star Wars é ou não uma obra de Ficção Científica. Tudo começou a alguns anos atrás, quando debatia em uma comunidade do Orkut sobre o assunto. Na verdade o debate se iniciou quando alguns fãs de Star Wars se defrontaram com alguns Trekkies que argumentaram que Star Wars era obra de fantasia, sem conter absolutamente nada de ficção científica, sendo apenas a franquia Star Trek embasada em ciência. Cheguei inclusive a trazer o debate para o então Portal Jedi Master na época e argumentei alguns pontos que, ao meu ver, definiam Star Wars como uma obra baseada em ciência também.


Geralmente alguns fãs de Star Trek tentam descreditar Star Wars, utilizando o argumento de que Star Trek é muito mais científico do que Star Wars. Minha resposta costumeira é que Star Trek é tão fantasia quanto Star Wars é ficção científica. Fato é que George Lucas, ao conceber Star Wars, não se preocupou em passar horas dos filmes explicando como funciona um Escudo defletor ou como Chewbacca faria funcionar o hiperdriver da Millenium Falcon, coisa que se vê aos montes em Star Trek e deixa a franquia por demais cansativa. A verdade é que Star Wars apenas apresenta a tecnologia como algo que está lá, e sendo usada a muitos anos, sem se preocupar em justificar isso. Em Star Trek, justifica-se cada nova invenção, que para mim, é sempre uma tentativa de convencer a quem assiste a obra, de que aquilo é possível e não uma mera criação fantasiosa da mente humana.



No entanto, em Star Wars, ao se mostrar uma nave no espaço, uma possibilidade de propulsão que vença as distancias entre uma estrela e outra, armas, meios de comunicação, robôs, entre outros elementos, George Lucas sinaliza que há um princípio científico e uma justificativa possível sobre aquele universo que vemos a nossa frente, com todo o seu ethos. Hoje, após todos estes anos de admiração pelo trabalho de George Lucas, me convenço sim de que Star Wars é uma obra de fantasia, figurando entre inúmeros outros filmes, como O Senhor dos AnéisAs Crônicas de NárniaWillow – Na Terra da Magia, entre outros. George Lucas pensou em Star Wars como uma grande Ópera Espacial, que é a definição mais apropriada para a Saga Star Wars, mas também é estou convencido de que Star Wars é ficção científica. Vou reprisar aqui alguns dos meus argumentos para isso:



1. Star Wars lida com temas de fantasia, contudo é ambientado obviamente, em uma sociedade tecnologicamente avançada, com capacidade de viagem acima da velocidade da luz, por exemplo, utilizando o conceito do buraco-de-minhoca, que é um conceito científico, empregado na viagem hiperespacial. A teoria do Buraco-de-Minhoca, em inglês Wormhole, é uma teoria que trata da topologia do continuum espaço-tempo. Eita, Darth Metrius! Desce mais que os padawans não estão entendendo nada! Calma. Não vou desfiar aqui um monte de teorias da física com linguagem difícil e técnica. Só vou descrever basicamente o que se trata este ponto. Em Sta Wars, a viagem interplanetária é possível graças a Tecnologia da Hiperpropulsão  e do conceito de Hiperespaço. Em termos terrenos, esta viagem só acontece pela Teoria do Buraco-de-Minhoca. O conceito foi criado pelo matemático alemão Hermann Weyl e o nome cunhado pelo físico americano John Wheeler. Um wormhole basicamente é uma ponte de atalho, um túnel, entre dois pontos no universo, possuindo duas bocas por onde a matéria pode entrar e sair, passando por uma garganta. Em outras palavras, vai-se do Ponto A ao Ponto B através de um túnel que encurta a viagem. Este túnel permite velocidades acima da velocidade-da-luz, eliminando os problemas ligados ao tempo, permitindo que o viajante se desloque no tempo presente. Em Star Wars, os buracos-de-minhoca são gerados pelo hiperpropulsores das naves, que lhes permitem viajar no hiperespaço (o interior do buraco-de-minhoca) até um outro ponto do Espaço Real. Muito embora esta teoria não possa ser experimentalmente e não haja uma evidência direta de sua existência, a Física atual aceita a teoria como válida na Relatividade Geral de Albert Einstein.
2. Star Wars apresenta uma sociedade industrializada e fortemente paltada na alta tecnologia. Portanto, isto é totalmente admissível como um ambiente de ficção-científica, dentro de seu contexto. Esta afirmação se dá pelo fato de que deve-se considerar também que não há uma formalização e convenção universal do que é “ficção científica”. Não é estabelecido uma norma, como diria um amigo meu, “ISO” para qualificar e definir exatamente o que é ou não uma ficção científica. Star Wars claramente tem elementos que a classificam como tal, e desta forma, não poderíamos classificá-lo como apenas fantasia ou outro gênero.
3. A própria expressão, “Ficção Científica”, em si mesma é um contra-senso, pois classifica um elemento como contendo atribuitos oriundos da ciência, mas que ao mesmo tempo gira em torno da especulação, fantasia, imaginação. Trocando em miúdos, FICÇÃO. A palavra ficção, em sua definição mais exata, se refere a uma criação imaginativa, uma quimera, uma fantasia, uma narração objetiva em sua intenção, mas que resulta em uma interpretação subjetiva, falácia, e por fim mentira. Neste aspecto, se os fãs de Star Trek dizem que a sua franquia é ficção-científica, por definição ela também é fantasia, assim como Star Wars o é, sendo uma construção imaginativa pautada em elementos reais e objetivos da ciência.
4. Mesmo que esta “OPERA ESPACIAL” seja uma aventura sem muitas preocupações com a ciência em si, ale é recheada de elementos da ciência, como já afirmei. Estes elementos, hoje, são conciderados tecnologias que podem vir a existir em um futuro distante, tais como: (1) a Hiperpropulsão (Hyperdrive), clonagem humana (fato real embora ainda supostamente não tentado), robôs com inteligência artificial semelhante a humana (a robótica já trabalha neste campo e com significativas evoluções), exércitos autômatos, armas de raios lasers, escudos defletores, raio de tração, estação espacial de fins militares, etc. Muitas destas tecnologias são também vistas em Star Wars e Star Trek, então, qual a razão aparente para que Star Trek seja a única das franquias a ser tratada como ficção científica possível? Não entendo a razão para uma negativa.
5. Há quem argumente que em Star Wars há impossibilidades físicas demais. Impressionante ainda é ver que alguns Trekkies argumentam neste campo, citando como exemplo a propagação do som no vácuo espacial. Sobre a presença de som no ambiente espacial, este argumento pode ser utilizado, mas é fraco, pois mesmo em Star Trek ou em outra franquia como Babylon 5 ou Battlestar Galactica, o som se propaga no espaço apenas como uma “licença poética”, com o objetivo óbvio de não deixar a obra tediosa. TODO MUNDO SABE QUE O SOM NÃO SE PROPAGA NO ESPAÇO, NEM AS EXPLOSÕES COM BOLAS DE FOGO. Se não há oxigênio no espaço, não pode haver fogo, lógico. Mas como eu disse, sem fogo e sem som, não há diversão. Aliás, deixem-me dizer que quanto a impossibilidade da propagação de som no vácuo, esta lei da física já está sendo questionada, já que sabe-se não haver vazio absoluto no espaço, e que ele está preenchido por infinitesimais partículas subatômicas vagando em velocidades incríveis. Os nossos equipamentos e mesmo nossos aparelhos auditivos foram feitos para captar o som na atmosfera, quando a vibração das partículas se dá no ar. Entretanto nossa incapacidade de captar estas ondas no espaço, viajando pelo quasi-vácuo não significa que o som não exista no espaço. Apenas não podemos ouvir e detectar com nossa atual tecnologia. Podemos apenas postular.
6. Mesmo concordando que Star Wars seja também fantasia, penso que ele não o é um sua fundamentação e essência. Em literatura e cinema, FANTASIA, geralemnte se caracteriza por ser ambientado em contextos antigos ou medievais, com forte presença de elementos mágicos e povoado de seres relativos a mitologia de várias culturas, ou de criaturas baseadas em arquétipos, monstros, etc. Star Wars não apresenta estas características, nem mesmo na criação de seu alienígenas. Tendo em vista que a impossibilidade de um unicórnio, por exemplo, é o suficiente para concebê-lo como um ser fantástico, uma alienígena não representa uma impossibilidade igual. Atualmente o conceito de vida extra-terrestre é aceito pela ciência como algo plausível, muito embora a vida inteligente fora do Sistema Solar seja questionada pela matemática e pela biologia. Ou seja, pode-se encontrar vida alienígena no universo em termos de fauna e flora, fungos, bactérias, etc.
7. Mesmo que se argumente que o conceito de “FORÇA” seja um elemento mágico de fantasia, como alguns também costumam fazer, ainda assim ela possui uma base filosófico-religiosa (não-mitológica) que pode explicá-la. Atualmente a Física Quântica e as filosofias orientais podem dar sua aprovação ao conceito de “FORÇA”. Mesmo o cristianismo e o Zoroastrismo também alimentam este conceito. Sendo assim, sempre notaremos que Star Wars vai apresentar substratos palpáveis e verossímeis para as suas construções.
Muitas das tecnologias vistas em Star Wars já são realidades hoje. E qual a razão disto poder ser realidade? Simples. Eram parte de uma hipótese científica que só existia na tela, e que alguém decidiu pesquisar se tais coisas poderiam se tornar realidade com base na verdadeira ciência. Obviamente que em relação a o que vimos nos filmes, estas atuais tecnologias riscam ainda no primitivismo, comparando um avião de papel com o ônibus espacial. Mas o fato é que ambos podem voar. Posso citar alguns exemplos: Speeders aéreos (o Skycar), speed bikers, comunicação via holograma tridimensional, câmeras que pairam no ar, armas de raios laser, repulsores eletromagnéticos, robôs domesticos, entre outros.



O Skycar tem sido uma proposta atual para a solução dos engarrafamentos nas grandes e mega cidades. Teste de voo já foram realizados, mas uma demonstração como gostaríamos de ver nunca foi tentada. Pelo menos ele ele voa e anda como carro. Mas se a questão é vencer a gravidade e pairar no ar, os hovercrafts já fazem isso a muito tempo. Apesar de não utilizarem uma tecnologia como a dos repulsorlifts (eles repelem a gravidade, fazendo com que o objeto paire no ar, com energia magnética), usam aerodinâmica, criando um bolsão de ar que levanta o veículo do solo, fazendo-0 se deslocar sobre uma película de ar, evitando a gravidade.


Até a comunicação holográfica já é algo a se pensar em produzir para comércio. Usando-se o ar comprimido, ou tubos de vidro, pode-se utilizar câmeras para captar imagens em três dimensões e transformá-las em hologramas. O próximo passo para isso é retirar os tubos de vidro e o ar comprimido, mas a tecnologia já está aí.
Quem de nós, a mais de cem anos atrás, diria que um avião poderia voar. No entanto eles estão aí sobre nossas cabeças a milhares de pés de altura ligando São Paulo a Paris, Londres, Tóquio, e Sydney. Foi da imaginação do homem, da mente dos criadores da mito de Ícaro, que voou até perto do sol, e do talento de Santos Dumont e dos irmãos Wright que a pesquisa científica tornou real a mitologia grega. Este mesmo processo seria diferente se pensarmos em Star Wars e o que já se realizou, impulsionado pela imaginação de George Lucas? Acho que não. Então, qual a razão para que Star Wars não figure entre as obras de ficção científica? Nenhuma razão há.
Sendo assim, como fantasia, ficção científica, ou ópera espacial, Star Wars é a maior franquia destes gêneros no cinema. É notório que antes de Star Wars, se fazia ficção científica de uma forma, e após Star Wars, nunca mais o cinema foi o mesmo. Star Gate, Alien, O Exterminador do Futuro, entre outros filmes, são herdeiros de Star Wars, e todos fazem parte de gêneros múltiplos do cinema. Colocar Star Wars fora da categoria de Ficção Científica é cometer um sacrilégio contra quem já serviu para viabilizar inclusive a realização dos longas da serie de Gene Roddenberry. Seria ingratidão? Não posso afirmar, mas assim como críticos muitas vezes opinam sem conhecimento de causa, ou sem o reconhecimentos de méritos, Star Wars também passa pelos mesmo alfinetadores incautos.
O que é Star Wars? Você como fã defina como quiser, mas uma coisa é certa. A Ficção Científica mudou após 1977 e não pode ignorar que isto. Star Wars é SciFi, e não se fala mais nisto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...