domingo, 29 de dezembro de 2013

RAZÕES PORQUE EU NÃO ASSISTO OS VÍDEOS DO GRUPO PORTA DOS FUNDOS

Por Renato Vargens

Eu bem que tentei, mas não consigo assistir até o final os vídeos do Grupo Porta dos Fundos. O ultimo deles, denominado Natal da "Porta dos Fundos" é uma verdadeira afronta a família, a Igreja, bem como a sociedade brasileira.

A película que trata da vida de Jesus, com cerca de 15 minutos, está dividida em quatro esquetes, cada uma com uma passagem da vida do Salvador, sendo que logo na primeira parte, o nascimento de Jesus é tratado de forma debochada e blasfema como particularmente nunca testemunhei. 

No vídeo em questão, "Maria" se dirige a José dizendo: “José, o filho não é teu”, diz uma constrangida Maria a seu marido. “Quê? Como assim o filho não é meu? De quem é?”, pergunta o carpinteiro de Nazaré. “É de Deus”. “Isso vai me f... lá na carpintaria, ninguém vai acreditar nisso”, preocupa-se José. 

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

SENADOR MAGNO MALTA COMENTA O FIM DO PLC 122

VÍDEO: ATIVISTAS AGRIDEM CRISTÃOS QUE ORAVAM EM IGREJA DURANTE PROTESTO

NOTA: O vídeo amador e apresenta imagens fortes.

Por Tiago Chagas

A defesa da liberdade de crença e do patrimônio de uma igreja resultou em imagens de agressões físicas e verbais por parte de ativistas gays, feministas e defensores do aborto na Argentina.
Um protesto organizado pelo grupo de feministas pró-aborto vandalizou o templo da igreja com pichações que acusavam os cristãos de impor seus princípios à sociedade e impedir a liberação do aborto.
Os fiéis da igreja fizeram uma corrente em torno do templo para evitar mais danos, e passaram a orar enquanto eram agredidos com palavrões, cusparadas e pichações em seus rostos e roupas.
O vídeo se tornou viral internacional e diversos veículos de imprensa em todo o mundo destacaram a intolerância das feministas, que praticavam atentados ao pudor de diversas maneiras.
As imagens mostram as manifestantes com os seios desnudos, trocando carícias e até, praticando sexo oral na rua, no meio do protesto, e sob o som de palavras de ordem contra a fé cristã e a favor do aborto.
Além da violência contra os fiéis, as manifestantes queimaram símbolos religiosos e até, imagens do papa Francisco, o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio eleito pontífice esse ano.
O vídeo contém cenas fortes de nudez, agressões físicas e verbais, carícias homossexuais e desrespeito. Assista:


Fonte: Gospel Mais

CAI O PLC 122 NO SENADO

PLC 122 sepultado: Maioria cristã do Brasil obtém vitória inesperada e surpreendente com sua persistência e mobilização

Julio Severo
Hoje é um dia de muita alegria e, quem puder, celebre com festas e louvores a Deus! Ontem (17 de dezembro de 2013), foi aprovado o apensamento do PLC 122 à reforma do código penal, sepultando o PLC 122 e todos os sonhos e maluquices de Marta Suplicy e outros radicais esquerdistas sexuais.
E quanto à promessa do senador petista Paulo Paim de aprovar o PLC 122 neste ano? Foi para o espaço. Virou pó.
Por isso, comemore. Celebre! Pule de alegria! Cante cânticos de regozijo na presença de Deus!


Durante anos, o PT usou todas as artimanhas para levar esse projeto à aprovação. Havia apoio em massa ao PLC 122, mas vindo exclusivamente das elites midiáticas e esquerdistas. O povo? Ele foi acusado pelo PT, através de um instituto de pesquisa esquerdista, de ser99 por cento “homofóbico.”
Enquanto as manifestações da mídia comprada pediam insistentemente a aprovação do PLC 122, o povo telefonava para o Congresso pedindo sua rejeição. Assim, o povo venceu as vontades do governo, do PT, de outros partidos de esquerda, das elites midiáticas e do movimento homossexual.
O povo venceu também as forças religiosas hostis à luta em defesa da família. Um tabloide sensacionalista protestante argumentava que o PLC 122 não oferecia os perigos denunciados por alguns líderes evangélicos, inclusive Silas Malafaia, a quem o tabloide chamou maliciosamente de “servo de Belzebu.”
O tabloide, representando a mídia protestante esquerdista, afirmou que a ignorância “de alguns políticos evangélicos interessados no uso deste projeto para fins eleitoreiros e um ou outro comentário de um blogueiro sofrendo de esquizofrenia paranoide se transforma em pânico levando milhares de ovelhas idiotizadas à beira de um ataque de nervos.”
Mas a hostilidade aos defensores da família não veio apenas de tabloides de fofoca. Em 16 de dezembro, apenas um dia antes do sepultamento do PLC 122, o senador Paim publicou em seu site oficial um manifesto do CONIC pedindo, em nome de um alegado combate à violência contra a mulher, a aprovação do PLC 122.


O CONIC é o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, que em março deste ano repudiou publicamente a nomeação de Marco Feliciano à Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Fazem parte do CONIC a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e a Igreja Presbiteriana Unida — todas com alinhamento esquerdista.
O que o manifesto do CONIC a favor do PLC 122 no site do Paim significa?
Significa que, discordando da vontade da maioria cristã do Brasil e se alinhando com a maioria esquerdista do governo, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e a Igreja Presbiteriana Unida estavam de pleno acordo com a vontade do governo de impor o PLC 122 sobre a população brasileira.
Graças a Deus, a vontade de Paim e do PT não prevaleceu!
Graças a Deus, a vontade do CONIC não prevaleceu!
Graças a Deus, não prosperou a vontade da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e a Igreja Presbiteriana Unida.
GRAÇAS A DEUS, PREVALECEU A VONTADE DA MAIORIA CRISTÃ DO BRASIL!
Podemos dar louvores a Deus, fazer festas e comemorar a vitória desta batalha contra as forças seculares e religiosas, mas a guerra continua.

Dra. Damares Alves fala

Para compreendermos a vitória que obtivemos ontem, a Dra. Damares Alves, em texto exclusivo para o Blog Julio Severo, explica a importância da conquista que a maioria cristã brasileira alcançou pressionando incessantemente o Congresso Nacional.
A Dra. Damares, que neste ano de 2013 andou por todo o Brasil mobilizando a Igreja contra o PLC 122 e contra outros projetos absurdos, inclusive o projeto original da Reforma do Código Penal, desabafou emocionada: “Estou rouca, estou cansada. Só neste final de semana, foram cinco eventos em três estados diferentes, mas valeu a pena. Eu sei que a transformação e redenção do meu país passa pela Igreja Evangélica.” Ela disse ainda: “Esta vitória só foi possível também graças a todos os internautas e blogueiros cristãos e graças as redes sociais.”
A Dra. Damares explica como foi a grande vitória contra o PLC 122 e outros projetos:
Pela manha na Comissão Especial instituída para discutir o PLS 236/2012 que visa à Reforma do Código Penal, foi votado o parecer do relator que de maneira já esperada pronunciou um voto a favor da vida e da família.
Entenda: o relator, Senador Pedro Taques, na semana passada havia apresentado o voto final ao PLS 236/2012 e, após uma serie de reuniões e discussões nos últimos dias, foi votado e aprovado hoje o parecer final na Comissão Especial.
No voto, o senador afastou a possibilidade da descriminalização do aborto no Brasil. Ele manteve o texto do atual Código Penal, ou seja, o aborto provocado só não será punido em caso de estupro ou risco de vida para a gestante.
Essa foi uma vitória para todos os que lutam em defesa da vida.
O relator também não aceitou a diminuição da idade de 14 para 12 anos de idade para tipificar o estupro de vulneráveis, nem a descriminalização das drogas, nem a legalização das casas de prostituição e outros temas que tanto preocupavam os movimentos em defesa da família e a Igreja.
Contudo, a maior surpresa veio com a retirada, em todo o texto do PLS 236, dos termos “orientação sexual,” “gênero” e “identidade de gênero.”
Pedro Taques, um jurista de renome, argumentou que essas expressões são ambíguas e ainda não estão assimiladas na língua portuguesa e não são compreendidas pela população, o que dificultaria aplicação e fixação de penas pelos juízes ou até mesmo o indiciamento dos possíveis réus.
O movimento homossexual não esperava isso, pois no texto apresentado pelos juristas a discriminação por “orientação sexual,” “gênero” e “identidade de gênero” seria agravante para todos os crimes, inclusive para crimes de terrorismo, racismo, genocídio, tortura e crimes contra a humanidade.
Mas a vitória da família neste dia (17 de dezembro) no Senado não se limitou apenas ao projeto da reforma do código penal.
Estava na pauta para as 8h30min da manhã desta quarta feira na Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa o voto do senador Paulo Paim ao PLC 122/2006.
Ao contabilizar os votos, os líderes pró-família já sabiam que naquela comissão o PLC 122 seria aprovado.
Entretanto, o inesperado aconteceu no início da noite.
Foi votado e aprovado no Plenário Geral do Senado o Requerimento de autoria do senador evangélico Eduardo Lopes (PRB/RJ — suplente do senador Crivella) que pedia o apensamento do PLC 122/2006 ao Projeto de Reforma do Código Penal.
Há três semanas que se aguardava a votação desse requerimento, mas havia uma pressão para que a votação não acontecesse e se fosse colocado em pauta, a pressão para ser rejeitado era maior ainda.
Na quarta-feira da semana passada até altas horas da noite o embate nos bastidores do Plenário do Senado era visível. De um lado, senadores conversando com pastores, padres e líderes de movimentos em defesa da família que faziam lobby para que o requerimento fosse aprovado. Do outro lado, estavam os militantes do movimento homossexual abordando os senadores, chegando a dizer aos parlamentares que votar o PLC 122/2206 era para eles uma questão de honra, pois a sigla PLC 122 era mais que um projeto legislativo; era o símbolo de luta.
Mas para surpresa de todos, o requerimento foi colocado na pauta e aprovado na noite, ou seja, poucas horas antes da votação do PLC 122 na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa.
Mas é bom lembrar que os senadores não fizeram nenhum favor às famílias. Eles apenas acertaram desta vez. O inciso II do artigo 374 do Regimento Interno do Senado Federal é claro em afirmar que se existe um projeto que visa reformar qualquer código, todos os demais projetos que se referem à matéria do código que esta sendo reformado devem ser apensadas no PL da reforma. (Leiam o que diz este inciso.)
Assim, desde a chegada da Reforma do Código Penal no Senado, o PLC 122/2006 já deveria ter sido apensado. Houve neste tempo todo uma briga desnecessária.
Depois da aprovação hoje do requerimento, os senadores a favor do ativismo gay ficaram insatisfeitos e pediram até mesmo verificação de quórum, mas não conseguiram derrubar a sessão nem a votação do requerimento.
Agora o PLC 122/2006 passa a ser mais um projeto de lei, entre os inúmeros, apensado ao PLS 236/2012. Ou seja, o PLC 122 praticamente não existe mais.
Mas cabe aqui outra explicação: O PLC 122/2006 tinha como objetivo a alteração da Lei de Racismo, acrescentando os termos “orientação sexual,” “gênero” e “identidade de gênero.” E o PLC 236/2012, da Reforma do Código Penal, tem como objetivo em seu artigo 530 a revogação da lei de racismo.
Vejam a incoerência: na mesma Casa Legislativa um projeto de lei tem como objetivo revogar uma lei e outro alterar uma lei que será revogada.
Então o PLC 122/2006 era de fato inócuo no sentido de que ele ia reformar algo que estaria revogado.
É claro que a luta não acabou. O PLC 122/2006 foi apensado e agora o tema pode ser trazido para dentro da Reforma do Código Penal em outras comissões.
Mas esta vitória de hoje mostra que as mobilizações deram certo e a união dos movimentos pró-família foi decisiva para isso.
Todos são unanimes em reconhecer o esforço do Senador Magno Malta, que, atento há anos, não deixou o PLC 122 ser aprovado. Por anos a Igreja só pôde contar com ele. Um único senador contra todos.
Parecia uma guerra perdida. Era Golias o gigante e um único Davi pequenino.
Nos últimos meses, o senador acabou contando também com a atuação brilhante do Senador Eduardo Lopes e os dois juntos chegaram hoje a esta importante vitória.
Não se pode ainda deixar de citar a contribuição dos senadores Gim Argello, do Distrito Federal, e do Senador Sergio Petecão, do Acre.
A mobilização não pode parar.
Já no inicio do ano que vem a Reforma do Código Penal volta a ser discutida e toda atenção será necessária. O povo que venceu hoje continuará vencendo se demonstrar mais persistência.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

UMA PALAVRA AOS JOVENS CALVINISTAS QUE TEM ZOMBADO DE ARMINIANOS E PENTECOSTAIS NAS REDES SOCIAIS

Foolish young calvinist
Por Renato Vargens

A Internet pode ser uma bênção, disso não tenho a menor dúvida, todavia, confesso que me impressiona o número de jovens que foram contaminados pelo "vírus da arrogância." fazendo da web um instrumento de divisão eclesiástica.

Pois bem, a força desse vírus é letal, mesmo porque, ele tem a capacidade de adoecer o coração do homem, fazendo-o pensar que é maior e melhor do que muita gente. 

Nessa perspectiva tenho visto jovens desdenhando de pastores, líderes e missionários, desprezando-os publicamente demonstrando com isso que acreditam ser melhores do que estes. Se não bastasse isso, muitos destes, calvinistas de carterinha (sem contudo terem lido uma obra sequer de Calvino) em nome de uma espiritualidade falsa ridicularizam homens de Deus pelo fato destes não professarem a mesma corrente teológica. Para nossa vergonha já testemunhei garotos zombando de pastores arminianos ou pentecostais. Há pouco vi um menino ridicularizando o pastor Antônio Gilberto que com certeza é um dos maiores teólogos da Assembleia de Deus no Brasil.

ERA O QUE FALTAVA, RESOLVERAM DEMONIZAR O AMÉM

Por Renato Vargens

Parece que quanto mais eu "rezo" mais assombração me aparece. Não é que resolveram satanizar a palavra amém? 

Pois é, um irmão em Cristo me escreveu pedindo que comentasse sobre um vídeo que está rolando na internet que tem promovido confusão em muita gente.

O vídeo protagonizado por um indivíduo denominado "Servo YHWH" afirma coisas absurdas sobre a origem da palavra amém, dentre estas, que amem é uma expressão usada para o Deus egípcio "Amon"

Isto posto, e visando esclarecer àqueles que se sentem confusos por ensinos descabidos como o proferido por esse senhor, segue abaixo o real significado da Palavra Amém.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

PLC 122: MOBILIZE-SE CONTRA A FOICE E O MARTELO DA TIRANIA GAY

Projeto da ditadura gay será votado quarta-feira, dia 11. Disque gratuitamente 0800 61 22 11 para se manifestar

Julio Severo
A votação do PLC 122 será feita quarta-feira, dia 11 de dezembro. Como vencer essa ameaça? Telefonando para os senadores, cujos números de telefones e e-mails estão neste link: http://bit.ly/IoUXo1
Quando fizer contato com os senadores, aproveite e peça a remoção total os termos “orientação sexual” e “gênero” do PLC 103/2012, que trata do PNE (Plano Nacional de Educação). A meta de imposição de “orientação sexual” e “gênero,” igualmente visada pelo PLC 122 e pelo PLC 103/2012, forçará a sociedade a valorizar e defender aberrações sexuais e a marginalizar o casamento tradicional. Além disso, se “orientação sexual” e “gênero” não forem removidos do PLC 103/2012, as crianças do Brasil serão obrigadas a respeitar, assimilar e valorizar as aberrações sexuais, por mandamento do Ministério da Educação. Para entender a ameaça de “gênero,” consulte este link: http://bit.ly/IoUXo1
Atenção, para fazer chamadas gerais aos senadores, ligue e se cadastre:
0800 61 22 11
Para ligar sem a inconveniência do cadastro, chame diretamente os senadores nos números deles disponibilizados neste link:http://bit.ly/IoUXo1
O martelo vem e martela a mentira na sua cabeça até você cair. Então, num ato final, usa a foice para lhe cortar a cabeça.
As marteladas do PLC 122 têm sido incessantes há anos, apenas aguardando o momento de usar a foice.
A oportunidade mais recente foi dia 4 passado, data em que estava marcada a votação do PLC 122 na Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal.
A mobilização nos dias anteriores foi tão grande que o telefone gratuito (0800 61 22 11) do Senado ficou congestionado. Então, na véspera da votação, o senador petista Paulo Paim, relator do PLC 122, disse publicamente pelo Twitter: “Reunião da bancada do PT c/o ministro Gilberto Carvalho foi transferida p/quinta#PL122 não está na pauta de amanhã.” Confira: http://archive.is/1ATD8

O truque funcionou. Todos acreditaram em Paim. Todos acharam que quarta-feira, dia 4, não seria o dia da votação. Mesmo assim, o senador Magno Malta, sempre atento, foi à Comissão de Direitos Humanos do Senado. E o que ele viu? O PLC 122 pronto para ser votado!
Diante dessa tramoia, Malta protestou. Todos os senadores daquela comissão que estavam prontos para derrubar o PLC 122 estavam naquele momento em outras comissões, porque confiaram na palavra de Paim de que a votação do PLC 122 havia saído de pauta para aquele dia.
A bancada do PT defendeu a votação, dizendo que até o MEC era favorável ao PLC 122 e tentando fazer parecer que o embate era entre evangélicos e apoiadores de direitos gays.
Em contrapartida, Malta deixou claro que o plenário estava cheio de católicos, padres, espíritas e que, independente se o MEC apoia o PLC 122, a sociedade brasileira o repudia.
Com a força de Malta, a votação foi adiada. Se como todos os outros senadores, ele estivesse em outra comissão, achando que o PLC 122 estaria fora de votação na quarta-feira, a bancada do PT teria aprovado tranquilamente.
Então, quando mobilizamos a população para se manifestar aos senadores sobre uma votação do PLC 122, é fundamental que as manifestações não cessem, mesmo que um líder do PT garanta que a votação será adiada.
Haja o que houver, sua mobilização precisa prosseguir.
A enganação não parou aí. Nessa reunião em que o PLC 122 não deveria ser votado, mas quase foi, Paulo Paim disse: “Construí uma linha para que se combata o ódio, a intolerância, a agressão e o desrespeito às pessoas em todos os sentidos: negro, índio, religioso, orientação sexual. Enfim, é um projeto global, que beneficia a todos.”
Diante do público, Paim diz que o PLC 122 é bom para todos. Ele também apela em favor desse projeto: “Ninguém, como eu digo, que é do bem pode ser favorável ao ódio, à violência, à intolerância, à agressão e até ao assassinato de pessoas.”
Se o PLC 122 é sobre agressão e assassinato, qual o motivo de sua existência? O Código Penal já não é suficiente para tratar desses crimes?
Se o PLC 122 é sobre agressão e assassinato, por que proibir a população do Brasil de defender o casamento publicamente?
Paim e o PT estão desesperados para aprovar o PLC 122 neste ano. Com a pressão da população se mobilizando em massa e congestionando o telefone gratuito do Senado (0800 61 22 11), o senador petista já tinha se reunido dia 3, conforme a Rádio Senado, com lideranças gays e religiosas, para modificar o PLC 122.
Antes, o texto do petista estipulava penas para quem impedisse ou restringisse a manifestação de “afetividade” de qualquer pessoa em local público ou privado aberto ao público, “resguardado o respeito devido aos espaços religiosos”.
Esses espaços são os “templos religiosos.” Para aumentar sua colher de chá para as vítimas da tirania, o petista, em entrevista à Rádio Senado, disse que está mudando “templos religiosos” para “eventos religiosos,” para que cristãos e outros tenham liberdade de defender o casamento como somente entre um homem e uma mulher não apenas dentro de seus templos, mas também em estádios e outros lugares em que eles se reunirem para eventos.
Apesar da tentativa do senador petista de tranquilizar o público com relação às pesadas consequências do PLC 122, a Agência Senado, em 28 de novembro, deixou claro que um cidadão brasileiro poderá ser punido com até cinco anos de prisão por “preconceito de gênero” ou de “orientação sexual.” Isto é, ao contrário do que declarou Paim, de que o PLC 122 beneficia a todos, só beneficia na verdade o ativismo homossexual e a agenda de gênero. Para entender essa agenda, clique neste link: http://juliosevero.blogspot.com/2013/11/urgente-plc-122-pode-ser-aprovado-nesta_29.html
As penas para quem impedir ou restringir a manifestação de “afetividade” de qualquer pessoa em local público ou privado aberto ao público continuam ameaçando, com a única modificação: “resguardado o respeito devido aos eventos religiosos.”
Qualquer que seja o entendimento que os brasileiros tenham sobre o novo PLC 122 “protegendo” os eventos religiosos, é a interpretação do autor que vale. O site homossexual A Capa, com exclusividade, mostrou como o senador petista interpreta essa “proteção.” Segundo A Capa, Paim disse:
“Dentro dos cultos religiosos, temos que respeitar a livre opinião que tem cada um. Por exemplo, você não pode condenar alguém por, num templo religioso, ter dito que o casamento só deve ser entre homem e mulher. É uma opinião que tem que ser respeitada.”
É uma mudança não muito diferente da mudança proposta por Marta Suplicy dois anos atrás, conforme registrado neste vídeo:http://youtu.be/jIOOE0n2V5g
De acordo com Paim e Suplicy, os cristãos terão liberdade de opinar contra o homossexualismo e até de defender o casamento entre homem e mulher — mas só poderão se expressar DENTRO das igrejas e eventos religiosos.
Enquanto os militantes gays terão liberdade de dizer e fazer o que quiserem em todo e qualquer lugar FORA das igrejas e eventos religiosos, os cristãos estarão totalmente impedidos FORA das igrejas e eventos religiosos e, se quiserem se expressar, deverão ir a um templo ou evento religioso para desabafar o que pensam.
Enquanto os militantes gays e os militantes da agenda de gênero poderão defender suas detuparções do casamento na TV e outros grandes meios de comunicação, aos cristãos só restará seus restritos espaços religiosos para expressar apoio ao casamento entre homem e mulher.
A defesa do casamento entre homem e mulher será varrida dos lugares públicos, sendo confinada aos espaços estritamente religiosos.
Os templos e eventos religiosos, de acordo com Paim e Suplicy, funcionarão como guetos da liberdade de expressão dos cristãos. Fora dos guetos, o silêncio será obrigatório para os cristãos que são contra as práticas homossexuais e a favor do casamento conforme Deus criou. Fora dos guetos, só cristãos esquerdistas pró-sodomia é que terão liberdade de falar o que quiserem.
Ao site A Capa, Paim acabou mostrando que o PLC 122 continua um projeto de ditadura gay. Não beneficia a todos. Beneficia uma minúscula minoria em detrimento da maioria.
O petista quer fazer a população de burra. Se aceitarmos sua modificação, comprovaremos o que ele pensa do povo brasileiro. Se aceitarmos suas mentiras, comprovaremos o que ele pensa do povo brasileiro. Se cruzarmos os braços diante de suas estratégias, comprovaremos o que ele pensa do povo brasileiro.
Por que ele não aplica semelhante golpe nos supremacistas gays e nos militantes da agenda de gênero?
Ele deveria modificar o PLC 122 para aplicar penas para quem impedir ou restringir a defesa do casamento tradicional entre homem e mulher em local público ou privado aberto ao público, “resguardado as boates e outros espaços gays.”
O novo PLC 122 deveria deixar claro que os ativistas gays só poderão defender o sexo fecal, o “casamento” gay e suas práticas nojentas DENTRO dos bares e boates gays, sendo punida qualquer manifestação fora desses ambientes.
Perguntem agora a esses ativistas se eles aceitariam tal mudança de Paim.
Perguntem se eles concordam em defender seus atos nojentos somente dentro de seus espaços nojentos.
Não? Então, se eles querem o direito e a liberdade de defender insanidades publicamente, por que nós deveríamos aceitar sermos confinados a guetos, sob penas pesadas, para defender o casamento tradicional?
Por que deveríamos aceitar ameaças ao nosso direito de proteger as crianças da anormalidade óbvia dos atos homossexuais?
Por que deveríamos aceitar ameaças ao nosso direito de proteger as crianças da ameaça óbvia da agenda de gênero?
Se nem os supremacistas gays aceitam guetos, por que deveríamos aceitar?
Se eles não aceitam ficar calados e preferem elogiar o sexo fecal publicamente, por que deveríamos ficar calados enquanto querem nos impedir de defender publicamente o casamento apenas como entre homem e mulher?
Eleger socialistas resulta em sofrimento para a população. Com a eleição deles ganhamos políticos que gastam nosso tempo e nosso dinheiro para destruir a família, enquanto gastamos mais de nosso tempo e nosso dinheiro para nos defender dos políticos que elegemos e de seus projetos absurdos e insanos.
Que Deus livre o Brasil desses políticos!
Que Deus nos livre da burrice de sempre elegê-los!

LEI DA PALMADA: VOTAÇÃO NA QUARTA-FEIRA, 11 DE DEZEMBRO

Mobilização urgente: Ligue agora mesmo, gratuitamente, para o telefone do Congresso: 0800-619619 para pedir a rejeição da Lei da Palmada

Julio Severo
PL 7672/2010, projeto que confisca dos pais o direito de disciplinar os filhos, tem sido agendado várias vezes para votação, muitas vezes nos momentos em que o Congresso e o povo estão mais distraídos, mas a manobra é frustrada pelos esforços de uma minoria atenta da Frente Parlamentar Evangélica.

O projeto, do Poder Executivo (MSC 409/2010), visa transformar legalmente castigos físicos aplicados pelos pais em “agressão” e “violência”. Antes, era apenas um projeto de lei na Câmara dos Deputados. A autoria era da militante abortista e homossexualista Maria do Rosário.
Ela defende que o governo tem o direito de estuprar psicologicamente as crianças por meio de doutrinações homossexuais nas escolas. Ela defende também leis de aborto, numa ética totalmente bizarra de uma militante socialista que defende a proibição da palmada sob a alegação de defender as crianças contra violência, mas no mesmo ardor defende a maior violência contra as crianças mais inocentes: o assassinato de bebês no útero materno.
Confesso que não entendo a esquizofrenia de Maria do Rosário. Talvez ela tenha criado a infame Lei da Palmada para levar os pais a pensar: “Se não tenho o direito de disciplinar fisicamente meus filhos dentro de minha própria casa, então prefiro nem ter filhos. Só me resta apoiar o aborto para o governo mais tarde não me surrar por eu der umas palmadas num menino birrento!”
Pelo fato de que Rosário se tornou ministra de governo, o projeto pessoal dela de castigar os pais do Brasil virou projeto do próprio governo do PT. A bandeira dela contra os pais virou bandeira do governo de Dilma Rousseff.
É uma bandeira que vai contra a vontade da vasta maioria do povo brasileiro.
Pesquisas de opinião pública apontam que mais de 80 por cento dos brasileiros rejeitam o projeto de Rosário.
E um relatório do Disque Câmara (0800 619619), de janeiro a junho de 2012, revela um resultado surpreendente: 94,6% dos brasileiros que telefonaram para a Câmara dos Deputados disseram que são contra a Lei da Palmada.
É, literalmente, Maria do Rosário contra o povo brasileiro. É a vontade de uma militante desenfreada e fora de si contra milhões de pais e mães do Brasil que poderão, da noite para o dia, ser transformados em criminosos por usarem a disciplina física na criação de seus filhos.
Xuxa, símbolo máximo da erotização infantil no Brasil

Rosário não está sozinha. Xuxa, o símbolo máximo da erotização infantil no Brasil, está com ela, numa campanha sem limites para tirar os limites necessários que as famílias decidem contra as birras e desobediências de seus filhos. Tempos atrás, Xuxa enviou uma carta a cada um dos deputados pedindo urgentemente a aprovação do projeto de Rosário.
As duas poderiam se unir numa campanha contra a violência pornográfica que a Globo e outras grandes redes de televisão impõem por meio das telas para milhões de crianças e adolescentes, ou poderiam se unir numa campanha contra a violência física que assassina crianças em gestação por meio do aborto, mas preferem deixar o real bem-estar das crianças de lado para atacar os pais e mães que se preocupam com seus filhos.
As duas querem impor sobre o Brasil suas bandeiras socialistas pessoais, que nada têm a ver com proteger as crianças da violência pornográfica da TV ou da violência do aborto.
As duas estão dispostas, com a ajuda do governo do PT, a usar qualquer artifício e manobra para avançar suas bandeiras contra o povo brasileiro.
A bancada evangélica está dividida na questão (por abrigar igualmente um grande número de parlamentares infectados com o vírus socialista), e até chegou, através de um de seus deputados, a louvar publicamente Rosário, conforme este link: http://bit.ly/Zi9SFQ
Apenas uma minoria da bancada evangélica está se opondo à truculência estatal de Rosário, inclusive o Senador Magno Malta, que declarou que “a Lei da Palmada é uma agressão à família.” Tal postura de uma minoria de parlamentares evangélicos opostos à tirania de Rosário está ajudando as famílias do Brasil, impedindo as votações da infame lei da militante socialista. Mas Rosário e Xuxa não vão desistir, até imporem, goela abaixo de suas vítimas, suas vontades pessoais contra milhões de famílias no Brasil.
Como nunca antes, você precisa agir. Você precisa mobilizar seus parentes, igrejas, líderes, pastores, padres, etc. Ligue 0800 619619 para a Câmara dos Deputados para dizer que você não concorda com a imposição desse projeto sobre as famílias do Brasil.
Sem mobilização, você será obrigado a viver, dentro de sua própria casa, conforme a suprema vontade socialista birrenta de Maria do Rosário e Xuxa.
Você estará proibido de seguir estas orientações bíblicas:
“Aquele que poupa sua vara [de disciplina] odeia seu filho, mas aquele que o ama o disciplina com diligência e o castiga desde cedo”. (Provérbios 13:24 Bíblia Ampliada)
“Os castigos curam a maldade da gente e melhoram o nosso caráter.” (Provérbios 20:30 NTLH)
“Não evite disciplinar a criança; se você bater nela e castigá-la com a vara [fina], ela não morrerá. Você a surrará com a vara e livrará a alma dela do Sheol (Hades, o lugar dos mortos)”. (Provérbios 23:13-14 Bíblia Ampliada)
“A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe”. (Provérbios 29:15 RA)
Para um estudo maior da Bíblia sobre o uso da vara da disciplina, clique aqui.
Se há alguém que merece prisão não são os pais e mães do Brasil, mas Rosário, que defende o aborto, e Xuxa, que, entre outras perversões, já fez propaganda explícita da pedofilia ao encenar sexo com um menino nas telas do cinema com o infame filme Amor Estranho Amor.

Envie seu protesto ao Congresso Nacional

O projeto de criminalização dos pais que disciplinam os filhos está programado para ser votado na quarta-feira, 11 de dezembro, na Comissão de Constituição e Justiça.
Por isso, faça pressão sobre os deputados.
Todo cidadão pode protestar contra essa investida do totalitarismo estatal telefonando gratuitamente para o Disque Câmara(0800-619619) e dizendo: “Quero enviar uma mensagem a todos os membros da CCJ”.
Interrogado sobre o conteúdo da mensagem, pode-se dizer: “Solicito a Vossa Excelência que respeite o sagrado direito de os pais disciplinarem seus filhos, votando contra o PL 7672/2010”.
Além de gratuito, o Disque Câmara é mais eficiente que as mensagens enviadas por correio eletrônico. Rapidamente se percebe a repercussão da manifestação popular.
Sejamos rápidos. O projeto está para ser votado.
Telefone ou escreva agora mesmo ao deputado federal do seu estado. Consulte este link para ter o email e telefone dos membros da Comissão de Constituição e Justiça: http://www2.camara.gov.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/ccjc/membros
Telefone imediatamente para a Frente Parlamentar Evangélica: (61) 3216-6769
Faça contato com todos os membros da Comissão de Constituição e Justiça que quer aprovar o projeto do governo clicando aqui.

CHAMADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...