sábado, 27 de fevereiro de 2016

O DESÂNIMO DE TER UM BLOG


Uma das coisas que me motivou a ter um blog foi a possibilidade de escrever, dizer com palavras grafadas o que penso e poder ser lido, compreendido e até debatido. Isso começou a alguns anos atrás, quando o blog ainda se chamava BLOG DO DARTH METRIUS, que na ocasião, visava apenas divulgar textos e vídeos sobre a - até então - Hexalogia de Star Wars, minha série de ficção científica preferida. O nome do blog se devia ao fato que, desde criança, tenho Darth Vader como meu personagem predileto na saga - o que me deu a ideia de criar um personagem fazendo um trocadilho com o meu próprio nome.

Porém, com o passar do tempo, minhas abordagens passaram a não ficar restritas a "uma galáxia muito, muito distante", passando o blog a incorporar assuntos diversos, sobretudo aqueles ligados a minha realidade cristã, já que sou evangélico histórico, membro de uma igreja presbiteriana.

Então me ocorreu que eu tinha uma ferramenta em minhas mãos que poderia continuar entretendo, mas que poderia assumir sua responsabilidade e ser uma voz do deserto de uma sociedade pós-moderna. Assim sendo, passei abordar temas polêmicos, que na atualidade são espinhosos demais para encorajar qualquer manifestação contra ou a favor, muito embora também escrevesse sobre temas teológicos, assuntos gerais e "bobagens descontraídas". O Darth Metrius me serviu só até um certo tempo. Como a seriedade do blog foi tomando um espaço cada vez maior, decidi mudar de nome. Foi então que surgiu o blog MEU UNIVERSO E MAIS UM POUCO, onde eu continuava a voar em minha galáxia, mas agora com a minha mira voltada para a Terra e um país chamado Brasil.

Daí, veio o meu primeiro desânimo. O Blog do Darth Metrius já contava com uma boa visualização, aparecendo na primeira página de busca do Google, quando alguém digitasse o as palavras "darth" ou "Metrius", e com um destaque. Ao realizar a mudança de nome, o blog perdeu o seu destaque na página do Google e ficou quase imperceptível - o que me frustrou muito. Mas tentei não desanimar, continuei com minha missão auto-imposta de ser um paladino da contra-cultura.

Obtendo incentivo e muito apoio de familiares e amigos a escrever e reproduzir artigos e notícias, me deparei com a triste e nefasta realidade dos blogueiros da blogosfera brasileira, muito semelhante ao dos vlogers do Youtube. Foi quando eu soube que existiam os fãs do que eu escrevia, mas também existiam os haters, os trolls e os demais blogueiros - amigos e inimigos. É uma verdadeira selva, um Jurassic Park onde todos os tipos de repteis devoram uns aos outros em uma mistura de auto-promoção, fogueira de vaidades e disputa por leitores. Para meu espanto, mesmo entre os blogueiros evangélicos, as brigas e alfinetadas, críticas ácidas e mentiras destrutivas eram a ordem todas as semanas.

Sem vontade de me envolver com esta "camumbembagem" (como diria o sertanejo cearense), tentei me esquivar da imprensa marrom e das "tretas" o máximo que eu pude; mas não teve jeito. Logo eu me vi envolvido um uma briga entre dois blogueiros que eu acompanhava. Isso não me rendeu nada e nada para o meu blog. Logo tratei de sair daquele balaio de gatos e me livrar do tiroteio. Porém, o segundo motivo para desânimo com o blog já estava instalado. Foi a pá de cal.

Foi então que em 29 de dezembro de 2013, eu fiz a última postagem depois de anos publicando em meu blog. Quase um ano depois, em 03 de outubro de 2014, tentei retomar a rotina, mas a motivação durou pouco. Em 28 de novembro de 2014 publiquei a minha última postagem. Já não havia mais ânimo algum. Além de tudo o que já relatei, somou-se a isto o fato de parecer estar escrevendo e postando para ninguém. Muitos amigos e conhecidos diziam para mim que liam o meu blog, mas onde eles estavam que eu não via sequer um comentário? Como eu poderia seguir fazendo o que estava fazendo se tudo parecia se dissipar no meio da hiper-nuvem de informações da Internet? Então, parei.

Sempre foram os meus temas abordar sobre religião, política, teologia, atualidades e sempre batendo na cabeça do "politicamente correto" e denunciando as heresias e abusos do "politicamente cristão". Até que a Dilma se reelegeu, o meu professor do seminário advogou a alienação política e alguns crentes passaram a frequentar balada, se abacar na cerveja, fazer boates em suas festas de casamento, debutante e formatura, sem contar a escalada do ignorância bíblica geral - e porque não falei do Talles Roberto e suas idiossincrasias mofadas. Tudo me pareceu inútil. Por que falar destas coisas se nada muda?, pensei comigo. Adicione a isto uma fase de crise ministerial e espiritual - que eu ainda estou passando - e você tem a fórmula exata de como desmotivar um blogueiro cristão.

Eu não sei se com esta postagem, após tanto tempo, eu vou retomar a luta. Mas com certeza quero dizer que a internet e a TV têm sido as minhas fontes de indignação diária, além - é claro - das coisas que vejo em volta de mim que envolve todo o meu contexto, sociedade, igreja, pessoas públicas, etc. Não me falta é assunto para falar, seja aprovando ou desaprovando e elogiando ou criticando.

Espero que nos próximos dias eu tenha capacidade de vencer estes gigantes e voltar a escrever e a postar como antes. Que a Força esteja comigo e - principalmente - que Deus me ajude. Amém!


by Demetrius Farias

2 comentários:

  1. Vc escreve muito bem e tem conhecimento para debater com qualquer um. Força!!

    ResponderExcluir
  2. É pana, se deixar de escrever.
    Um abraço

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...