segunda-feira, 26 de abril de 2010

APRENDA A FALAR AMAZONÊS


Recentemente minha noiva, Cibele Guerra, esteve aqui em minha cidade, Manaus, para me visitar e passou comigo uns cinco dias. Pernanbucana, mas radicada em Maceió/AL desde a infância, esta foi a segunda vez que ela vinha a Manaus, notou algumas coisas que as pessoas falavam. Uma das expressões regionais que ela havia observado foi o famoso "Mano(a)", que todo amazonense usa para tratar com as pessoas.
Bem... pensando nela, e nos milhões de brasileiros que não estão familiarizados com a forma de falar do amazonense, resolvi prestar o serviço e publicar aqui no meu blog um pequeníssimo dicionário de Amazonês, com palavras e expressões regionais. Divirtam-se!

ABAFAR v. – Apropriar-se do alheio. "O advogado abafou a herança do cliente".
ABANCAR-SE v. – Sentar. "Espere um pouco que ela já vem. Abanque-se, homem!"
ABISCOITAR v. – O mesmo que abafar.
AÇO s.m. – Bebida. "Ele só aparece aqui quando ta cheio do aço".
A COMO? loc. adv. – quanto custa?. "A como tá o tucunaré?" " R$ 10 a enfiada."
AÇU el. comp. – Sufixo de composição com o significado de "grande". Jacaré-açu, cupuaçu.
ADUBAR v. – Bajular com alguma intenção. "Eu não desisto da Rosinha. Continuo adubando".
ALTEAR /altiar/ v. – Aumentar o volume. "Altea aí que não está dando pra ouvir nada".
AGORINHA adv. – Diferentemente do uso no sudeste, agorinha quer dizer "há alguns segundos", referindo-se ao passado e não ao futuro. "Ela estava aqui agorinha, mas sumiu".
ALMENO loc. adv. – Pelo menos. "Tu tens cinco aí. Me dá almeno uma".
ALOPRADO adj. – Exagerado.
AMANCEBADO s.m. - Pessoa solteira que vive maritalmente com outra. "Ela não casou, não. Tá amancebada só".
A PULSO loc. – Obrigado, na marra. "Comendo sem gosto... parece que ta comendo a pulso".
APERREADO adj. - Apressado, muito nervoso, sem saber o que fazer diante de uma situação difícil. "Rapaz, tô aperreado com aquele negócio da dívida".
APOFIAR v. – Apostar. "Vamos apofiar uma corrida até a igreja?"
APRESENTADO adj. – Enxerido, metido a besta. "Deixa de ser apresentado. Quem te deu o direito de me abraçar?"
A PRÓPRIA loc.adj.. A tal, a boa, a melhor. "A Ana Paula comprou um perfume francês e chegou aqui se sentindo a própria".
ARRANCA-TOCO adj. Valentão.
ARRUDEAR v. – Dar a volta. "Ninguém entra pela sala. Quem quiser entrar em casa vai ter que arrudear." "D. Zefa, posso entrar?" "Não, arrudeia"
ASSANHAR v. - Bagunçar, despentear o cabelo. "Pára de assanhar mais meu cabelo. Ele já tá todo assanhado!"
ATÉ O TUCUPI, ATÉ O TALO, ATÉ O TOCO (ou a variação ATÉ O TCHOCO) exp. id. – Até o máximo possível. "Rapá, tô até o toco de trabalho".
ATÉ PARECE... exp.id. – Indica dúvida, incredulidade. "A Priscila vem dormir aqui? Até parece... Ela não dorme fora de casa."
ATENTADO adj. – Muito danado, inquieto. "Esse menino é atentado!"
ATENTAR v. – Perturbar, aperrear.
ATOCHAR v. – Fazer entrar à força, encher demais. "O barco tinha que virar: atocharam mais gente do que cabia".
ATULEIMADO adj. - abestado.
AVALI(E) exp. – Quanto mais. "Se ele namora até mulher feia, avali(e) menina bonita".
AVIAR v. – Apressar. "Avia! Senão tu vais te atrasar!"
BABA-OVO s.m. - puxa-saco. "Esse Mota é o maior baba-ovo que eu conheço!".
BABAU s.m. - 1. O mesmo que SABACU. Punição que um grupo confere a alguém por um malfeito. Todos batem com as mãos, ao mesmo tempo, na cabeça do indivíduo. "Fez besteira. Vai levar um babau por isso!" 2. Prejuízo total, perda irrecuperável de alguma coisa."Pagou serviço adiantado pra marceneiro? Babau, é dinheiro perdido!"
BABITA s.f. Dinheiro, grana. "E aí? Pegou a babita lá?"
BACABA s.f. – Mentira. "O Paulinho Kokay tava lá contando a maior bacaba."
BACABEIRO s.m. – Mentiroso. "O Dudu é um tremendo abacabeiro! Disse que o pai dele é dono da Microsoft".
BAGACEIRA s.f. – Noitada. "Ontem eu fui pra bagaceira e cheguei de madrugada".
BALA (DA VIDA) adj. – fulo, muito chateada. "Sumiu dinheiro da bolsa da mamãe e ela tá bala da vida".
BALDEAR v. – 1. lavar algo usando um balde para transportar a água. "Hélio, vai baldear o pátio antes que teu pai chegue e te dê uma pisa" 2. Vomitar. "Corre, doutor, que o rapaz ta baldeando toda a recepção".
BANHO s.m. – Balneário. "Domingo nós vamos pro banho do Raimundão na rodovia Manaus-Itacoatiara".
BANZEIRO s.m. – Formações semelhantes às ondas do mar que se formam nos rios amazônicos por causa do movimento dos barcos. "Tive muito medo na travessia para Benjamin Constant; o banzeiro quase virou a voadeira"
BARCA s.f. – O povo, todo mundo. "Vai a barca pro show do Reginaldo Rossi hoje"
BATELÃO s.m. – Barco que navega a remo.
BATER CAIXINHA loc. v. – Ajudar alguém a conquistar uma pessoa. "Será que tu podes bater caixinha pra tua irmã? Estou afinzão dela".
BATER FOFO loc. v. - Faltar a um encontro, descumprir algum acordo."Marquei um encontro com a menina e ela bateu fofo. Esperei e nada".
BATORÉ adj. 2 genbatoré moreno de perna curta".
BEM-MANDADO adj
BERADEIRO s.m. - Beiradão, gente do interior.
BIBOCA s.f. – Lugar esquisito, de difícil acesso.
BICHEIRA s.f. – Ferida causada pelo parasitismo de insetos.
BILOTO s.m. – Saliência carnosa, verruga.
BRECHEIRO s.m. - Quem gosta de brechar. Voyeur.
BREGUEÇO s.m. - Objeto imprestável ou de uso duvidoso.
BIQUEIRA s.f. - Próximo, perto de. "De tanta besteira que fez, ela tá na biqueira de ser demitida".
BOBÓ s.m. – pulmão.
BODADO /ó/ s.m. – 1. Com muito sono; cansado. "Cara, vou dormir. Tô bodado!" ; 2. Bêbado. "Leva ele pra casa que ele bebeu todas e ta muito bodado"; 3. Chateado. "Nem vai falar com ele porque ele tá bodado desde de ontem.
BODOZAL s.m. – Bairro pobre, periferia. "Lá no bodozal onde ela mora não tem nem água".
BOI s.m. – Festa realizada em Parintins em que enfrentam-se dois bois, o Garantido (Vermelho) e o Caprichoso (Azul). Em Manaus, nos meses que antecedem o Festival, que acontece em junho, há os ensaios conhecidos como curral do boi.
BOLA s.f. – Rotatória. "Vai direto e, depois da bola, pega a rua do posto".
BONITO PRA TUA CARA! exp. - Usado no sentido de "Tu não tens vergonha do que tu fizeste, não?"
BORA... /ó/ - Vamos. "Bora pra casa?" . "Bora dar uma volta?"
BORA VER... loc. v. – Seja o que Deus quiser. "Rapaz, a gente fez o possível. Bora ver..."
BORIMBORA interj. – Vamos embora. "A gente não tem mais nada a fazer aqui. Borimbora!"
BRECHAR v. – Olhar pela brecha, espionar. "Quando eu era pequeno, eu costumava brechar as empregadas lá de casa tomando banho".
BREAR v. – Colar. "Quebrou o vaso... agora tem que brear antes da mamãe chegar".
BRIBA s.f. - Pequena lagartixa caseira. Provavelmente corruptela de víbora.
BROCADO adj. - Pessoa com fome. "Mano, tô brocado! Vamos comer um x-caboquinho?"
BUCHUDA adj. – Grávida.
BULIADO adj. – Arredondado
CABA – s.f. – Vespa.
CABOCÃO s.m. – Alguém que não se comporta direito.
CABOCO s.m. – Pessoa, cara, sujeito. "Aí o caboco chegou lá e falou um monte de coisa".
CABROCHA s.f. – Mulher de raça cruzada e cabelos lisos.
CACETE (ê) s.m. e adj. – Maçante, importuno.
CADILHO s.m. – Tigela que recebe a seiva da seringueira.
CACHULETA s.f. ou PLETS s.m. – Peteleco dado com o dedo na orelha de alguém. "Vai lá, aproveita que ele está distraído e dá uma cachuleta nele!". "Olha que orelhão! Deve ser gostoso pra dar plets, né?"
CALDO DE CARIDADE s.m. - Caldo feito com farinha para dar sustança.
CALUNDU s.m. – Mau-humor, zanga.
CAMBOTA adj. – Pessoa que tem os pés para dentro ou as pernas arqueadas.
CANGULA adj. – Desengonçado.
CAPAR O GATO loc. v. - Ir embora, sair. "Essa festa não tá com nada. Acho que vou capar o gato".
CAPINA! LAVA! SACA! interj. – Sai fora! "Quando eu olhei, tinha um monte de moleque roubando goiaba. Cheguei lá e gritei: Capina! Lava! Lava daqui! Saca, molecada!"
CAQUEADO s.m. - Um jeito especial de fazer alguma coisa, know-how. "Pô! O cara é cheio de caqueado para trocar o pneu".
CARAPANÃ s .m. – Pernilongo. "Aqui tá cheio de carapanã!"
CARNE DE TETÉU – 1. Usado para descrever qualquer alimento não macio, que foi pouco cozido. "Essa galinha tá mais dura do que carne de tetéu. Nem a besta-fera consegue comer isso". 2. Pessoa difícil, travosa. "A diretora da escola onde eu estudo é a maior carne de tetéu".
CARNE MAGOADA s. – Músculo dolorido. "Joguei futebol ontem e fiquei com a carne magoada".
CASA DO SEM JEITO loc. adv. – Caso perdido. "Teu caso, filho, tá na casa do sem jeito".
CATARACA s.f. – meleca. "Vai lavar essa cara imunda, seu nojento. Tua venta tá cheia de cataraca".
CATINGA s.f. – Cheiro forte. "Daqui a gente sente a catinga do igarapé poluído".
CATINGAR v. – Feder.
CAUXI /ch/ s.m. – Planta esponjosa que causa coceira. "Vou nada aqui não. Tá cheio de cauxi".
CEMITÉRIO s.m. – Jogo de queimada. "Vamos jogar cemitério?"
CEROTO s.m. – Acúmulo de sujeira na pele por falta de banho. "Vai tomar banho, menino. Passou o dia jogando bola e tá com dois cordões de ceroto no pescoço."
CHEIO DE CAQUEADO exp.id. – Cheio de invenção, cheio de presepada desnecessária. "O cara chegou aqui cheio de caqueado dizendo que fazia e acontecia e não fez foi nada".
CHIBATA adj. – Adjetivo para expressar uma coisa muito boa. "Rapá, o filme é chibata!"
CHIBÉ s.m. – Mistura de farinha, água e açúcar. "Mãe, posso fazer chibé pra merendar?"
CIPOADA s.f. – Chibatada com cipó. "Ele fez besteira e a mãe largou a cipoada nele".
COBRINHA s.m. – Fila. "A tia Yá disse que a cobrinha lá no hospital tava dobrando o quarteirão".
COÇA s. f. – Pisa, peia, cipoada. "Se fizer isso vai levar uma coça de mim".
COCOROTE s.m. - O mesmo que CASCUDO.
COQUE s.m. - O mesmo que CASCUDO.
COM BORRA (E TUDO) exp.id. – Com tudo. Expressão de alopro. "A Luciana estava aprendendo a dirigir. Foi entrar na garagem e pisou no acelerador ao invés de pisar no freio. Aí entrou com borra e tudo na garagem, arrebentando o carro todo".
COMER COQUINHO loc. v. – Ficar burro. "Tu é lesa, é? Parece que comeu coquinho".
COMO JÁ ENTÃO?! exp. id. – Expressão de espanto. "Pegou fogo na casa da vizinha.". "Como já então?! Do nada?"
COROCA s.f. – De avançada idade. "Eu moro com minha sogra, que já ta meio coroca". Do tupi curóca, caduco.
CORONEL-DE-BARRANCO s.m. – Homem que manda na região. "Pra resolver as coisas mesmo tem de falar lá com o coronel-de-barranco da área".
CORTAR v. – Falar mal de alguém. "Vocês ficam aí só me cortando, né?"
CORTAR E APARAR exp. - Humilhar ou diminuir de certa forma completamente. "Queria sair hoje, mas meu pai cortou e aparou minha curica".
CORTAR A CURICA exp. - matar a intenção no nascedouro. "Ela queria pular carnaval, mas eu como um bom marido cortei a curica dela".
CUIDAR v. – Apressar-se. "Bora! Cuida, senão a gente vai chegar atrasado".
CUNHANTÃ s.f. – Garota. "Quem essa é essa cunhantã já?"
CURERA s.f. – A massa de mandioca mole que, ao sair do espremedor (tipiti), por ser dura e embolada, não foi coada. Imprópria para a fabricação da farinha. Alguns aproveitam para fazer mingau.
CURIAR v. – Bisbilhotar, xeretar. "O que tu tá curiando aí, mulher?"
CURIBOCA s.m. – Mestiço de branco com índio.
CURICA s.f. – Espécie de papagaio (pipa) pequeno e sem tala. "Levantei uma curica hoje só pra brincar".
CURUBA s.f. – Ferida. "Rapá, to com uma curuba coçando pra burro!"
CURUMIM s.m. – Garoto. "Cheguei lá na festa, cheio de curumim..."
CURUPIRA s.m. – Gênio malfeitor da floresta.
CUSPIR v. – Espanar a rosca, o parafuso. "Acho que essa porca tá cuspida".
DANÇA DE RATO E SAPATEADO DE CATITA – enrolar, postergar algo. "Deixa de dança de rato e sapateado de catita e vai logo tomar banho que é melhor".
DAR BOLO EM CATITA exp.id. – Ser esperto. "Cuidado com o Jurimar. O cara dá bolo em catita. Fica esperto!"
DAR DE ... – loc, v. – Começar a.... "Agora ele deu de sair tarde todo dia".
DAR UM CHAGÃO exp. – esquivar-se. "Fui correr atrás do Rato, mas ele me deu um chagão que eu caí de bunda".
DE LASCAR loc. adv.– Indica intensidade. "O calor tá de lascar". "A prova foi de lascar."
DE MUTUCA loc. adv. - Ligado em alguma conversa, de ouvidos bem atentos "É bom ficar de mutuca na conversa dessa menina...".
DE PIRUADA exp. - Distribuir alguma coisa jogando para o alto. Quem pegar, pegou. "Ele jogou os bombons de piruada".
DE ROCHA loc. adv. – com certeza. "Eu vou aparecer lá, de rocha, pode acreditar".
DESCAIR v. – soltar a linha quando se está empinando papagaio. "Discai se não ele vai ter cortar na mão. Esse teu cerol é do colhe ou do descai?"
DESCANSAR v. – Ter neném. "A Rudervânia descansou ontem. É uma menina".
DESMENTIR v. – Deslocar, luxar, desconjuntar. "Acho que desmenti meu dedo jogando bola ontem. Preciso puxar o dedo".
DESMILINGÜIDO adj. - Sem graça, desarrumado, desajeitado. "O Cara ficou todo desminlingüido quando eu falei que sabia de tudo".
DESPLANAVIADO adj. – Desatento, desmotivado. "Eu não sei mais o que faço. Todos os meus alunos andam tão desplanaviados".
DINDIN s.m. – É o "sacolé" carioca. Possui variações dentro do Estado. Em alguns municípios é conhecido como Flau (Parintins), Totó (Coari), Vip (Ipixuna), Miau (Itacoatiara)
DISCONFORME adj. – Demais, em excesso. "A chuva de ontem à noite foi disconforme".
DISTIORADO adj. – Deteriorado, acabado. "Tem uma casa lá no banho, mas tá toda distiorada..."
DOS VERA loc. adj. - De verdade. "Eu não estou brincando, não. É dos vera".
DRAGA s. 2 gen. – Comilão. "Meu cunhado come demais, rapaz. O homem é uma draga..."
E OLHE OLHE! exp. Id. – E olhe lá. "Ele só faz dois abdominais e olhe olhe".
EMBIOCAR v. – Descer. "Embioca aí senão ela vai te ver aqui".
EMPACHADO adj. - Cheio, estufado. "Fui comer muito agora estou empachado".
EMPINGE s.f. – Micose.
ENCANGADO adj. - Pessoa que anda agarrada com outra o tempo todo. "A mulher dele não deixa ele sair só mermo. Só vive encangada nele".
ENGÜIAR v. - Ter ânsia de vômito. "Quando eu vi o rato morto, eu engüei na hora".
ENGILHADO adj. Enrugado. "Quando a gente fica muito tempo na piscina, o dedo fica todo engilhado".
ENTOJO s. m. Enjôo, nojo. "Não vou nem falar com ela que hoje ela está um entojo só".
ERAS... interj. – Usado para momentos de perplexidade. "Eras...deixei meu carro aqui...cadê ele?"
ÉRASTE, MANINHO! interj.– Expressão de surpresa. "Votou no José Serra? Éraste maninho..."
ESBANDALHAR v. – Quebrar. "Deixei minhas ferramentas com ele e ele esbandalhou tudo!"
ESCABREADO adj. – Desconfiado.
ESCAMBAU s.m. – E o resto. "Ele trouxe pra festa a mulher, os filhos, o cachorro e o escambau!".
ESPOCAR DE RIR exp. id. – Rir até não agüentar. Rir muito. "Contei aquela piada e aí ela se espocou de rir".
ESPORA s. 2. gen. – pessoa ruim, malvada ou insensível. "Poxa, maninha, deixa de ser espora...me empresta tua caneta rapidinho".
ESTAQUEADO adj. – Cabelo repicado. "O Xororó, pai da Sandy e do Junior, tem o cabelo estaqueado".
ESTE UM exp.- Modo de se referir a alguém cujo nome é desconhecido ou que se quer denotar desprezo. "Olha já este um...Cheio de coisa."
ESTICADO ou ESPAÇOSO s.m. – Confiado, enxerido, atrevido, petulante, pessoa invasiva. "A Ermelinda quer saber de tudo. Ela é muito esticada pro meu gosto".
FACULTÁRIO adj. – Quem faz faculdade.
FARINHA-D’ÁGUA – Tipo de farinha fina.
FANTA adj. – Sem graça, fraco. "Esse filme é muito fanta. Me arrependi de ter vindo".
FARDA s.f. - uniforme escolar. "Não vai sujar tua farda, Gilvaney! Só tem essa!"
FAZER MEUÃ exp.id. – Fazer careta, cara feia, geralmente para intimidar. "E não adianta fazer meuã pra mim que eu não tenho medo de cara feia".
FAZER PEZINHO v. – fazer embaixada. "Vamos ver quem faz mais pezinho?"
FRESCAR v. - Encher a paciência, encher o saco. "Não fresque não que hoje eu não tô pra brincadeira!"
FICAR DE BUBUIA exp. id. – Ficar sem fazer nada, ficar flutuando na água. "E aí, Zé, nadando um pouco?" "Não. To só aqui de bubuia um pouquinho".
FOLÓ ou FOLOTE adj. – Frouxo. "O parafuso não cabe nessa rosca. Ela é muito grande. Fica folote".
FONAS! interj. - Interjeição usada no jogo de bolinha de gude. Quando o sujeito quer ser o último a jogar, ele grita: "FONAS !!!"
FORROBODÓ s.m. – Encontro para dançar.
FRESCAR v. – Perturbar, encher o saco. "Pára de frescar comigo senão te cubro de porrada!"
FULEIRO adj. - Ordinário, ruim. Mas pode ser também pessoa muito irreverente, brincalhão, depende do sentido da frase. "O cara é muito fuleiro, só falta matar a gente de rir".
FUTRICAR v. - Mexer, investigar, fazer confusão. "Essa mulher vive futricando a minha vida".
GABULICE s.m. – orgulho besta. "Só porque ele passou no vestibular agora virou o diabo das gabulices".
GALALAU s.m. - Menino ou rapaz muito alto. "O cara já é um galalau e quer jogar com a gente".
GAMBITO s.m. - Perna fina. "Aquela mulher é muito feia. Ólha os gambitinhos dela".
GAMBÃO s.m. – Soldado, militar, meganha. "A briga acabou quando chegou um bando de gambão botando moral".
GAMBIARRA s.f. – Remendo, gatilho. "Como a corda quebrou, ele fez lá uma gambiarra pra puxar o carro".
GASGUITA adj. – Esganiçado. "A voz da minha cunhada Andréa é muito gasguita. Irrita qualquer um!".
GATIADO adj. – Diz-se do olho puxado. "Ontem saí com uma morena dos olhos gatiados".
GRAFITE sm. – Lapiseira. "Me empresta o teu grafite que meu lápis quebrou a ponto".
GUEGUETE s.f,. Mulher, moça, garota. "Vou deixar aquela gueguete em casa depois volto pro futebol, falou?"
GUARAMIRANGA s.m. – Demorado. "Demou muito! Veio no Guaramiranga?"
GUARIBAR v. Dar uma melhorada disfarçando os defeitos de alguma coisa, principalmente de carros. "Vou dar uma guaribada no carro antes de vender".
GUGUENTO adj. – Pessoa feridenta, nojenta, cheia de marcas na pele. "Eu nunca namoraria com a Waldemarina. Ela é toda guguenta, cheia de espinha".
GUISAR v. – destruir, destroçar (um papagaio). "Vou dá uma porrada no merda que guisou o papagaio do meu irmão".
GURUPEMA s.f. – Peneira.
IGAPÓ s.m. – Floresta pantanosa, encharcada e sombreada pelo mato.
IGARAPÉ s.m. – Pequeno rio, riacho, arroio.
IGARITÉ s.m. – Barco a vela de um só mastro.
ILHARGA s.f. – Ao lado. "Fica logo ali, na ilharga da igreja".
INCANDIADO adj. – Ofuscado pelo brilho. "Quando aquela menina bonita entrou, eu fiquei incandiado".
INVOCADO adj. – Difícil de entender, de fazer, etc. "Esse brinquedo é invocado, né?". "Égua! Ele saiu com uma e voltou com outra? Invocado..."
IPADU s.m. – Mingau feito com pouca água, consistente e grosso.
IR PRAS BARCAS – exp.id. – Sair para curtir. "Hoje é sexta. Dia de esquecer o trabalho e ir pras barcas!"
IXE! ou EXE! interj. – Expressão de estranhamento, tédio ou repugnância. "Eu adoro feijão no pão". "Ixe!"
JABÁ s.m. – Charque.
JACINTA s.f. – Libélula. "Meu irmão gostava de pegar jacintas, amarrar uma linha nelas e deixar voar de novo".
JACUMÃ s.m. – Direção da canoa com o remo de mão numa das extremidades. "Nós vamos é no jacumã daqui até lá".
JIQUITAIA s.f. – Pequena formiga de picada dolorosa.
JITINHO adj. – Pequeno. Contrário de maceta. "É um professor assim jitinho, de óculos".
JURURU adj. - Cabisbaixo, tristonho, abatido.
KAMIRANGA s.m. – Urubú.
KETCHBACK s.m. – Um lance amoroso, rolo. "Tive uns ketchbacks com ela no passado".
KIKÃO s.m. - cachorro-quente.
LAMBANÇA s.f. – Gabolice, basófia.
LAPA s.f. – Grande, imenso, desproporcional. "O Ângelo tem uma lapa de pé, meu amigo! Calça 45!". "Sabe a orelha do Abraão? É uma lapa, meu!"
LAVAR A ÉGUA ou LAVAR A BURRINHA loc. verb. - Levar vantagem. Gozar um momento de felicidade. Ganhar com sorte alguma coisa, algum prêmio. "Ele ganhou na loteria e lavou a burrinha. Comprou tudo que tinha direito".
LAVAR URUBU exp. id. – Estar desempregado. "Pois é. Faz seis meses que ele tá lavando urubu. Serviço que é bom: nada".
LAVOURA s.f. – Ganhar tudo na bolinha de gude.
LEGUELHÉ s.m. João-ninguém.
LEPROSO s.m. - pessoa que de alguma forma desagrada. "O juiz não marcou esse pênalti!!! Ah, leproso!!!"
LESO /é/ adj., LESEIRA s.f. – Um leso é alguém que sofre de leseira. Leseira é um abestalhamento momentâneo que acomete o leso. Se a leseira for uma característica contínua, dizemos que o leso sofre de leseira baré. A leseira baré ocorre entre os amazonenses devido ao sol quente na moleira, que frita o cérebro e queima alguns neurônios. Temos ainda as expressões derivadas: "Deixa de ser leso!" e "Pára de leseira!". Dizem que todos nós, amazonenses, temos nossos três minutos de leseira por dia. Mas como tudo tem seus dois lados, dizem que o sol também causa nos amazonense algo chamado tesão de mormaço, um aumento na capacidade sexual do amazonense devido ao sol quente.
LOMBRA s.m. – Algo sem definição, coisa. "Mas que lombra é essa agora, meu irmão?"
LOMBRADO adj. – Bêbado, fora de si. "Esse cara só pode tá lombrado pra fazer isso..."
MACACA s.f. Amerelinha. "Vamos jogar macaca?"
MACACHEIRA s.f. – A mandioca doce, não venenosa.
MACETA /ê/ adj. 2 gen. – Grande, imenso, de proporções anormais. "Eu disse que ia lá brigar com ele e quando eu olhei o cara era macetão. Saí fora..."
MALINAR v. – Reinar, fazer malvadeza gratuita, como por exemplo beliscar um bebê porque ele é muito fofo. "Ele é tão fofinho que dá vontade de malinar com ele".
MALUVIDO s.m. – Mal comportado. "Que menino maluvido!"
MAMADA s.f. - Mamadeira de leite. "Eu tenho que preparar a mamada do Clauzionor Junior".
MANDIOCA s.f. A grossa raiz comestível da maniva.
MANDUQUINHA s.f. – Camburão de polícia. "Maior porrada rolando, aí chegou a manduqinha e levou um bocado".
MANGAR v. - Fazer pouco de alguém. "Eu bati nela porque eu caí e ela ficou mangando de mim".
MANGARATAIA s.f. – Nome tupi para o gengibre.
MANJA s.f. - brincadeira de criança. Há a manja-esconde, manja-pega, manja-trepa.
MANO /ã/ voc. – Tratamento carinhoso entre conhecidos ou não. Muito usado para fazer perguntas e pedidos. "Mana, faz um favor pra mim". "E aí, tudo bem, mano?". Variações no diminutivo: MANINHO, MANINHA.
MÁRRAPÁ! exp. id. – O mesmo que "Olha já!". "Me empresta teu carro?" "Márrapá! Claro que não!"
MAS! - Pronuncia-se "Mách". Interjeição de ênfase. "Tem muita mulher aqui?" "Mách! Só tem!"
MASSA FINA s. – Pão de leite. "Eu gosto de pão leve, de massa fina".
MASSA GROSSA s. – Pão francês. "Compra dois pães de massa grossa".
MATEIRO adj. – Habituado a meter-se no mato ou lá passar parte do dia.
MEGANHA s.m. - Forma depreciativa de se referir a um soldado de polícia. "Esse cara não passa de um meganha!".
MENINO BARRIGUDO exp. id. – Um leso, que só faz besteira. "Pára de meter o dedo no bolo, Nelson! Tamanho paideguão e parece um menino barrigudo!"
MERENDA s.f. – Lanche. "Vou bem ali comprar uma merenda que estou brocado".
MERMO adj. – Corruptela de "mesmo". Pode ser usado para exprimir dúvida ou confirmação. "Ele vai sair hoje, vai?". "É o que vai mermo..." "Não, ele vai mermo".
MEU GRANDE voc. – Tratamento para desconhecidos. Pode ser utilizado intercambiavelmente com "mano". "E aí, meu grande. Tudo bom?". "Fica de olho aí no meu carro, falou, meu grande?"
MILHITO s.m. – Salgadinho de saquinho. Seu uso foi estendido a partir do salgadinho MILHITOS JACK’S.
MOFINEZA s.f. – Fraqueza, indisposição, mal-estar.
MOFINO adj – Fraco, indisposto, que não oferece resistência.
MONDRONGO s.m. - Inchação, tumor subcutâneo, calombo. 2. Alguma coisa grande e esquisita. "Que coisa é esta? Que mondrongo é esse na tua cabeça?".
MUCURA s.f. – Espécie de gambá que come frango.
MURA s.f. – Pessoa invocada, fechada. "Vê se conversa com as pessoas! Parece uma mura!"
NÉ NÃO! exp.id. – Não é não. "É a Leila ali, é?" "Né não".
NÃO FAZER NEM AMARRADO PELO CHINELO PRETO exp. - Não fazer de jeito nenhum. Nem que a vaca tussa.
NO BALDE, NO MUNDO loc. adv.. Ver QUE SÓ
PACOVÃ s.f. – Nome indígena da banana. Hoje designa a banana comprida.
PAGAR SAPO exp. id. – Humilhar. "O chefe entrou aqui e pagou o maior sapo no Walter".
PAGELA s.f. – Diário de classe. "Ainda não lancei as freqüências na pagela nova".
PAID’EGUÃO s.m. – Adulto, marmanjo. Pode ser usado de forma exclamativa precedido de tamanho. "Tamanho paid’eguão brincando no balanço das crianças..."
PANELÃO s.m. – Dente que tem um buraco grande. "Amanhã minha dentista, Dra. Eliana, vai tirar meu panelão".
PANEMA adj. Infeliz, leso.
PAPAGAIADO s.m. - Alguém ou alguma coisa extravagantemente colorido, lembrando um papagaio. "Esta roupa está muito papagaiada!".
PAPEIRA s.f. – Caxumba.
PAPOCO s.m. - Confusão, barulho. "Tava todo mundo em paz e de repente só se ouviu o papoco vindo lá da cozinha".
PARA O MÊS (ANO, etc) exp. – Mês (ano) que vem. "Para o mês, vou ver se compro uma geladeira nova".
PARENTE voc. – Forma de tratamento usado para se falar com alguém. Equivale a mano. "Parente, me dá uma ajudinha aqui?"
PARTINHA s.f. – Franja. "Tu tá igual ao Aritana com essa partinha".
PAVULAGEM, PAVOLAGEM, PAVOLICE ou PAVULICE s.f. – Empáfia, abestalhamento, orgulho besta. "Ah, eu não pego em peixe, não". "Caboco pávulo! Deixa de pavulagem e ajuda logo, vai!"
PEBADO adj. – Lascado, ferrado. "O Jones sofreu um acidente e ficou todo pebado".
PEDIR PENICO loc. v. - Desistir de alguma coisa por falta de coragem ou força. "O cara não agüenta mais. Já está pedindo penico..."
PEGAR O BECO loc. v. – Ir embora. "Tá na hora de eu pegar o beco. Tá tarde".
PEIA s.f. - Sova, surra. "Quem não fizer o que eu mando entra na peia".
PENSEIRA – Compensador para balancear um papagaio penso. "Põe uma penseira nesse papagaio que ele sobe".
PENSO adj – Torto, pendendo para o lado. "Esse papagaio não vai subir não. Tá muito penso".
PERAINDA loc.v. - Forma sintetizada de "Espere ainda um pouco". Pode ser acompanhado de ênfase LÁ ENTÃO. "Perainda lá então! Não me apressa!"
PERREXÉ s. 2. gen. - Ver pardioso.
PICUINHA s.f. – Questiúncula irritante com que se azucrina os outros. "Isso é muito pequeno, menina. Deixa de picuinha e vai fazer algo de útil".
PINDAÍBA s.f. - Miséria, pobreza. "Sabe aquele ricão lá da rua? Hoje tá na maior pindaíba".
PINCHA s.f. – Tampinha de refrigerante. Mas só as de metal. Já meio raras. "Cadê a pincha do guaraná? É que eu faço coleção".
PINGUELO s.m. vulgar – 1. Órgão sexual feminino. "Menino nasce por onde entra: pelo pinguelo". 2. Clitóris.
PINICAR v. – Beliscar, dar bicadas. "Essa roupa felpuda ta me pinicando".
PIPO s.m. - chupeta
PIRA s.f. – Ferida. "Ela tá com uma pira enorme no braço".
PIRACUÍ s.m. – Farinha de peixe.
PIROCAR v. – Perder ou cortar o cabelo. "Rapaz, olha o cara aí...pirocou o cabelo todinho".
PIRUADA s.f. – Jogar para cima alguma coisa para ser pego pelos demais. "Minha tia jogou os bom-bons de piruada na festa"
PISA s.f. - Peia, surra. "Menino, te aquieta! Se não sossegar, vou te dar uma pisa".
PITIÚ s.m. – Cheiro. Geralmente associado a peixe. "Tá sentindo um pitiú danando aqui? Tomou banho, Creuza?"
PIXÉ s.m. - O mesmo que pitiú.
POMBA-LESA adj. 2 gen.– lento, lerdo, mole. "Esse sujeito não dá conta de tanto serviço: é um pomba-lesa". "Sossega, menina! Toda pomba-lesa aí vai acabar quebrando o vaso!"
PORRETA /ô/ adj. – O mesmo que chibata ou maceta.
PORRUDO /ô/ adj. – O mesmo que maceta.
PRESEPADA s.f. - Palhaçada. Confusão. "Deixa de presepada e sossega aí".
PROCURAÇÃO s.f. - Ato de procurar. "Dile, cadê a tesoura?" "Não sei, mas vou fazer uma procuração".
PURO adv. – com cheiro de, cheirando a. Vai lavar tua mão que tá puro cocô"
PUTATEBA exp. id. – Expressão de insatisfação. "Putateba! Deixa eu ver tv em paz!"
PUTIREBA ex. id. – Expressão de insatisfação. "Putireba! Acabou a água!"
PUTITANGA exp. id. – Expressão de insatisfação. "Putitanga! Esqueci minha carteira em casa!"
QUÊDE...? – Cadê? Que é de? Onde está? "Quêde a mamãe?"
QUERIDA voc.– Cuidado! Esse é um falso cognato. O uso da palavra "querida" aqui no Amazonas denota um certo sarcasmo ou uma certa ironia. "Escuta aqui, minha querida. Eu sou a mulher dele, entendeu?" "Você não está entendo, querido. (= você é um burro!)". Mulher odeia, segundo comentário do meu primo Amaro.
QUERO CESSO / NÃO DOU CESSO exp.id. – Expressões que garantem acesso à comida que alguém está comendo. Se alguém chegar e disser "quero cesso", quem está comendo tem de dar. Mas se o comedor se antecipar e disser "Não dou cesso", aí morreu. Sem chances de beliscar.
QUIRIRI adj. – Deserto, silencioso, calmo. "O lago hoje tava quiriri: nem peixe nem pássaros".
RALA-RALA s.m. – Gelo ralado colocado num copo e acrescido de xarope de vários sabores. "Quero um rala-rala de groselha".
RANCHO s.m. – Cesta básica, compras do supermercado. "Tem que fazer o rancho hoje".
RATADA s.f. – Mancada, pisada de bola. "Eu ia fazer uma festa surpresa, mas o João acabou contando antes. Deu a maior ratada!".
REBOLAR NO MATO exp. id. – Jogar fora no lixo.
RECREIO s.m. – Barco. "Que horas sai o recreio para Eirunepé?"
REGATÃO s.m. – Mercador ambulante que em barco ou canoa percorre o interior parando de lugar em lugar.
REIMOSO adj. – Comida que faz mal. "Mãe, já posso comer pirarucu?" "Tá doido, menino. Pirarucu é reimoso."
REPARAR v. – Tomar conta. "Não posso sair porque tenho que reparar o bebê". "Quer que eu repare o carro, tio?"
REQUENGUELO adj. Meio destruído, decadente, mal-vestido, sujo. "Ele tinha um carrinho vermelho, todo requenguelo". "Tu viste aquela mulher, toda requenguela passando pela praia!?"
RÓDO s.m. – Porto. Aportuguesamento de roadway. "Meu irmão vai pegar o motor lá no ródo".
ROER UMA PUPUNHA exp. – Passar por dificuldades. "Depois que ele se separou da mulher, ficou quebrado. Roeu uma pupunha o coitado".
ROTA s.m. - Ônibus de transporte de empresa. "Ontem acordei tarde e perdi o rota".
SACOPEMBA – pessoa gorda. "Tu viu a mulher do Curica? Tá mesmo que uma sacopemba"
SAPECAR v. – Dar, bater. "Ela frescou aí eu sapequei a porrada nela!"
SARNAMBI s.m. – originalmete pequena sobra de borracha que se forma durante o processo de defumação do látex, usado para descrever um bife difícil de cortar. "Esse bife tá mais duro que sarnambi, nem o cachorro quer".
SECO adj. - Vazio. "Claudemir, vai jogar o saco de lixo fora". "Não precisa, mô. O saco está seco".
SUA ALMA SUA PALMA SEU CORAÇÃO SUA PINDOBA - Expressão antiga que o autor ouve muito da mãe quando alguém teima em fazer alguma coisa que ela reprova. "Então meu filho, sua alma sua palma seu coração sua pindoba". Significava que o teimoso estava entregue à sua própria sorte.
SUSTANÇA s.f. – Força, energia. "Tem que comer farinha desde cedo que é pra pegar sustança".
TACACÁ s.m. – Mingau quase líquido de goma de tapioca temperado com tucupi, jambu, camarão e pimenta. "Vou tomar um tacacá bem grande hoje".
TAPIOCA s.f. – Iguaria que se faz de mandioca. Pode ser de manteiga ou de coco. "Quero duas tapiocas de coco, parente".
TÁ, CHEIROSO! exp.id. Não, mesmo! "Vou pegar teu carro esse fim-de-semana, tá bom?" "Tá, cheiroso! Esquece!"
TÁ PORRE exp. – Estar bêbado. "Leva ele que ele tá porre".
TECA /ê/ s.f. vulgar – Órgão sexual masculino. "Aí ele levou uma bolada de cheio na teca dele".
TER UM PASSAMENTO – desmaiar, ter/dar uma bilora
TER/DAR UMA BILORA – desmaiar. "A Terezinha saiu de manhã cedo sem tomar café e teve/deu uma bilora no colégio".
TERÇADO s.m. - facão grande de cortar mato. "O galeroso matou o cara lá a terçadada".
TICAR v. – 1. Cortar o peixe para quebrar as espinhas; 2. Furar alguém com faca.
TIJIBU s.f. – Mulher baixinha e gorda. "Olha que gata ali do lado daquela tijibu".
TIRAR AS BRONCAS – disfarçar, fingir que nada aconteceu. "Depois que peidou no elavedor, o Wandemberg começou a assoviar pra tirar as brocas".
TOMAR TENÊNCIA loc. v. – Tomar jeito. "Tu já faltaste aula três vezes essa semana! Vê se toma tenência".
TOPAR v. – Encontrar. "Quando menos esperava topei com ela na esquina".
TORAR v. – 1. Cortar rente à base. "Esse cabelo ta muito grande. Acho que vou torar ele"; 2. Transar com alguém. "Sabe quem eu torei ontem? A Sheila".
TRAVESSA s.f. – Tiara de cabelo.
TRONCHO adj. - Pessoa torta do juízo ou fisicamente, mutilado. "O cara anda todo troncho depois da surra que levou!".
TURÍTI s.m. Acertar duas bolinhas em uma só jogada no jogo de bolinha de gude.
URUBUSERVAR v. – Olhar atentamente. "Para de ficar urubuservando o papo dos outros!"
VALÊNCIA s.f. – O que serve para livrar de um perigo. "Ficou cara a cara coma onça. A sua valência foi que o filho chegou e atirou na bicha".
VAZADO adj. – 1. Faminto. "Vamos comer alguma coisa? Tô vazado..." 2. adv. Rapidamente. "To super atrasado. Vou ter que sair vazado daqui!"
VISAGEM s.f. – Alma de outro mundo, assombração, fantasma.
VOADEIRA s.f. – Canoa motorizada utilizada para transporte rápido. "Saindo de Parintins, levamos uma hora e meia para chegar a Nhamundá de voadeira".
X-CABOQUINHO s.m. – Sanduíche de pão com queijo e tucumã, fruta regional de carne alaranjada.
ZAMBETA adj. – Tonto.
ZIMPADO adv. - rapidamente. "Quando ele viu o pai da moça atrás dele, ele saiu daqui zimpado".
ZOADA /zuada/ s.f. – Barulho. "O caminhão de som passou aqui fazendo a maior zuada".

Fonte: http://blogs.abril.com.br/singrandohorizontes

2 comentários:

  1. Só vc mesmo Demetrius... legal ver as expressões de vcs, quando eu for ai visitá-los vou decorar o dicionário kkkkk bjs

    ResponderExcluir
  2. Matastes as saudades de uma pessoa que:- Quando morava em Manaus e meus filhos estudavam no colégio Batista Ida Nelson,eu anotava todas as palavras diferentes ouvidas por eles .As palavres eram bem diferentes das nossas aqui do sudeste, lembro-me bem quanto tempo demorei para saber o que era BILOCA meu filho chedou do Colégio Ida Nelson pedindo que eu comprasse "Biloca" Mas meu filho o que é "Biloca"? ele era pequeno não sabia me explicar estava trabalhando e não podia ir na escola.Até que chegou um dia eu fui a escola foi quando me surpreendi com o achado...Biloca?..ah! era bolinha de Gude aqui em São Paulo...foi muito engraçado...abraços amei o Amazonês..abraços Raquel

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...