sexta-feira, 5 de março de 2010

HOMOFOBIA NUNCA! RADICALISMO GAY TAMBÉM NÃO!

Retirando algumas considerações pessoais do autor, das quais discordo, este texto foi um dos mais sensatos que já encontrei na internet abordando o tema homofobia e radicalismo gay, e escrito por alguém aparentemente neutro. Também sou contra a discriminação de homossexuais, que lhe impessam de trabalhar, ir e vir, se expressar e ter seus direitos civís garantidos em um estado democrático como o Brasil. Mas é intolerável a radicalização e deturpação do que se tem feito em nome dos movimentos GLBT e o mais que o valha. A PLC 122 e a Militância Gay tem tentado empurrar uma falácia da qual a sociedade brasileira não concorda, vide a pesquisa de opinião feita pelo Senado Federal e publicada em Novembro de 2009. Já estamos vivendo os últimos dias mesmo. Será que chegaremos ao ponto de sermos presos e condenados por professar a fé Cristã em sua íntegra, sem ter que apagar partes da Bíblia, pois os homossexuais brasileiros poderão se "ofender" e dizer que tudo é homofobia???

Segue o Texto:


Homofobia significa ódio e aversão à homossexuais. Expressar opinião contrária a uma prática é bem diferente. Como cita o título deste meu post, sou contrário a homofobia e ao extremismo Gay, dois lados opostos e nefastos da sociedade.


O principal motivo que me levou a escrever essas linhas foi a intransigência e extremismo de alguns movimentos GLS.

Homossexual é o termo usado para definir o indíviduo que pratica sexo com pessoas do mesmo sexo ou que sente atração apenas, não precisando, para isso, exercer fisicamente o ato sexual. É tão antigo quanto a humanidade, data de antes do Império Romano dominar o mundo. Os homossexuais são indíviduos dignos de respeito, produtivos, educados e limpos ( pelo menos em sua maioria visto que existe gente ruim em todos os segmentos sociais), e não devem, nunca, ser discriminados, assim como qualquer ser humano.

Mas existe um movimento anti-homofobia, no Brasil, encabeçado pelo Professor Doutor Luiz Mott, Decano do Movimento Homossexual Brasileiro, que beira a tirania, intolerância ideológica e fanatismo, chegando a querer punir severamente qualquer indíviduo que critique, mesmo que de forma respeitosa a conduta homossexual. Deturpou o que entendemos por direitos humanos, canalizando para si próprio regalias especiais.

Você pode estar pensando que eles são contra ações de violência e discriminação voltadas a gays, antes fossem, e que bom seria se fosse! Violência contra homossexuais merece ser punida com cadeia? Mas não são, são contrários a qualquer pessoa que expresse oposição a conduta homossexual, em qualquer nível, (cabe ressaltar que do mesmo modo que respeito os homossexuais também sou a favor da existência de pessoas com pontos de vista discordantes à cerca da homossexualidade). Misturaram direitos humanos com liberdade de expressão, e deturparam o conceito de homofobia, caracterizando como "Homofóbicos". Pessoas que discordem da prática homoerótica e confundem tolerância com aceitação e concordância. Algo que por se tratar de um mero comportamento, é sujeito a críticas. Afinal, você critica a opinião ou o comportamento de seus colegas, filhos, etc. O que não significa que você não os ame, mesmo que sua opinião seja um equívoco.
Você pode transar com 5000 pessoas, ou 500, mais não pode querer que todo mundo ache isso uma coisa linda. Alguns podem até achar, mas é algo pessoal.

Mas com seu programa Brasil Sem Homofobia, o Governo Federal quer muito mais, ele quer calar e prender cristãos, judeus e mulçumanos que pregam, cada qual utilizando suas próprias e milenares escrituras, que a homossexualidade é uma prática pecaminosa. Para mim essas escrituras religiosas podem até estar erradas ou mal traduzidas, e como simpatizante dos gays que sou, acho até que deveriam ser ignoradas pelos mesmos. Mas, epa! Esse é um direito a livre opinião que eu tenho. Não posso impor aos outros. Do mesmo modo não posso convencer ou impor de modo algum a alguém a aceitação arbitrária, totalitária e fascista da conduta homossexual. Isso fere nossa Constituição, no que se refere às liberdades de expressão e consciência.

Quer criticar as Igrejas, critique. Os políticos, idem. A homossexualidade, nunca!

Algumas pessoas acham moralmente condenável um beijo gay, outras acham bonito, outras sentem nojo. Alguns seres humanos somente acreditam no "regime" heterossexual, outras são também extremistas e pregam que o mundo deveria ser gay? Nada mais natural, estamos num país livre. Mas ao contrário do cidadão negro, oriental, branco ou amarelo, o cidadão homossexual escolheu praticar atos homossexuais (pode não ter escolhido sentir atrações homossexuais,mas escolheu praticar atos homossexuais), é uma "opção" e como tal, pode ser critícada, assim como podem ser critícadas atitudes de religiosos com seus cultos barulhentos e doutrinatórios.

Será que, num futuro próximo, o movimento gay obrigará os padres, pastores, rabinos, xeques etc. a celebrar, contra os dítames de suas crenças, casamentos gays, mesmo que suas claúsulas proíbam; é uma absurda falta de respeito pela opção religiosa alheia, e nada justifica isso, mesmo porque, se um homossexual não encontrar respaldo em igreja X, ele pode procurar outra, condizente com sua prática . Os mesmo grupos que clamavam pela liberdade do "é proíbido proibir", hoje querem proíbir cada vez mais. Tudo porque o cetro do poder mudou de monarca: Agora é a esquerda fascista que o detém e manipula o povo.

Entenda, caro leitor, não sou contra a homossexualidade, nem tampouco o homossexual, sou contra o cerceamento da liberdade de expressão. É esse o foco, não me importo com o que você faz na cama. A Liberdade de expressão pode ser exercida com pontos de vista fortes sem agressividade e com respeito ao próximo. A Igreja é contra a homossexualidade, mas não agride seu artífice, o homossexual. É um direito dela, acho errado, mas não podemos obrigá-la a aceitar o mundo e o estilo de vida gay. Se ela quiser "corrigir" um homossexual, vai quem quer ninguém é obrigado a ser tratado. Isso chama-se livre arbítrio, o mesmo que os homossexuais queriam e por ele lutaram.

E Para os movimentos GLS, os homossexuais são iguais em tudo, podem fazer de tudo, e nada que os atinja não atinge também os heterossexuais. Quando igualados pelo corte autoritário de navalha, de suas próprias instituições, os gays são discriminados por elas próprias, senão vejamos, andam semi-nús em passeatas, exibem grotescamente suas genitálias em locais públicos, são adeptos do amor livre? Essas generalizações, formentadas pelos próprios grupos GLS, esteriotipam o próprio homossexual, que deveria ser mostrado como um cidadão, cuja vida íntima não interessa a ninguém. Essas palavras são as mesmas do Ilustre Clodovil Hernandez, ele próprio homossexual. A diferença, que deveria ser chamada de diversidade, parece ser conveniente apenas para expressar o que há de bom em ser gay. As doenças, as depressões, o modo de vida, muitas vezes desregrado, são por vezes diferenças que não podem ser mostradas, mesmo que oriundas, em parte, da discriminação. Esses problemas afligem muitas pessoas, como trabalhadores estressados, profissionais do sexo, famílias destroçadas, a mim mesmo! Mas não, não podem jamais, ser preponderantes nos gays, do contrário, trata-se de homofobia, ainda que haja um claro desejo de identificar problemas na tão sofrida comunidade, e assim ajudar a saná-los, permitindo aos mesmos o exercício de sua sexualidade.

Aos meus amigos homossexuais, alguns ilustres professores e colegas por quem nutro imenso carinho e amor fraterno, eu desejo o melhor para o modo de vida que escolheram, exerçam sua sexualidade plenamente, vocês não podem ser discriminados. Mas lembrem-se: Vocês não podem estar além da crítica, do mesmo modo que tomam para si um estilo de vida, "ganham", com isso, ( assim como os próprio héteros, que são chamados de "fornicadores" pelas Igrejas cristãs), a possibilidade de serem críticados, muitas vezes sem boas bases, mas isso chama-se democracia e liberdade de expressão, que nem sempre significa algo voluptuoso, mas muitas vezes, apenas a triste constatação de que podemos ser vítimas de nossas próprias convicções e opções.

Observação: Homofobia é ódio e pavor à homossexuais. Expressar opinião contrária a uma prática é bem diferente. Como cita o título deste meu post, sou contrário a homofobia e ao extremismo Gay, dois lados opostos e nefastos da sociedade. Entenda por homofobia, na prática, a exclusão de homossexuais de nossa sociedade, em alguns setores mais conservadores, onde os homossexuais não podem, por exemplo, se casar, como na esmagadora maioria das igrejas e pela própria constituição. Entretanto sempre existirão os espaços religiosos que os aceitarão, e possibilitarão seu casamento. O que é nobre, a meu ver. Somente não considero Nobre a imposição. A Igreja não pode ser obrigada a casar homossexuais, por questão de credo e crença. E como é tão fácil criar um credo atualmente, basta a comunidade GLS, criar uma entidade, como já fizeram com a Igreja Metropolitana, que esteja em completa sintonia com suas opções. É um direito louvável que lhes cabe. Em tempos, sou a favor do casamento gay em instituições religiosas que os aceite, eles podem fazer o que bem entenderem, só não podem censurar a internet e colocar uma mordaça jurídica na boca das pessoas, bem como impor métodos de crença a religiões milenares. 


Texto extraído do site: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2008/07/425468.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...