segunda-feira, 15 de março de 2010

AH, DEIXA O HOMEM TRABALHAR!

Por Demetrius Farias
"Deixa o Homem trabalhar", esse foi um dos lemas da campanha de reeleição do atual Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Mas a verdade é que ele trabalhou pouco para dentro do país, e se preocupou muito com a posição internacional do Brasil diante de grandes questões mundiais e assuntos sócio-políticos em que o Brasil poderia se envolver e ganhar notoriedade. Não que eu ache isso ruim, pois sempre achei que o país necessitava se impor no cenário mundial e sair da insignificância. Contudo, na medida em que o nosso presidente nos leva a ganhar destaque no mundo, tal destaque está sendo manchado e marcado pelas suas declarações em discursos para a imprensa brasileira e extrangeira.



Ao assistir os jornais, ler as colunas em revistas e blogs na internet, fico mais constrangido em saber que Lula soltou mais uma "Pérola de Grande Valor" para o deleite dos repórteres e críticos da oposição. Muitas vezes estas declarações são tão ridículas e sem conhecimento de causa, que as vezes me faço a pergunta igualmente tola: "Será que ele é analfabeto mesmo?"

Por suas declarações e ações diplomáticas desastrosas, fica evidente que o ex-sindicalista e atual mandatário da nação de maior posição, não tem preparo para falar em nome do país que governa. Não bastassem os erros crassos em suas falas dentro do país, Lula ainda se dá ao luxo de externar seus pensamentos na mídia Européia, Norte-americana e Asiática. Tais frases e declarações são ignoradas pela maioria da nação, que tolera as muitas verborragias do presidente, pois não possui aparato intelectual suficiente para ficar corado de vergonha. Apenas a elite do país e aqueles com um pouco mais de leitura e conhecimento, percebem e criticam, como diria Ruth de Aquino (colunista da revista Época e editora da sucursal do Rio de Janeiro), a "incontinência verbal de Lula".

Para começar, eu listei alguns das melhores declarações dele aqui na terrinha amada do Brasil:

1. "Não adianta ter um bando de generais e de soldados".
Falando no Clube do Exército em 15 de dezembro de 2003.
Fonte: Informativo do Exército Brasileiro, 17/12/2003 e vários jornais

2. "Cheguei à Presidência para fazer as coisas que precisavam ser feitas e que muitos presidentes antes de mim foram covardes e não tiveram
coragem de fazer."
Fonte: Folha de São Paulo, 30/10/2003.

3. "Estou otimista porque estamos reduzindo as taxas de interesses
dentro do Brasil."
Falando à Cúpula das Américas em Moterrey, a 13 de janeiro de 2004.
"Tasa de interés" significa, em espanhol, taxa de juros. 'Taxas de interesse'
não significa nada em língua alguma.
Fonte: Estadão -13 de janeiro de 2004.

4. "Todo brasileiro tem motivos para se sentir otimista.
As perspectivas só são ruins para os desempregados."
Aniversário da RBS, 02/06/2004, em Brasília.

5. "As imanges não falam por si."
Declaração feita em Brasília para a imprensa sobre o caso Arruda.

Apesar da conotação cômica de algumas delas (se não de todas), as frases foram ditas com todas as letras em situações oficiais, de visitas a empresas, ONGs, eventos públicos, viagens ao exterior, etc. E falando em viagens ao exterior, quando o Brasil se apresenta como nação de relevância, o presidente nos faz o favor de lançar as palavras mais célebres.
Para mim, tudo começou com o caso do gás boliviano. Uma das desculpas de Lula para a ineficiência do governo e da diplomacia do Itamarati era a soberania boliviana. Pergunto: Pra quem Lula governava? Para a Bolívia, ou para o Brasil? Que soberania ele deveria estar preocupado? A nossa ou a deles? No entanto Lula achou melhor de render a um cocaineiro. Um país como a Bolívia conseguiu dobrar o "poderoso" Brasil.
Aí veio o Paraguái com a conversa sobre Itaipú. Novamente, o governo Lula se rende a mais uma republiqueta que segue os passos de Hugo Chaves e CIA. Sem contar as inúmeras vezes que Lula dá as mãos para o coronel que se calou diante da grandeza do Rei de Espanha. Lula somente elogia e aplaude o "companheiro Chaves", fazendo vista grossa para a verdadeira ditadura instaurada na Venezuela, com os auspícios de um povo morto-a-fome e que se ilude com pouco, enquanto seu líder está louquinho para jogar seu país em uma guerra irracional com os EUA. A democracia venezuelana é sumariamente vilipendiada e Lula nada fala contra os desmandos do vizinho inoportuno. Não é de admirar, já que aqui em terras tupiniquins, algumas versões "melhoradas" da tirania bolivariana de Hugo Chaves já foram cogitadas.
Depois disso, se mete em Honduras, apoiando um governo semelhante ao da Venezuela, Bolívia e Equador, devidamente deposto por quem defendeu a constituição daquele país. Mas tanto Lula e a Dilma negam que o Brasil se intrometeu, chamando os opositores de Manoel Zelaya de golpistas. Imaginem, se todos os "golpistas" fossem como o governo de Roberto Micheletti. O mundo seria melhor! O "golpista" Micheletti prometeu novas eleições, e cumpriu a promessa. Ganhou Porfirio Lobo, em uma eleição legal e sem constatação de fraude. Mas o Planalto teima em não reconhecer o novo governo de Honduras, eleito democraticamente. Chega a ser ridículo: Lula querendo dar uma de Imperialista, se metendo em assuntos internos de outros países. Dar abrigo a Zelaya na Embaixada Brasileira em Tegucigalpa e depois dizer que o Brasil não tinha nada haver com a história é no mínimo, como diria meu pai, "nos chamar de carecas e nos dar um pente de presente." Eu acho que o Brasil devia sim ser mediador e interventor internacional como os EUA. É nosso direito como potência regional e como país emergente. Mas isso somente depois de fazer o dever de casa.

Agora as últimas de Lula são em relação ao Irã e a Cuba. Não estranho a relação entre Lula e os irmãos Castro, já que os três possuem a mesma formação socialista. Mas a incoerência de quem se arroga defensor dos Direitos Humanos é fenomenal. Na sua recente visita a Cuba, Lula causou a indignação de outros líderes nacionais e de organizações de humanitárias, ignorando os milhares de cubanos exilados no exterior por perseguição político-filosófica. Lula não tinha o que fazer, soltou mais esta: "A greve de fome não pode ser utilizada como pretexto de direitos humanos para liberar as pessoas.", e acrescentou: "Imagine se todos os bandidos presos em São Paulo entrarem em greve de fome e pedirem liberdade". Lula comparou dissidentes políticos a bandidos comuns. A declaração desastrosa foi feita para a imprensa brasileira e a internacional, que leu a notícia em inglês, espanhol, francês, etc. O infeliz presidente fez tal afirmação, mesmo em face da indicação para "Homem do Ano", concedida ano passado pelo respeitado jornal espanhol, El País. Lamentável ver como o grande defensor dos direitos humanos é incapaz de criticar a liderança cubana, que mantém o povo sob a mira de fuzís e aplica a tortura, violando tratados internacionais e baixando-se ao pior nível que um governo pode chegar. Mas também não acho muito estranho, pois para Lula, bandidos e dissidentes políticos devem ser a mesma coisa, certamente! Lembram do caso Cesare Battisti? Pois é... um assassino travestido de dissidente político ganha proteção do governo federal, se dependesse apenas do Executivo. Mas como o Supremo Tribunal julgou pela extradição, podemos aguardar a evacuação deste italiano (com todo respeito aos amigos europeus que tanto contribuíram para o crescimento do país, e que também detestam este assassino imundo). Ah sim..., esqueci de dizer que tal esperança pode se esvair, pois a extradição depende da assinatura do presidente? Se Cesare Battisti é mesmo um refugiado político, então Orlando Zapata, o preso cubano que morreu de fome e que foi alvo dos comentários do "Filho do Brasil", deve ser realmente um bandido. Já que Lula foi omisso neste caso, poderia ter ficado calado sobre o assunto. Mas não! Tinha que abrir a boca pra falar merd...!

Aí vem o Irã e o louco do Mahmoud Ahmadinejad, que "jura de pés juntos" que o Holocausto não aconteceu. Particularmente acho que esta é a afronta mais estúpida, irritante, nojenta e idiota que se poderia fazer para desafiar a minha inteligência e a inteligência do mais burro cidadão do mundo.
Lula é tão ignorante sobre as questões do Oriente Médio, o Islamismo e a crise entre Israel e os povos árabes em volta (imersos no que muitos outros ignorantes ocidentais chamam de extremismo islâmico, sem saber nada da teologia muçulmana e dos ensinamentos contidos no Corão, seguidos a risca e até além disso, por todo bom muçulmano que reside naquela região do globo), que acredita piamente que a paz pode ser atingida através de "bate-papo". Tá..., e eu sou o Bozo!
Foi quando o nosso Molusco Brasileiro disse algo (como nosso grande filósofo contemporâneo, Tiririca) "FANDÁÁÁÁÁÁRDIGO", para tentar minimizar as declarações do mentirosas do iraniano que faltou as aulas de História Geral, mais ou menos assim: "Se o Holocausto existiu ou não isso é problema do Ahmadinejad."
A escárnio do presidente não parou por aí. Questionado pela Folha de São Paulo sobre a aproximação comercial entre Brasil e Irã, Lula respondeu a pergunta feita sobre sua preocupação com o negativismo do encontro dele com Mahmoud, e a repercussão ruim entre os judeus da seguinte forma:
"Muito pelo contrário. Não estou preocupado com judeus nem com árabes. Estou preocupado com a relação do estado brasileiro com o estado iraniano. Temos uma relação comercial, queremos ter uma relação política, e eu disse ao presidente Barack Obama (EUA), ao presidente Nicolas Sarkozy (França) e à primeira-ministra Angela Merkel (Alemanha) que a gente a não vai trazer o Irã para boas causas se a gente ficar encurralando ele na parede. É preciso criar espaços para conversar."
Em outras palavras: "Ahmadinejad é problema dos judeus, e os judeus são problema de Ahmadinejad. Não sou judeu, então não tenho nada haver com isso." Afinal, não é seu presidente, o que significa o Holocausto diante das necessidades do Brasil? Imagino que Lula, se tivesse tido a oportunidade, teria ignorado Adolf Hitler enquanto ele assassinava 6 milhões de judeus, e se encontrado com o líder nazista para falar de negócios e interesses comerciais entre Alemanha e Brasil. É..., pois se ignorar as afirmações e ameaças a Israel vindas de um líder lunático e fazer pouco caso de um problema internacional que toca a todas as nações do mundo, oriundas de nações com políticas anti-semitas, assim como o Irã, é o mesmo que fazer "ouvido de mercador" e "fazer vista grossa" para fascistas tais quais os dos anos 20, 30 e 40.
Atraindo as críticas de comunidades judias do Brasil e do Mundo, Lula parece "dar com os ombros" e convidou Ahmadinejad para visitar o país (veio no último dia 23/11/09), ignorando as milhões de vozes que nada querem com a presença deste facínora terrorista e financiador de colegas igualmente perversos (homens bombas e líderes políticos anti-Israel). Como brasileiro, eu não quero Ahmadinejad no Brasil, nem ontem, nem hoje, e nem amanhã. Que privilégio é esse que Lula está dando a Ahmadinejad se existem muitas outras nações que vendem petróleo ao Brasil? Tem mais coisas que poderiamos comprar? Será que produtos do Irã não haveriam em outra nação do mundo? Será que não poderiamos fazer melhor e pelo menos mostrar mais sinceridade humanitária e fazer comércio com o Iraque e o Afeganistão, onde os americanos estão ocupando militarmente em nome da democracia e da paz? Só um tolo advogaria o direito do Irã em possuir tecnologia nuclear, achando que este país usaria tal tecnologia apenas para fins pacíficos. Irã? Mesmo? Eu acho que não!

Que maravilha! Nosso presidente é um verdadeiro estadista premiado e do mesmo top de grandes líderes mundiais do passado. Com estas frases belíssimas, quem precisa de inimigos e críticos para o Brasil. Nós já temos quem nos avacalhe aqui mesmo!
Lula até hoje "não sabe de nada" sobre o Mensalão, que, assim como seu amiguinho Ahmadinejad, ele afirma que nunca existiu.
"Nunca na história deste país, jamais vimos" um presidente com tanta desenvoltura e capacidade política para representar o país tanto dentro como fora.
Posso desenrolar aqui um longo rosário de ignomínias verbais, como por exemplo:

1. "Collor foi o melhor presidente depois de JK." Com certeza o finado se revolveu no túmulo ao ouvir uma comparação tão imprópria com um corrupto e ex-rival nas urnas. Ele é incapaz, no entanto, de elogiar FHC.
2. "A crise financeira é branca de olhos azuis." Comentário racista da qual teve que se desculpar.
3. "É melhor dar dinheiro diretamente na mão do pobre, pra ele comprar pinga no bar,do que deixar na mão dos ricos empresários aplicarem em derivativos." Falando porque era contrário ao desconto do IPI dos carros, mas que convencido por Mantega, o desconto foi mantido , garantindo a arrecadação e evitando desempregos.
4. "Se quiser nós lhe ensinamos o nosso PROER !" Se gabando para Barack Obama de algo que foi criado por FHC. Depois que soube disso, parou de falar no PROER.

Vocês ainda querem mais? Poderia listar mais, contudo eu não posso listar tudo. Pois até eu mesmo me irrito com tanta ignorância e desmedida incapacidade de pensar antes de emitir qualquer opinião. Como homem público, Lula apenas desmerece a si mesmo e ao país que governa. Prometeu em 2004 que o Brasil iria experimentar um "novo crescimento espetacular". Foi o que aconteceu? Não!
Sabem o que ele disse em visita a Namíbia? Elogiou a capital, Windhoek, dizendo que a cidade era: “tão limpa que você nem imaginaria estar na África.” Ou seja, todo o restante da África é imunda, cheia de lixo e com cidades feias e tudo mais. Notável..., como se ele, os governadores e prefeitos de todo o país zelassem de forma exemplar pelo saneamento básico.

Tudo certo, meus caros leitores. Vou ficar por aqui, que é para não deixá-los mais deprimidos ou mais desesperados pela forma como somos tratados por este governo.
Agora, imaginem se nas próximas eleições, a população desmemoriada e vendida deste país eleger a companheira Dilma. Estaremos entregues a uma bandoleira, mentirosa e pouco humana que não fará nada melhor, além de continuar com a política de direita que o PT perpetuou e terminou por avacalhar. Não que eu seja contra a direita. Sou de direita, mas sair dizendo que os feitos do PSDB são créditos do governo Lula é demais. E olha que tenho severas críticas a algumas ações dos sociais-democratas.
Pois bem. Termino aqui a minha..., crítica. Se é que posso dizer que isso é apenas uma crítica e não um desabafo de alguém que não aceita mais a política petista e do "Filho do Brasil", o Senhor Presidente Luiz Inácio.

Um comentário:

  1. Agora a última dele: Falou para a imprensa israelense, na sua visita realizada neste último domingo, dia 14, que falou com Ahmadinejad e disse para ele parar com a conversa de que o Holocausto Não existiu e de que a vai acabar com o Estado de Israel. Será que é muita ingenuidade do cara?!?!?!?!?! Ele acredita mesmo que o Irã vai dar alguma atenção para o conselho dele?
    Para piorar, ele foi dizer os políticos de Israel que o companheiro Ahmadinejad não é Hitler e que era para parar de demonizar o Irã. Já pensou nisso?
    Imaginem que se Lula tivesse a oportunidade de ir a Europa em meados dos anos 30, e falasse ao congresso de alguns países como a Tchecoslovaquia, Polônia, Áustria, entre outros...: "Calma gente... Hitler não vai invadir ninguém. Vocês tem que parar de alijar a Alemanha e abrir espaço para o diálogo." Pois foi exatamente isso que a França, Inglaterra e URRS fizeram na época. Deu no que deu!

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...