sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

PARALELOS IV - ANAKIN SKYWALKER

Por Darth Metrius


Um dos temas que eu desejo abordar, e agora tenho a oportunidade de fazê-lo, é falar sobre Anakin Skywalker.
Longe de plagiar a Joseph Campbell, cuja obra para um entendimento mais filosófico de Star Wars inspirou George Lucas (eu recomendo O Herói das Mil Faces de 1949), não pretendo dissertar sobre os mesmos pontos e análises observadas por ele, nos muitos mitos da história humana das culturas espalhadas pelo mundo.
No estudo de C
ampbell, todos os mitos e expressões dos vários povos, ao longo do tempo, apresentam semelhanças no que se refere à figura do herói. Em uma análise mais aprofundada, tanto na mitologia grega, na mitologia nórdica, nas cosmologias de povos celtas, e nas visões de mundo de povos ameríndios, os heróis sempre possuem algumas características e atributos que lhes são comuns, e que surpreendentemente parassem derivar em si.
Em Star Wars não é diferent
e. Levando-se em conta que a maior obra de George Lucas, além de ser uma bela peça da sétima arte voltada à ficção científica e fantasia, uma Ópera Espacial sem precedentes em mesmo calibre, criou-se uma mitologia moderna, que espelha o que sempre existiu no coração e na mente do homem. De uma forma futurística, Star Wars retrata os mesmos dramas da humanidade, assim como a mitologia grega, por exemplo, fez ao falar sobre a sociedade através do imaginário, do mágico e do religioso. Anakin Skywalker é a parte desta Mitologia Ocidental Moderna, que de forma fenomenal, narra o homem e sua sociedade.
Em Paralelos IV, desejo descrever a minha visão sobre Anakin Skywalker, traçando alguns paralelos com a rel
igião e a mitologia, e em alguns casos com fatos reais, onde pessoas reais incorporaram os traços do Herói de Mil Faces, que Campbell descreveu.



Uma Biografia Analítica:
Anakin Skywalker nasceu em 42 ou 43 BBY, mas a data mais precisa de seu nascimento acredita-se que seja 42 BBY. Existe uma controvérsia sobre o local do seu nascimento. Anakin diz que veio com sua mãe para Tatooine quando ainda tinha três anos de idade, como escravos comprados por Gardulla, o Hutt. Mas o historiador Voren Na’al registra que o local de seu nascimento foi Tatooine.
Concebido pelas midi-chlorians, no ventre de Shmi Skywalker, Anakin cresceu sem conhecer um pai, tendo sua única referência de tal figura no seu dono, o toydariano Watto.
Ainda criança se mostrou muito habilidoso com a matemática, mecânica e engenharia, construindo, a partir de sucatas, um dróide, C-3PO, e um pod de corrida. Mas sua personalidade também era preocupada e aventureira. Em inúmeras ocasiões, Anakin chegou a arriscar a própria vida, para ajudar a terceiros que muitas vezes lhe era totalmente estranhos.
Algumas curiosidades de Anakin antes de 32 BBY: Aos cinco anos de idade, Anakin escalou uma imensa duna para afastar uma manada de banthas de caçadores nas proximidades. Quase veio a falecer de cansaço e pelo extremo calor do deserto. Pouco tempo depois, ao vigiar um grupo de jawas, encontrou um Tusken Raider ferido, ajudando-o a se recuperar até ser resgatado pela sua tribo. Pouco antes da Clássica corrida de Boonta Eve, Anakin e Kitster Banai, seu melhor amigo, disfarçaram-se de jawas, e penetraram em uma fortaleza de Gardulla, libertando crianças capturadas que seriam vendidas como escravas em um negócio nefasto entre o hutt e Sebulba, daí a rivalidade entre Anakin e o dug mal-encarado.
Aos oito anos de idade, Anakin teve seu primeiro contato com os sith. Ao tentar consertar um holoprojetor para Watto, Anakin acidentalmente ativou um holograma de um antiguíssimo dróide de batalha, relíquia de tempos milenares, onde havia uma gravação perturbadora. Anakin testemunhou choros e gritos de pessoas, além de ouvir pela primeira vez a palavra “SITH”. Tomado de perplexidade e curiosidade, Anakin foi perguntar aos mesmos pilotos que lhe falaram sobre os “anjos”, se sabiam algo sobre os sith. Os pilotos lhe contaram como a fama dos sith era conhecida na galáxia há milênios atrás, e como a Ordem e seu Império ruíram. Contaram-lhe ainda que havia um rumor de que um lorde de sith havia escapado a extinção da ordem e a reorganizado, perpetuando-a até aqueles dias.
Em 32 BBY, a vida de Anakin Skywalker passa por uma mudança drástica. Naquele ano, sua vida se cruza com o mestre jedi Qui-Gon Jinn, seu aprendiz Obi-Wan Kenobi, Padmé Na
berrie, o desajeitado Jar Jar Binks e o pequeno dróide R2-D2. Envolvendo-se com os forasteiros, Anakin se vê diante da oportunidade de deixar de ser um escravo e se tornar um cavaleiro jedi,um sonho que se tornaria realidade. Deixando sua única família, Shmi, e seus amigos de infância, Anakin segue com Qui-Gon e os demais para Coruscant, e se vê envolto pela Crise de Naboo e a subseqüente batalha entre os naboo e a Federação do Comércio.
Antes de participar
da batalha, ainda em Coruscant, Anakin foi apresentado ao Conselho Jedi, como sendo o Escolhido, como cria Qui-Gon Jinn, por ser ele um inegável fruto da Força. Qui-Gon pede ao conselho que permita que Anakin seja treinado como cavaleiro jedi, mas o seu pedido é temporariamente negado, visto que a criança é vista com desconfiança por parte do conselho e em especial por mestre Yoda, que percebe um futuro nebuloso e incerto para o menino.
Contudo, após a mort
e de Qui-Gon Jinn por Darth Maul, Anakin é aceito por Yoda para ser treinado como jedi, ao passo que Obi-Wan termina seu treinamento e assume a educação de Anakin como sendo seu mestre.
Anakin cresceu e se tornou um adolescente arrogante e socialmente desajeitado. P
or possuir muitas habilidades notáveis, se sobressaia aos demais companheiros de sua idade. Mesmo os mais velhos, muitas vezes se viam superados por ele. Tais comportamentos o distanciavam dos demais, e somado a isto, demonstrava pouco respeito por seu mestre, Obi-Wan, que desobedecia freqüentemente. Com relação a Obi-Wan Kenobi, Anakin tinha uma relação bastante controversa. Ao passo que, depois da morte de Qui-Gon Jinn, Obi-Wan tenha ocupado um lugar como figura paterna na vida de seu aprendiz, Anakin sempre se considerou superior ao seu mestre, julgando-se melhor e mais bem preparado. Ao comparar seu mestre com a sabedoria e a força de mestre Yoda e mestre Mace Windu, de certo modo o fez por arrogância imatura, visto que em vários aspectos, Anakin se considerava superior ao mestre.
Parte desta relação complexa se d
ava pelo fato de Obi-Wan manter dúvidas sobre si mesmo, se possuía a capacidade de dar um bom treinamento ao seu aprendiz. Obi-Wan tinha uma promessa a cumprir, treinar o garoto como jedi, desejo de seu falecido mestre, que o fizera jurar. Obi-Wan o treinava com certo receio, pois o achava perigoso, e não via o jovem como alguém com muito potencial, apesar de saber que seu exame de sangue revelava uma impressionante contagem mid-chloriana. Anakin percebia tais questionamentos de Obi-Wan, o que lhe frustrava com relação ao seu mestre e o fazia buscar conselho com outro mentor, o Chanceler Palpatine.
Enquanto a amizade de Palpatine e Anakin se desenvolvia, o chanceler fazia com que a soberba de seu jovem amigo se perpetuasse. Sempre exaltando suas qualidades, Palpatine propositalmente fazia com que o orgulho de Anakin aumentasse a cada dia. Por várias vezes, ao ser repreendido por seu mestre, Anakin se convencia de que nada de errado fizera, pois Palpatine lhe elogiava em tudo.
Apesar dos problemas de Anakin, e as dificuldades de Obi-Wan em se achar capaz de treinar o rapaz, a relação conflituosa passou a tomar uma forte ligação entre os dois, tendo Obi-Wan um lugar especial na vida de Anakin, como o Pai que nunca tivera.
Mesmo como padawan, Anakin não esqueceu seu amor pela mecânica e a engen
haria. Era comum ver nos corredores do templo jedi as invenções dróide de Anakin perambulando.
Aos doze anos, Anakin teve sua primeira missão com seu mestre, e após este, inúmeras outras foram realizadas das quais algumas delas provaram o seu caráter de forma agressiva. No entanto, o jovem
aprendiz sempre se manteve firme, e apesar de receber propostas tentadoras de deixar a Ordem Jedi, ou se unir a algum seguidor do Lado Negro, nunca titubeou tudo que aprendeu sobre a Força e o Lado Luminoso. Neste aspecto, Anakin revelava outra faceta de sua personalidade e caráter. Ele absorvia a tudo que seu mestre lhe ensinava e ouvia os conselhos de jedi mais experientes e sábios.
O início de sua vida adulta foi marcada por grandes eventos galácticos. A Crise Separ
atista e as subseqüentes Guerras Clônicas, foram o seu batismo de fogo como Cavaleiro Jedi. Em 22 BBY, Anakin se reencontra com Padmé, da qual se apaixona e vem a casar secretamente, violando o código jedi. Mas a sua maior provação neta época, foi enfrentar a morte de sua mãe, Shmi, e matança da tribo Tusken Raider que havia a seqüestrado. Na Primeira Batalha de Geonosis, Anakin enfrenta pela primeira vez a um verdadeiro lorde de sith, Darth Tyranus, o conhecido Chefe de Estado da CIS, Conde Dooku. Ao duelar com o sith, na tentativa de salvar seu mestre, acaba por ser mutilado, perdendo parte de seu braço direito, decepado pelo sabre de luz de seu adversário.
Após a batalha, Anakin passou a
usar uma prótese mecânica, que futuramente seria substituída varias vezes, ao longo de sua vida (além das futuras próteses que usaria no braço esquerdo e nas duas pernas).
Anakin por meses tentou esconder seu relacionamento secreto com Padmé, coisa que estava cada vez mais difícil. Mas, em 19 BBY, ao saber que sua amada esposa estava grávida, suas preocupações só lhe aumentaram. Atormentado por visões sobre a morte de Padmé, Anakin passa por experiências cada vez mais difíceis e que lhe conduzem ao desespero.
Ainda em 19 BBY, Anakin resgata o Chanceler Supremo, e mata Conde Dooku, em uma situação que lhe custou muito para sua consciência. A decapitação de Dooku por ordem de Palpatine, foi a amostra final para o tenebroso Lorde Sidious de que Anakin lhe seria obediente, se convertido ao Lado Negro da Força.
Tomado de medo
pela possibilidade da morte de sua esposa, Anakin passa a buscar uma forma de salvá-la através dos poderes da Força. Ao saber que o lado negro poderia lhe oferecer uma saída, Anakin se vê tentado.
Indicado pelo chanceler para compor o Conselho Jedi, que já estava começando a perder membros para a guerra, Anakin é admitido, mas sem poder ser graduado mestre jedi, o que lhe causa grande frustração, intensificada ao saber que o conselho lhe passara uma missão de espionagem, cujo alvo era o seu próprio amigo, Palpatine.
Durante o processo, cada vez mais isolado da Ordem Jedi e sob desconfianças de membros do Conselho, Anakin não vê alternativas se não buscar ajuda com seu velho mentor. Entretanto o seu último encontro com aque
le que julgava ser apenas um velho político e amigo de longa data, se revelou mais uma grande reviravolta em sua vida. Palpatine se revela como um lorde de sith, e oferece a ele a promessa de salvar Padmé através dos conhecimentos do lado negro.
Transtornado, Anakin vai ao templo jedi e conta a sua descoberta a Mace Windu, o único que poderia enfrentar o lorde sith e ter alguma chance de vencer. Anakin é impedido de ir até o palácio do chanceler para efetuar a prisão com Mace Windu e três outros jedi. Tentado por seu medo e pelo próprio Palpatine, Anakin desobedece a Windu e vai até a câmara do chanceler, onde encontra uma cena que lhe causa espanto. Palpatine, aproveitando-se da situação em que se encontrava, supostamente acuado por Windu, seduz a Anakin para que lhe salve a vida, já que Windu estava resolvido em matá-lo. Anakin reage e corta a mão direita de Mace Windu, que é golpeado em seguida por Palpatine com um fluxo fortíssimo de raios do Force Light, sendo defenestrado da câmara.
Ao perceber o que havia feito, Anakin se atormenta pela ação que havia tomado, mas tal remorso durou pouco, pois sua mente é tomada pelo medo e acaba caindo para o Lado Negro da Força. Daquele momento em diante, Anakin passa a se chamar pelo seu novo nome sith, Darth Vader.
Enviado para o Tem
plo Jedi, Vader extermina todos os jedi ali presentes, bem como os padawan e os younglings, auxiliados por sua 501ª Legião, que se tornaria em breve a 501ª Legião Imperial e apelidada de “The Vader’s Fist”, ou “O Punho de Vader”. Tomado de ódio e eventuais sentimentos de tristeza profunda, manifestas por lágrimas que corriam de seu rosto, Vader extermina o Conselho Separatista em Mustafar, e ordena a desativação de todos os dróides de batalha da CIS.
Ao ver que sua esposa, Padmé, entrava na órbita de Mustafar, Vader se prepara para encontrá-la na plataforma de pouso. Mas tem uma surpresa desagradável. Padmé não aceita sua mudança repentina para o Lado Negro da Força, e como se não bastasse, Obi-Wan havia chegado em Mustafar, escondido na nave de Padmé. Achando que havia sido traído pela sua própria esposa, Vader sufocou-a com o Force Choke, deixando-a inconsciente por um tempo. Confuso e tomado de ira, Vader entra em combate contra seu velho mestre, com a qual passa a duelar em uma disputa mortal.
Apesar de possuir notória força e poder, Vader não detinha a experiência em combate que Obi-Wan possuía. Sendo derrotado de forma humilhante. Tendo seu braço esquerdo decepado, bem como suas duas pernas, Vader cai ao chão próximo a um rio de lava, cujo calor e os vapores inflamáveis lhe incinera as roupas e queima-lhe o corpo, trazendo grande agonia. Deixado para trás por Obi-Wan, que julgava não mais ver seu velho aprendiz, pois achava que não sobreviveria aos ferimentos, Vader é resgatado por Palpatine e levado a Coruscant, onde passa por uma dolorosa cirurgia de emergência, para salvar-lhe a vida. Deste dia em diante, Vader fica conhecido por toda a galáxia, não só pela sua fama, mas pela amedrontadora silhueta de sua armadura negra, seu traje de suporte a vida, que lhe mantinha em condições de viver de forma relativamente normal.
Sendo informado de que havia matado a Padmé, sendo que na verdade ela havia morrido no parto de seus dois filhos gêmeos, Vader passa a viver achando que era responsável pela morte de sua amada. Tal sentimento lhe trás profunda dor, descontada na brutalidade e crueldade com que trata dos assuntos do Império.
Temido e ao mesmo tempo odiado pelos oficiais imperiais, Vader comanda as forças armadas com punhos de aço. Obliterando todos os inimigos do Império, e caçando os remanescentes jedi espalhados pela galáxia, Vader, em várias ocasiões, executou jedi em vários sistemas, levando a extinção virtual da Ordem.
Em 18 BBY, Vader, passa a treinar um aprendiz secreto, escondido do imperador Palpatine, com o intuito de substituí-lo por si mesmo como novo Imperador e tendo um aprendiz capaz de assumir o seu lugar. Mas em 3 BBY, Vader não pode mais esconder o seu aprendiz do Imperador, que percebe a possível trama de seu aprendiz.
Galen Marek, apesar de possuir poderosa habilidade na Força,
não sobrevive ao confronto com o Imperador, dentro da Estrela da Morte. Vader, neste episódio, sofre a sua primeira derrota em combate, desde Mustafar.
Após este embate, no entanto, Vader se mostra que ainda é um poderoso sith. Reconquistando seu lugar ao lado de seu mestre. Vader enfrentou muitos outros jedi, jedi negros e até outro sith, Darth Maul, que havia sido ressuscitado por alquimistas fanáticos de um culto que se opunha a Lorde Vader.
Em 0 BBY, Vader descobre que possui um filho sobrevivente, Luke Skywalker, após a Batalha de Yavin. No afã de atrair a Luke para o Lado Negro e torná-lo seu aprendiz, Vader convence o Imperador que trazer Luke para o seu lado seria uma aquisição valiosa ao Império. Vader, entretanto, tinha planos mais nefastos com esta proposta, coisa que Palpatine não mais desconfiava, e sim tinha certeza.
Luke é atraído a uma armadilha, onde a princesa Léia Organa, Han Solo, e Chewbacca são capturados por Vader. No duelo que se segue, Vader corta a mão direita de Luke (uma tradição entre os Skywalkers), e revela que é pai do jovem jedi. Luke, consternado, mas ciente de que o lorde sith a sua frente é realmente quem diz ser, foge de forma a parecer que havia suicidado-se. Mas Vader sabia que Luke estava vivo e já preparava o próximo encontro.
Em 4 ABY, na famosa Batalha de Endor, Vader se encontra pela última vez com seu filho na presença do Imperador. Vader permanece ao lado de seu mestre, enquanto este t
enta seduzir a Luke para que se volte ao Lado Negro da Força. Após o seu duelo com seu pai, Vader é pela segunda vez derrotado, perdendo novamente a sua mão direita, amputada pelas mãos de seu próprio filho. Mas nada disso sem antes descobrir que Léia, filha adotiva do senador de Alderaan, Bail Organa, na verdade também é sua filha.
Vendo a Luke, que agora, após enfrentar o pai, passa pela mesma provação de Galen Marek, sendo torturado pelos raios da força lançados pelo Imperador Palpatine, e conduzido pelo seu sentimento paterno e o conflito interno advindo de reminiscências do lado luminoso da Força, parte de sua natureza ainda intacta, Vader levanta-se, e atira o Imperador em um grande fosso da sala do trono.
Apesar de conseguir matar o Imperador, Vader já está morrendo, pois os raios lhe atingem o traje de suporte a vida, e seu funcionamento é drasticamente comprometido.
Mesmo Luke tentando salvar-lhe a vida, Vader sabe que pouco tempo lhe resta, então pede para que Luke lhe remova o capacete, para que possa olhar para seu filho e se despedir da vida usando os seus próprios olhos.
O corpo de Anakin se une a Luz e Luke realiza uma cerimônia fúnebre com apenas a armadura e as partes artificiais do corpo de seu pai.
Anakin, após a sua morte também aprendeu o segred
o da força, de se manter conectado ao mundo dos vivos. Por esta razão, nas comemorações em Endor, pela derrota imperial e a morte do Imperador, Anakin aparece a Luke, juntamente com Yoda e Obi-Wan Kenobi. Após este episódio, Anakin se manifestou para seus parentes em outras ocasiões, e após mais de cem anos, apareceu para o seu descendente mais distante, Cadê Skywalker.

Paralelos:

Anakin Skywalker é um personagem que agrega em si vários personagens históricos, personalidades, personagens mitológicos e figuras religiosas. A junção destes elementos forma o personagem, que é sem dúvida o ponto central de toda a Saga de Star Wars. Vejamos alguns destes elementos:

O Nome
:
Anakin é um nome que pode traçar sua origem em três línguas: O Sânscrito, o Hebraico e o Grego.

Em sânscrito, o nome pode ter dois significados, (1) “guerreiro”, ou (2) “Sem Igual”.
No caso do hebraico, Anak
in teria uma pequena diferença gráfica no aportuguesamento: “Anaquim”. Segundo a Bíblia, Anakin era o nome de um povo que habitava a região de Canaã, durante o período do Êxodo. Os Anaquins, ou Enaquins, possuíam uma particularidade. Eram gigantes, homens de estatura superior a dois metros e meio, chagando a três metros. Foram combatidos pelos exércitos de Israel, comandados por Josué ben Num, o conquistador. O último bastião dos Anaquins foi a cidade de Hebrom (na época se chamava Quiriate-Arba), onde o conquistador Calebe ben Jefoné (ótimos nomes para colocarem em seus filhos). Os tribo dos Anaquins foi conquistada e seus remanescentes se mudaram para as cidades costeiras ao Mediterrâneo, onde se associaram aos filisteus. Um dos exemplos destes descendentes é o famoso Golias, que lutou com Davi, futuro rei de Israel. Golias era radicado em Gate, umas das cidades da federação de estado filisteus.
Outra origem para o nome de Anakin, poderia ser do grego. Anakin seria um nome composto, dividido pelo sufixo “Ana”, que significa “sem” ou “ausência de”, e a partícula “Kin”, que significa “pai” ou mais precisamente “parente”. Sendo assim, Anakin significaria literalmente, “Sem Parente”, o que dá indicação de sua história de vida e seu misterioso nascimento sem pai.



The Choose One:
A Profecia do Escolhido é uma parte da mitologia de Star Wars que bebe da fonte de outras mitologias, mas também das religiões e em fatos reais. Segundo a perspectiva de Joseph Campbell, o Herói aglomera em si características comuns entre os vários personagens, heróis, ilustres e notáveis de ao longo da história dos povos.
A figura de Anakin Skywalker, como o Escolhido, tem como paralelos aspectos messiânicos de quatro grandes religiões, o Zoroastrismo, o Mitraísmo, o Judaísmo e o Cristianismo. Aliás, a figura de um “Salvador
”, alguém que virá e trará a inauguração de uma nova era justiça e paz, ou alguém que trará uma mudança drástica na ordem vigente, a libertação, ou purificação da sociedade, é uma característica presente em várias religiões, principalmente em crenças mais primitivas e algumas religiões tribais espalhadas pelo mundo, sem considerar obviamente as grandes religiões universais.
Em ordem cronológica, podemos traçar as semelhanças entre estas religiões:
Zoroastrismo: O Zoroastrismo, ou Mazdeísmo, é uma das religiões mais antigas do mundo, com mais ou menos três mil anos de história e desenvolvimento. É uma religião que não se define nem como politeísta e nem monoteísta. Apesar de Zoroastro, antigo sacerdote e profeta persa, ter reformado a antiga fé iraniana, que se assemelhava muito ao bramanismo hindu, o Zoroastrismo ainda conservava grande parte de seu panteão. Mesmo admitindo que
Ahura-Mazda seja o único deus a ser adorado, indicando um monoteísmo ético, na verdade o Zoroastrismo admite também um outro deus, um deus do mal, uma contra-parte de Ahura-Mazda, seu nome é Arimã, ou Angra Mainyu. Ambos, são auxiliados por uma diversidade de deuses menores que não são adorados. Entretanto, posteriormente, antigos sacerdotes reintroduziram antigos deuses associados a conceitos filosóficos de Zoroastro. Entre eles está Mithra, que ganhou importância tal que acabou por ser tornar uma nova religião.
Dentre as muitas doutrinas do Zoroastrismo, uma delas se destaca em particular. A concepção do Messias, como no judaísmo e no cristianismo. Na antiga religião persa, o salvador (Saoshyant) viria a cada Mil anos, para preparar a humanidade para a própria chegada de Ahura-M
azda (as vezes é o próprio Zoroastro), que virá quando se completarem nove mil anos (dentro do calendário zoroástrico).
A semelhança de Anakin, o Saoshyant, nascerá sempre de uma virgem, que neste caso, entrou em um lago, engravido
u e deu a luz um homem. Esta é a primeira característica do herói messiânico. Um nascimento virginal e miraculoso, assim como ocorreu com Shmi Skywalker.
Mitraísmo: Apesar de Mithra ser adorado como uma divindade na Índia (a conexão com a Índia e a Pérsia se dá pelo fato de que os dois povos tem a mesma origem, Indo-Ariana, portanto o compartilhamento das mesmas divindades em religiões diferentes) , muito antes da formalização da religião, o Mitraísmo foi uma derivação do Zoroastrismo.
No zoroastrismo, M
ithra era uma das divindades auxiliares de Ahura-Mazda, fazedor do bem, juiz das almas e associado a luz. Apesar de incorporado ao zoroastrismo, seu culto era mal visto pelo fato de haver sacrifícios de touros, o que no zoroastrismo não é aceito. Durante o período helenístico e o Império Romano, o Mitraísmo se tornou muito popular, principalmente entre os militares, e se tornou uma religião separada do zoroastrismo e do hinduísmo.
Por ser associado a luz, seu culto se tornou um culto Solar, a adoração do sol, sincretizou-se com o culto de Zeus, Júpiter e do p
róprio imperador romano. No zoroastrismo do período do Império Persa (os Aquemênidas), Mithra era o filho direto de Ahura-Mazda com a deusa Anahita, que era se confunde por vezes com uma virgem terrena. O culto era executado em segredo e havia sacrifícios de touros. No mitraísmo, o Saoshyant é o próprio Mithra, que viria a Terra por meio de um nascimento virginal.
Mas alguns elementos importantes são tomados para formar o personagem de Anakin Skywalker: (1) Mithra possui o tít
ulo de “O Escolhido”, como salvador do mundo e posteriormente, protetor do Império Romano (Darth Vader?); (2) é considerado o “deus do Equilíbrio e da ordem do Cosmos” (vocês lembram-se do quê?); (3) seu poder é destinado à manutenção deste equilíbrio cósmico, mantendo o bem e combatendo o mal. Para o mitraísmo e o zoroastrismo, o equilíbrio está na perpetuação do bem e a extinção das obras de Arimã e do mal na Terra. Assim como a profecia jedi dizia que “O Escolhido” traria o equilíbrio a Força, Mithra possuía a mesma missão messiânica.
Judaísmo e Cristianismo: Anakin também empresta elementos do judaísmo e principalmente de Jesus Cristo, no entanto, ao contrário do que se pode imaginar, o messias judaico-cristão tem menos ligação com a criação do personagem do que o deus Mithra.
No que pese a afirmação acima, o nascimento virginal e miraculoso de Anakin Skywalker, como vimos em “A Ameaça Fantasma”, nos remete imediatamente a pessoa de Maria (Shmi) e Jesus (Anakin). Entretanto a semelhança termina aí. Alguns podem pensar que a visão do Equilíbrio da Força também é uma referência a Paz conseqüente que o Messias trará ao mundo. Entretanto, tal comparação não procede, pois
para o Judaísmo e o Cristianismo, a luta do mal não gera equilíbrio, mas sim, promove a total aniquilação do mesmo, pendendo a balança para o bem, para Deus, para a total e absoluta vitória da Divindade e de seu Reino, trazendo a extinção da dor, morte, lágrimas, pecado e do próprio Satanás, o adversário. É mais difícil encontrar um paralelo somente no Judaísmo, além do fato de que o Messias nascerá de uma virgem, já que, assim como no cristianismo, o messias também tem a missão de restaurar o Reino de Israel e restabelecer a Casa de Davi ao trono judeu.

Redenção Filial:
Uma das características de Anakin e da construção de seu personagem, como um arquétipo moderno do herói.
É a queda e a redenção, ou salvação por parte de um filho, ou filhos. Anakin, depois que passa pelo caminho do Lado Negro da Força (a queda), experimenta a redenção por meio de seu filho, Luke Skywalker. Essa é uma das características do herói presentes na Saga de Star Wars. O filho duela com seu pai, mas sua intenção é salvá-lo do terrível imperador. Luke sabe que existe bondade no interior de Darth Vader, e que o Imperador não conseguiu extrair o bem por completo. Luke apela para os sentimentos de seu pai para trazê-lo de volta ao lado luminoso da Força. Assim ele resgata seu pai, o redime e o vinga.
Nas mitologias antigas, alguns deuses e semideuses possuíam filhos, dos quais alguns são salvos de alguma maldição, sina, ou complô de outros deuses. Alguns exemplos são:
Osíris: Divindade egípcia ligada originalmente a agropecuária, governador do Egito (da Terra), e deus da fertilidade, tornou-se deus do mundo dos mortos e seu governante. Osíris era filho do céu e da terra, irmão de Set, Néftis e Ísis, sendo esta última também sua esposa. Set, governador do deserto, posição que não lhe agradava, movido por inveja, planejou matar o seu irmão e assim tomar o seu lugar. Set prendeu Osíris em um sarcófago e o lançou no Nilo. Ísis, ao saber do desaparecimento do marido, foi em sua busca e o resgatou, escondendo-o em um campo de papiros. Mas Set descobriu o fato e, com ódio do irmão, o esquartejou em 14 pedaços, e os espalhou por todo o Egito. Ísis e Néftis saíram novamente e juntaram as partes de Osíris, o mumificaram, e Ísis transformando-se em um milhafre, reviveu seu marido, unindo-se sexualmente a ele e dando origem a um filho, Hórus. Hórus, o deus com cabeça de falcão, vinga o pai e derrota Set, enviando-o de volta ao deserto. Assim, Hórus salva o pai e lhe restaura a dignidade. Osíris passa a ser o Senhor do Mundo dos Mortos, enquanto seu filho assumiu o governo do Egito.
Anakin se assemelha a Osíris no seu processo de redenção. Tal como o deus egípcio, Anakin passa pelo processo da queda, figurativamente a morte, sendo vingado por Luke (Hórus), que lhe resgata das mãos do Imperador (Set), e mesmo após a morte assume seu lugar entre os jedi no mundo espiritual da Força. Luke, por sua vez, assume a Ordem Jedi (o Egito), tornando-s
e o seu novo líder.
Zeus e Heracles: Filho ilegítimo de Zeus com a humana Alcmena, Heracles, ou Hércules para os romanos, foi alvo da vingança de Hera, rainha dos deuses e esposa de Zeus. Desde a infância, a enciumada Hera procurou matar a Heracles com o intuito de atingir o marido. Porém em outras ocasiões, ela lhe apresentava desafios por demais difíceis (Não confundir com os 12 Trabalhos de Heracles). Mas como ele sempre vencia seus desafios e lograva êxito em suas aventuras, aos poucos foi caindo nas graças de Hera e assim redimindo seu adúltero pai perante sua esposa irada. No sacrifício final de Heracles, Zeus o arrebatou para o Monte Olimpo e lhe deu um lugar entre os deuses, além de uma esposa, Hebe.
Ao passo que Anakin nunca traiu Padmé, o mito de Heracles na verdade apenas mostra as semelhanças entre a condição dos pais e dos filhos nas mitologias antigas. Heracles assume o lugar de Luke, enquanto Anakin é o próprio Zeus.

Anakin Skywalker, em sua trajetória até a sua união com a Força, passa por um ciclo completo, salvo algumas etapas, que Joseph Campbell chama de “Os Doze Estágios da Jornada do Herói”, onde esta jornada é chamada de “Monomito”. O Monomito, em modo geral, é comum a todas as histórias dos heróis, tanto reais como mitológicos, como já afirmado anteriormente.
Neste processo, Campbell identifica os seguintes estágios:

Doze Estágios da Jornada do Herói

1. Mundo Comum - O mundo normal do herói antes da história começar. Em se tratando de Anakin, falamos de Tatooine, sua vida diária como escravo, e todo o “ethos” envolvendo a galáxia Star Wars.
2. O Chamado para a Aventura - Um problema se apresenta ao herói: um desafio ou a aventura. A chegada de forasteiros da República, a possibilidade de se tornar um jedi e a guerra eminente.
3. Reticência do Herói ou Recusa do Chamado - O herói recusa ou demora a aceitar o desafio ou aventura, geralmente porque tem medo. No caso de Anakin, a possibilidade de afastar-se de sua mãe, foi um fator de relutância, mas a aceitação de sua nova condição foi algo rápido.
4. Encontro com o mentor ou Ajuda Sobrenatural - O herói encontra um mentor que o faz aceitar o chamado e o informa e treina para sua aventura. Qui-Gon Jinn inicialmente, e depois Obi-Wan Kenobi, assumiram este lugar de mentor. Na trilogia original, vemos este mesmo processo com Luke, e de forma mais nítida, já que Obi-Wan assume também a forma de Ajudante Sobrenatural. Anakin também passa pela mesma experiência de tal ajudante. Por ocasiões, principalmente nas novelizações, Qui-Gon Jinn também fala com Anakin, como vimos em O Ataque dos Clones, além de aparecer para ele.
5. Cruzamento do Primeiro Portal - O herói abandona o mundo comum para entrar no mundo especial ou mágico. A chegada em Coruscant, à passagem turbulenta em Naboo. Em resumo, a saída de Anakin de sua vida em Tatooine para um conhecimento maior do universo e de si mesmo.
6. Provações, aliados e inimigos ou A Barriga da Baleia - O herói enfrenta testes, encontra aliados e enfrenta inimigos, de forma que aprende as regras do mundo especial. Anakin conhece pela primeira vez os sith, participa da Batalha de Naboo, esteve presente no início das Guerras Clônicas, lutou ao lado de outros jedi, e conheceu muitas pessoas das quais podia confiar.
7. Aproximação - O herói tem êxitos durante as provações. Como jedi, Anakin ganhou muito mais poder e habilidade, e se tornou famoso tanto na República como na CIS. Suas vitórias, tanto em embates pessoais como nas grandes batalhas, Anakin obteve inúmeras vitórias. Suas vitórias em batalhas espaciais lhe valeram a estima como sendo o melhor piloto da galáxia.
8. Provação difícil ou traumática - A maior crise da aventura, de vida ou morte. A maior etapa na vida de Anakin, que dura 23 anos. Vai desde 19 BBY com o início da sua queda, o medo da perda de sua esposa, a conversão a Ordem dos Sith, a cujo ápice se dá no duelo final, onde sofre na própria carne. Leva suas cicatrizes para o resto da vida.
9. Recompensa - O herói enfrentou a morte, se sobrepõe ao seu medo e agora ganha uma recompensa (o elixir). Anakin, enquanto Vader, permanece no Lado Negro da Força ainda movido pelos mesmos sentimentos de outrora, o medo. Entretanto, Vader torna a voltar gradativamente a Luz, já que a revelação de que existe um filho, lhe restaura a sua razão de busca pessoal. Na sua hora derradeira, enfrenta a morte e vence, obtendo a sua salvação.
10. O Caminho de Volta - O herói deve voltar para o mundo comum. Anakin volta para seu estado original, de bondade e união com o Lado Luminoso da Força, ainda que por poucos minutos.
11. Ressurreição do Herói - Outro teste no qual o herói enfrenta a morte, e deve usar tudo que foi aprendido. Anakin se vê face a face com seu filho, Luke, e lhe diz as últimas palavras, antes de deixar a vida e partir para unir-se a Força. É neste momento que ele usa seus últimos sopros de vida e força física para poder olhar para seu filho sem sua máscara, e assim poder se despedir.
12. Regresso com o Elixir - O herói volta para casa com o "elixir", e o usa para ajudar todos no mundo comum. Anakin morre, vence o Lado Negro, e retorna a Força, assumindo o seu lugar entre seus antigos mestres, tomando agora a mesma posição de mentor e ajudante, no auxilio de seus descendentes.

Em toda a sua história, Anakin não só se revela verdadeiramente como “O Escolhido”, como também a é o Herói da Saga de Star Wars. Muito embora, outros personagens como Luke também se enquadrem neste perfil, principalmente pelo fato de que Luke também passa pelas mesmas etapas da jornada. Ele assume, no conjunto total da obra, um lugar complementar, porém fundamental.
Anakin não seria o personagem completo que é, sem seus filhos e demais personagens que orbitam sua história. E poder identificar elementos do nosso mundo real em sua construção como um arquétipo moderno, é notável e todos os seus elementos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...