terça-feira, 9 de março de 2010

AUTORIDADE DOURADA E FASCISTA? E A POLÍTICA ANTI-HOMOFÓBICA TAMBÉM NÃO É?


Por Demetrius Farias
É impressionante como a mídia nos quer induzir a aceitar e engolir a tudo. Primeiro a Rede Globo de Televisão com aquela xaropada do Big Brother Brasil, na sua décima edição, onde a emissora tenta empurrar uma imagem positiva do participantes homossexuais. Só que o tiro saiu pela culatra. Foram convidados para participar uma lésbica (já eliminada por razões ligadas a suas atitudes naquele aquário), e mais dois gays, um maquiador extremista e um adolescente de comportamento caricato. O Resultado: Os três bateram de frente com um lutador que, não fez outra coisa, se não expressar sua opinião pessoal sobre o que pensa do comportamento homossexual. Agora imaginem só... No discurso para se livrar do paredão, o maquiador, em um de seus argumentos, diz que vai sempre falar o que pensa, e opinar sempre que achar que deve, mesmo que seja para taxar a outro de homofóbico. Aí eu me pergunto: Será que alguém na casa tem o direito de dizer que a esfacelada tríade alegre é heterofóbica em partes de seus discursos?
Ao passo que os ditos "coloridos", estão caindo na desgraça do povo, esta mesma plateia "idiotamente" iludida, fecha os olhos para o fato de que Boninho e CIA chamaram para o programa uma ex-policial sexualmente desenfreada (segundo ela mesma), um judeu que botou chifre na namorada logo que entrou na casa, uma modelo que quase foi (ou chegou a ser) ator de filme pornô gay. Além de que a maioria já é figurinha marcada e estereótipos pré-definidos (sempre tem que ter alguns bombadões, as gostosonas, o homossexual, o esquisito, a gótica, o nerd, e por aí vai). Nenhum é o exemplo do brasileiro comum. Todos carregam uma marca que é sempre apresentada em todos os BBBs. O Segundo Resultado: Ao passo que os telespectadores tabaréus se aliam ao lutador, fecham os olhos para o comportamento pouco louvável dos demais brothers.
Como esperar que inteligência neste mundo de estupidez? Mas a anos, a Globo é mestre em vender lixo que a população idiotizada compra com todo gosto. Não perco meu temo assistindo essa porcaria, mas tenho acompanhado o desenrolar da "novela" Marcelo x Dicésar.
O curioso de tudo é que o ex-bbb, ganhador da quinta edição do programa, saiu em defesa dos coloridos com um artigo no seu blog (Jean Wyllys) intitulado: Autoridade Dourada e Fascista. No referido artigo, Jean, argumenta que Marcelo é homofóbico, misógino e machista, que sua popularidade crescente é fruto de um autoritarismo do tipo fascista, cuja população tem uma atração estranhamente misteriosa. Tal afirmação gerou a declaração de Boninho (?!?!?!?!?!), feita no Twitter, de que o ex-bbb "estava com dor de cotovelo", pois a tribos dos coloridos perde popularidade na casa (Folha Online). Se acercando de palavras difíceis, termos psicanalíticos com direito a citações a Freud. Jean faz uma "análise" da conduta de Marcelo Dourado dentro da casa, principalmente com relação a postura adotada com Dicésar.
Eu estranharia o comportamento de Marcelo Dourado se ele fizesse diferente do que tem feito. E o que ele tem feito é nada mais e nada menos do que expressar a sua opinião sobre o comportamento dos coloridos, a qual ele acha inapropriado. O problema do Marcelo é fazer vista grossa para todo o restante que também é inapropriado (o festival de licenciosidade que existe naquele prostíbulo, a infidelidade de uns e a ninfomania de outras). Certo também é: Marcelo não exerce seu direito de discordar da melhor forma. Ao ofender Dicésar de "viad...", ele causou ainda mais polêmica, atraindo ainda mais o ódio dos público GLBT e o raio que o parta, gerando o artigo de Jean.
Mas você nunca irá ler uma crítica de Jean ao seu colega Dicésar, dissertando sobre o comportamento dissimulado do maquiador, das inúmeras vezes que atuou como um verdadeiro "leva-e-trás", das vezes em que sua atitude na casa o levaram ao paredão e para se salvaguardar de uma eliminação, usou do expediente da discriminação e da homofobia gratuita por parte de outros parceiros de confinamento. Isso não se fala! É notável como tais indivíduos parecem gostar de se esconder atrás de sua opção sexual para velar outras condutas reprováveis, independente de gênero.

É correto, no entanto, a crítica do ex-bbb ao marombado de pavíl curto? Penso que não. Pelos seguinte motivos:
1. Vivemos em um Estado Democrático de Direito, onde o Artigo 5 da Constituição nos assegura a liberdade de expressão e opinião;
2. Hoje em dia, principalmente aqueles que são militantes dos Movimentos dos Direitos dos Homossexuais (como se a própria Carta Magna do país já não previsse tais direitos de igualdade), taxam e nomeiam toda manifestação contrária ao comportamento homossexual, com base filosófica, religiosa, ou mesmo formada por valores pessoais e familiares como homofobia;
3. A campanha que se tem feito para calar qualquer opinião contra a homossexualidade é tão fascista, quanto as atitudes de Marcelo Dourado. Aliás, alguns dos movimentos GLBT mais agressivos ainda. Ameaçam igrejas, blogueiros, religiosos e pessoas comuns, com processos e denuncias inconstitucionais. Com esperança de que a PLC 122 seja aprovada no Senado Federal, tais militantes gays praticam o que chamo de TIRANIA GAY, tão fascista e nazista quanto a intolerância de Hitler na Alemanha durante os anos 30 e 40. Jean comete o mesmo erro ao classificar a opinião de Marcelo como Homofóbica;

Ou a democracia existe para todos no Brasil, ou não existe! Assim como os homossexuais querem ter o direito de realizar as paradas gays, mostrando nudez explícita e promiscuidade na frente de nossas crianças, os demais brasileiros tem todo direito de discordar e expressar sua discordância livremente. Não advogo por Marcelo Dourado, mas advogo o direito dele dizer o que pensa, sem ter que ser chamado de homofóbico, por parte de pessoas que querem fazer a opinião pública ser simpatizante a todo custo de "causas coloridas" e do "arco-íris".

A atual política anti-homofóbica também é fascista, pois tenta usar dos meios legais para empurrar valores e conceitos sem base em princípios corretos, calando expressivos setores da sociedade, com artifícios políticos. Tais atitudes também são iguais as que o partido nazista utilizou na Alemanha para poder impor seu regime.

Para que uma legislação que defenda os homossexuais seja aprovada, antes de tudo deve existir um amplo debate sobre o que é Homofobia de fato, para que o termo não caia no lugar comum. Depois de se estabelecer direitos iguais para os demais setores da sociedade brasileira, garantindo direitos civís para todos aqueles que não partilham da mesma visão ideológica dos movimentos de defesa dos direitos dos gays. Só assim poderemos chegar ao que seria a verdadeira democracia.

Acho que o Brasil deveria ler mais livros e ver menos televisão, principalmente o BB Brasil.

4 comentários:

  1. Sr. Darth Metrius , o senhor tem razão em umas poucas colocações e nenhuma razão na maioria delas.
    O termo "Homofobia" está mesmo sendo generalizado como qualquer coisa, mas é muito difícil para quem é gay, se sentir cidadão há muitas e muitas décadas, pois a sociedade ainda é preparada para o heterossexual, porém o homossexual também existe na sociedade, quer ser feliz, quer amar e se sentir amado, também trabalha, paga suas despesas e pesados impostos ao governo da mesma forma que o heterossexual, porém não encontra a sociedade para ele, é obrigado a viver na clandestinidade e sempre ser visto como diferente e somente é aceito quando tem poder, é rico, é bonito, proporciona empregos ou diversão para as pessoas da sua comunidade. Qual seria outra forma de combater a discriminação ao homossexual que o senhor sugere? Nenhuma? Então o homossexual deve trabalhar, pagar altos impostos, proporcionar muito a todos e não ter os direitos civis assegurados? Não poder ter uma relação estável e poder deixar seus bens para seu companheiro? Não poder declarar oficialmente a nenhum órgão oficial estar com relação estável e poder incluir um companheiro no seu plano de saúde, por exemplo? Então o que importa é o que as instituições religiosas determinaram há vários séculos e os direitos destes cidadãos deverão estar eternamente limitados, como um castigo, por não desejarem ter uma relação com o sexo oposto e produzir filhos biológicos? Então os países da Europa que admitem o casamento civil entre homossexuais estão errados enquanto que o Brasil de terceiro mundo é que está certo em não aprovar o PLC 122 ou não aprovar casamento entre homossexuais? O mundo pode avançar em tudo, alta tecnologia, cura de doenças, internet, telefonia, robôs, material bélico, mas não pode aceitar que entre os seres humanos existam pessoas diferentes e que todos são seres humanos e deveriam ter direitos plenos iguais?
    Bem, se ainda pensa da forma fascista como coloca o seu artigo, então o senhor imagine, por um momento, ter filhos e netos homossexuais e que estes mesmos o fizessem refletir nas bobagens que escreveu que são muito mais homofóbicas que as palavras do primário Senhor Marcelo Dourado, jogador do BBB10 que a população homofóbica elegeu como campeão.
    Reflita Sr. Darth Metrius. Tenho certeza que sua opinião é baseada, principalmente, por ser uma pessoa heterossexual, se não fosse heterossexual, certamente não daria uma opinião assim, seria mais indulgente, mais tolerante.
    Mas tem razão que existe muito oba-oba, muita frescura, entre muitos homossexuais, mas estes são também seres humanos, como eu sou, como o senhor é, e, portanto, tem todo o direito de serem assim, frescos, bichas, caricatas, pois são pessoas diferentes e se o senhor acha que a sociedade não deveria ter essas pessoas está desejando um "mundo perfeito" do seu ponto de vista, o que é parecido com o que o Sr. Adolf Hitler desejou no nazismo...
    Reflita Sr. Darth Metrius!
    Ah! Postar como anônimo ainda é segurança, pois a sociedade foi preparada para aplaudir os seus comentários, mas agradeço sua atenção em publicar minha opinião contrária.
    Respeitosamente.

    ResponderExcluir
  2. Convido então o amigo a me mostrar aonde eu erro nas minhas afirmações. Do contrário, eu posso responder-lhe com um outro artigo. Penso que é a forma mais democrática e honesta. Você pode sempre comentar o que eu escrever. Será publicado e respondido.

    ResponderExcluir
  3. O fato é que vivemos numa democracia de mentira. O Art.5º da constituição é lindo, mas desrespeitado com tamanha freqüência que chega a ser vergonhoso; assim,me permitindo um pequeno momento filosófico de botequim, deixo a frase: "O preço da liberdade é a eterna vigilância" (Aldous Huxley). Eles nada mais fazem que tentar assegurar que seus (parcos) direitos constitucionais sejam garantidos.

    Quanto ao direito do senhor Marcelo Dourado (Figura patética na minha opnião), de se expressar livremente; devo lembrar que a democracia ao estilo de Voltaire é impraticável; as pessoas não podem ter o direito de OFENDER outras, quer seja pelo sexo, pela raça, pela origem social: livre expressão não é baderna.

    Por último, o Big Brother é um circo dos horrores onde o "Reality" é tudo, menos real. As pessoas são exploradas e se exploram,manipuladas por aquele pseudo-intelectual do sr. Bial. Marcelo Dourado, bem como toda a malta bbb não é um retrato do mosaico brasileiro, é no máximo um garancho do nosso lado mais primitivo.

    ResponderExcluir
  4. "O fato é que vivemos numa democracia de mentira. O Art.5º da constituição é lindo, mas desrespeitado com tamanha freqüência que chega a ser vergonhoso; assim,me permitindo um pequeno momento filosófico de botequim, deixo a frase: "O preço da liberdade é a eterna vigilância" (Aldous Huxley). Eles nada mais fazem que tentar assegurar que seus (parcos) direitos constitucionais sejam garantidos."

    Acho que não. Este pensamento é comum da política partidária. Se você tiver a oportunidade de viver em um país islâmico, vai saber o que é uma democracia de mentira. Tentar assegurar seus direitos é um exercício de democracia e cidadania, mas ele para quando esta tentativa vem para tolher a liberdade da maioria.

    "Quanto ao direito do senhor Marcelo Dourado (Figura patética na minha opnião), de se expressar livremente; devo lembrar que a democracia ao estilo de Voltaire é impraticável; as pessoas não podem ter o direito de OFENDER outras, quer seja pelo sexo, pela raça, pela origem social: livre expressão não é baderna."

    Concordo que ele seja patético, mas ainda assim ele pode se expressar. Expressão não é sinônimo de ofensa, e deste modo, existe justiça para quem se considera ofendido. Não é liberdade como Voltaire, mas é liberdade. Ofender é sempre ruim. Paciência! Me chamam de Filho da Put... na rua e se eu fosse me ofender todas as vezes com isso, eu estava ganhando muito dinheiro com indenizações.

    "Por último, o Big Brother é um circo dos horrores onde o "Reality" é tudo, menos real. As pessoas são exploradas e se exploram,manipuladas por aquele pseudo-intelectual do sr. Bial. Marcelo Dourado, bem como toda a malta bbb não é um retrato do mosaico brasileiro, é no máximo um garancho do nosso lado mais primitivo."

    Concordo plenamente! O BBB é uma falácia sem tamanho e um verdadeiro Abestalhator 2000 (mais um produto das Organizações Tabajara).

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...