segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

MINISTRA ATACA EVANGÉLICOS

Ministra Luiza Bairros

Ministra diz que evangélicos querem acabar com religiões africanas

A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Luiza Bairros, denunciou evangélicos que tratam com intolerância membros de religiões de matriz africana.

“Alguns setores, especialmente evangélicos pentecostais, gostariam que essas manifestações africanas desaparecessem totalmente da sociedade brasileira, o que certamente não ocorrerá”, disse ela.

Luiza Bairros falou com os jornalistas durante o evento em São Paulo que comemorava o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa dizendo que os ataques a membros de religiões como o candomblé e a umbanda chegaram a um nível insuportável.
“O pior não é apenas o grande número, mas a gravidade dos casos que têm acontecido. São agressões físicas, ameaças de depredação de casas e comunidades. Nós consideramos que isso chegou em um ponto insuportável e que não se trata apenas de uma disputa religiosa, mas, evidentemente, uma disputa por valores civilizatórios”.

O evento promovido pela Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial juntou representantes de diversas religiões no centro da capital paulista para tentar mostrar que é possível viver de forma pacífica com pessoas com professem crenças diferentes. Entre os participantes dessa festa estava o pastor luterano Carlos Mussikopf que falou com a reportagem da Agência Brasil sobre o tema.

“Devemos procurar o que nos une, o que nos unifique, o que nós temos em comum. E que a gente também saia da teoria, dos encontros de diálogo e passe para a prática. Existem tantos desafios na sociedade que nós vivemos que exigem uma ação unificada também das religiões. Vamos ver questão da população de rua, da natureza”, disse.

Para ensinar principalmente os jovens a respeitar as religiões a Seppir vai anunciar em breve um plano de apoio a comunidades de matriz africana. “Nós queremos fazer com que essas comunidades também sejam beneficiadas pelas políticas públicas”, disse. Com este projeto é possível que os membros dessas religiões sejam mais respeitados pelas demais.

Nota do CACP: Só falta agora o governo (a seita) do PT acusar os evangélicos de xenofóbicos e proibir as pregações bíblicas sobre as crenças protestantes. O cristianismo é excludente e explicita que sua verdade é inegociável. Na cosmovisão bíblica o que as religiões animistas ensinam é influência diabólica e do mal. O cristianismo doutrina isso há dois mil anos e não é agora que cessaremos de dizer a veridicidade. Os exus das religiões africanas, para o contexto teológico/bíblico, são manifestações de demônios e ponto. É preciso lembrar À ministra que a recíproca também é verdadeira. Para as religiões africanas o que os protestantes ensinam é uma grande claudicação cosmológica, ou seja, as religiões são excludentes e independentes e isso deve continuar assim. O Estado deve ficar fora dessa disputa, assim todos ganharemos.

Fonte: Gospel Prime

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...