sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

STAR WARS: EPISÓDIO I - A AMEAÇA FANTASMA 3D: EU FUI


Por Demetrius Farias (Darth Metrius)

Em 29 de setembro de 2011 eu anunciei no blog que em 2012 estrearia Star Wars: Episódio I - A Ameaça Fantasma 3D. Pois bem, o filme estreou e eu estive lá no cinema.

No último dia 10 de fevereiro eu fui ao Cinemais para assistir a Star Wars em 3D. Ao contrário do que alguns críticos vem escrevendo na Internet (que, aliás, os críticos de cinema nunca elogiam os bons filmes, fazendo ovação apenas para os gêneros que eles gostam, que geralmente são filmes cult, mas de pouca ou nenhuma expressão, qualidade ruim e com um enredo péssimo), eu gostei muito assistir "A Ameaça Fantasma" no cinema. Alguns destes críticos disseram que Episódio I foi algo desnecessário para as salas de cinema, e que as pessoas não precisavam assistir ao filme novamente. Algumas destas afirmações também vieram de alguns fãs saudosistas da Trilogia Clássica, e que gostam de malhar a Nova Trilogia.

Pois muito bem... Se Ep. I em 3D, vamos chama-lo assim agora, foi desnecessário, fica a pergunta: Para quem ele foi desnecessário, cara-pálida? No mínimo, quem faz uma declaração destas ignora o fato de que Star Wars tem milhões de fãs espalhados pelo mundo e que estes sempre serão um público fiel.

Vamos levar em conta as notícias sobre o primeiro filme da Saga em 3D:

Em 10 de fevereiro, Ep. I em 3D estreou em 88 países do mundo, incluindo o Brasil. Logo nos primeiros dois dias de exibição, o filme conquistou o quarto lugar de bilheteria, ficando na frente de "Missão Impossível 4 - Protocolo Fantasma" e "Underworld - O Despertar". Leve em conta que as salas de cinema 3D são menos numerosas que as salas 2D, e você terá uma noção deste filme dito "desnecessário". Em 12 de fevereiro o filme arrecadou 23 milhões de dólares.

No dia seguinte, 13 de fevereiro, o filme já havia ultrapassado a Shrek 2 como 5ª maior bilheteria de todos os tempos, arrecadando 454.088.301,00 milhões de dólares, ficando atrás de Star Wars: Episódio IV - Uma Nova Esperança, que em 1977, arrecadou 460.998.007,00 milhões (valores atuais). Atualmente, a franquia Star Wars ocupa a segunda colocação de maior bilheteria da história, ficando na frente de 007 e perdendo apenas para Harry Potter, que ocupou o lugar de Star Wars já a alguns anos. A questão é: Se estes números se mantiverem proporcionais quando estrearem "A Vingança dos Sith" e o "Império Contra-Ataca", considerados os dois melhores filmes da Saga, em 3D, o que restará para Harry Potter? Será um massacre, como comenta o site Universo Star Wars.

Já em 16 de fevereiro, ontem, o Site BoxOfficeMojo.com divulgou que Ep. I em 3D já totalizava US$ 969.188.790,00, sendo e estava a apenas 5 milhões para chegar a 11ª colocação dos filmes de maior bilheteria de todos os tempos. Harry Potter e a Pedra Filosofal ocupava esta posição até então. Estima-se que neste próximo fim de semana, o filme entre para o Top 10, arrecadando aproximados mais 20 a 25 milhões de dólares, quebrando a marca de 1 bilhão até a próxima segunda-feira, dia 27. Os números são espantosos, já que estamos tratando do filme considerado o menos popular da Saga entre os fãs em geral. Agora é só aguardar pelas notícias durante e depois do carnaval.

Embora o cinema que eu fui tenha servido óculos 3D muito ruins, devido ao constante uso e esterilização. Eu gostei muito do resultado que foi apresentado na grande tela. Eu não assisti "A Ameaça Fantasma" quando ele estreou originalmente em 1999, o que me garante a possibilidade de afirmar que eu estive no cinema nos Episódios VI, II, III e I na ordem cronológica das minhas presenças nos lançamentos da Saga (os únicos que eu não vi no cinema foram os episódios IV, em 1977, e V em 1980). Mas agora, com a Lucas Film trabalhando neste projeto de conversão da Saga para a tecnologia 3D, posso prever que estarei nos cinema para ver "Uma Nova Esperança" e "O Império Contra-Ataca". Somente então, como diria o Darth Vader: "...the cycle is complete!"

O resultado final de Ep. I em 3D ficou muito bom. Embora alguns tenha saído do cinema reclamando que não viram cenas que tomassem de assalto o público sentado nas poltronas, tal reclamação não leva em conta que todos os seis filmes da Saga não foram feitos para serem filmes exibidos em 3D originalmente. Deste modo, e sem expectativas exageradas, temos uma boa oportunidade de assistir ao filme como se você estivesse dentro dele.

Por muitas vezes eu tive a impressão de que eu estava nadando com Jar Jar Binks em Naboo, bem como poderia tocar nos cabelos de Shmi Skywalker enquanto ela se despedia de seu filho Anakin, ou ainda que eu estava dentro de um dos caças N-1 que Naboo enviou para tentar destruir a nave de controle dróide.

A sensação de realidade era tamanha, que em alguns instantes eu tinha a impressão de estar vendo tudo o que acontecia na tela como se esta fosse uma janela, e que eu inclinasse o meu corpo para a esquerda ou para a direita, eu poderia ver algo mais do cenário do filme, por trás das arestas da desta "janela". Imagens como do interior do Senado Galáctico, os voo dos Coruscant, e as viagens espaciais na órbita dos planetas são de especial beleza.

Há dois momentos muitos legais que o 3D proporcionou um bom susto para mim e para minha esposa (que me acompanhou no momento). A primeira foi a colisão e explosão do pod de corrida do personagem Ratts Tyerell, que bate em uma rocha dentro da caverna que faz parte do percurso da famosa Boonta Eve Classic, a principal corrida de Tatooine e a maior da galáxia. A rápida cena do impacto na rocha da caverna e a explosão deram um susto em muita gente, inclusive em minha esposa. A segunda cena foi curta, simples, mas que também provocou reações. Durante a Batalha de Grassy Plains, depois que os dróides da Federação do Comércio penetram os escudos defletores dos gungans, estes iniciam os lançamentos das boomas (nome dado as bolas de energia azuladas utilizadas como projéteis pela milícia gungan). Nesta sequência, logo após Jar Jar cair de sua montaria, uma das boomas é lançada e voa bem no meio da tela em direção ao expectador (confira nos 2'39'' do segundo vídeo), que tem a reação imediata de tentar se desviar do objeto. A booma acerta um dróide bem no peito, que cai no chão se tremendo e desativando.





Outras cenas mais empolgantes são a clássica batalha de Darth Maul e os jedi Qui-Gon Jinn e Obi-Wan Kenobi, que ficou muito mais eletrizante. A batalha espacial e a fuga da J-type 327 Nubian de Naboo, rompendo o bloqueio da Federação, também são cenas que ficaram muito boas. A Podracing (corrida de Pods) é um dos momentos de maior vibração do filme, onde mesmo os cinemas 3D convencionais parecem que se transformam em cinemas 4D. O som do ronco dos motores dos pods de corrida faz com que as poltronas do cinema vibrem, ampliando as sensações de presença real do expectador dentro do filme.


Em geral, as películas de desenhos animados são bem melhores em 3D do que as películas de filmes live action. Eu pude assistir "As Crônicas de Nárnia - A Viagem do Peregrino da Alvorada", "Fúria de Titãs" e "Enrolados", "Os Smurfs", e mais recentemente "A Bela e a Fera". Minha conclusão sempre foi que os desenhos são muito melhores do que os filmes em 3D. E eu pude verificar isso mais uma vez na conversão de "A Bela e a Fera", um clássico da Disney, para uma versão turbinada em três dimensões. O Peregrino da Alvorada e Fúria de Titãs, embora fossem encharcados de CG, não apresentam um desempenho tão impressionante, se comparado aos desenhos.

Sou suspeito, mas em "A Ameaça Fantasma" esta situação mudou muito. Levando em conta, como escrevi no início, que o filme original de 1999 não foi produzido visando ser exibido em 3D, o trabalho de conversão gerou resultados muito satisfatórios. Como eu disse, em determinados momentos, o filme, mesmo desprovidos de cenas que "atacassem de assalto" o público, tem inúmeras sequências que parecem estar fora da tela, bem diante de nós, como se fosse possível tocar nos objetos e personagens. Percebe-se que a noção de "profundidade" nas cenas foi muito bem explorada, beneficiando muito o resultado final.

De fato, quem esperava um show de imagens quase holográficas, deve ter se decepcionado muito. Como eu disse, não era para se esperar tanto como alguns fizeram. Mas no final, valeu a pena.

Se os críticos gostaram ou não, isso não me interessa. Os números falam por si, e as previsões também dão conta de novo sucesso, coisa rara em reprises que voltam para os cinemas. Para um filme considerado o mais fraco da franquia, cuja exibição foi reputada por "desnecessária", Star Wars: Episódio I - A Ameaça Fantasma, bate recordes e deixa os fãs ansiosos por continuar a ver a sequência.

Espero que Star Wars: Episódio II - Ataque dos Clones, seja tão bom ou melhor que este primeiro, tendo na memória que ele contém muitas outras cenas bem mais interessantes para a conversão em 3D, possibilitando efeitos bem mais interessantes.

Agora, estamos iniciando mais uma vez o desenrolar da trama, e caminhando para os tão esperados "A Vingança dos Sith" e o "O Império Contra-Ataca". Que venham os próximos. Que venham os wookies, que venham os clones, que venha a Estrela da Morte, que venha a Batalha Espacial de Endor. Que venha o final.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...